O Coronel e o Lobisomem (2005)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Coronel e o Lobisomem
 Brasil
2005 •  cor •  106 min 
Direção Maurício Farias
Roteiro Guel Arraes
João Falcão
Jorge Furtado
Elenco Ana Paula Arósio
Diogo Vilela
Andréa Beltrão
Francisco Milani
Othon Bastos
Selton Mello
Género comédia
Lançamento 7 de outubro de 2005[1]
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

O Coronel e o Lobisomem é uma adaptação do romance O Coronel e o Lobisomem do escritor brasileiro José Cândido de Carvalho, produzida por Guel Arraes e dirigida por Maurício Farias.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Diogo Villela interpreta o Coronel Ponciano que herda as terras de seu avô Simeão, mas que não consegue fazê-las produtivas. Ele se apaixona pela sua prima Esmeraldina que acaba por se casar com o irmão de criação de Ponciano, Nogueira.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

O primeiro longa-metragem de Maurício Farias foi produzido por Globo Filmes e Natasha Filmes. O texto havia sido adaptado anteriormente por Guel Arraes na forma de um especial para a TV Globo. No elenco estavam Paulo Betti, Patrícia Pillar e Marco Nanini.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Filme de estreia do diretor Maurício Farias, depois de dois curtas e trabalhos bem-sucedidos na televisão, como a direção do seriado A Grande Família”.

O Coronel e o Lobisomem, baseado no clássico de José Cândido de Carvalho escrito em 1964

O filme teve locações nos estúdios Renato Aragão, em Belo Horizonte, Tiradentes, Quissamã (RJ) e em Fernando de Noronha.

O ator Diogo Vilela deveria caminhar alguns passos ao lado de um galo. O problema é que o bicho andava um pouquinho e parava. Nos ensaios, saía-se bem, mas na hora de rodar a cena simplesmente empacava, mesmo com um suculento prato de milho à sua frente. Vilela dava tapinhas nas costas do galo para ver se ele se animava, e nada.

Referências

  1. «"O CORONEL E O LOBISOMEM": Fiel ao original, Maurício Farias estréia na direção com adaptação de livro». Folha Ilustrada. 7 de outubro de 2005. Consultado em 15 de setembro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.