O Jogador (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Igrok (Игрок)
O Jogador
Autor(es) Fiódor Dostoiévski
Idioma Língua russa
País  Rússia
Género Romance
Lançamento 1867

O Jogador ou Um Jogador - Apontamentos de um Homem Moço é uma obra de Fiódor Dostoiévski, considerado um "romance maravilhoso" por Thomas Mann, lançada em 1867, cuja história é relatada em primeira pessoa por Alexei Ivánovitch, um jovem com grande carácter crítico que, no entanto, carece de objetivos na vida.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • General: viúvo e aposentado; 55 anos; padrasto de Polina; sobrinho de Antonida Vassilievna; tem uma dívida com Monsieur Des Grieux e pretende se casar com Mademoiselle Blanche.
  • Micha e Nádia: filhos do General.
  • Polina: enteada do General (Antonida Vassilievna a chama de Praskóvia).
  • Alexei Ivânovitch: 25 anos; preceptor dos filhos do General; é apaixonado por Polina.
  • Maria Filippovna: irmã do General.
  • Fedóssia: babá dos filhos do General.
  • Antonida Vassilievna: 75 anos; tia do General, chamada por todos de avó, exceto Potápytch e Marfa (que a chamam de mãezinha) e o General (que a chama de titia).
  • Potápytch: mordomo de Antonida Vassilievna.
  • Marfa: criada de Antonida Vassilievna.
  • Mademoiselle Blanche: francesa, prima de Monsieur Des Grieux (é também chamada de Mademoiselle de Cominges, Mademoiselle Zelma e Mademoiselle du Placet).
  • Monsieur Des Grieux: francês, primo de Mademoiselle Blanche; é credor do General.
  • Madame Veuve Cominges: francesa, mãe de Mademoiselle Blanche.
  • Mister Astley: inglês, amigo de Alexei Ivânovitch.
  • Barão Wurmerhelm e Baronesa Wurmerhelm: casal de alemães.
  • Nílski: chamado simplesmente de príncipe.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A história decorre em Roletemburgo, na Alemanha, num ambiente de casinos. Aleksei Ivánovitch trabalha num Hotel para um general, mas cedo começa a aperceber-se que algo não corre bem no seio daquela família. Paulina Alexandrovna, que mantinha uma relação de amor/ódio com Ivánovitch, pede certo dia ao seu "escravo" (o próprio Aleksei assim se denominava) que fosse jogar na Roleta por ela, pois necessitava urgentemente de dinheiro, porém escapa-se de contar qualquer tipo de pormenores. Aleksei, analisando a presença no Hotel de dois franceses matreiros, Des Grieux e Mlle. Blanche, desconfia que o general e a sua enteada Paulina têm uma enorme dívida para com os franceses. Mantendo diversos diálogos com um inglês seu amigo, Mister Astley, Aleksei Ivánovitch vai desvendando aos poucos o véu: O general havia hipotecado o seu Hotel a Des Grieux, e aguardava, por isso, pela morte de sua avó de modo a que herdasse fortuna suficiente para pagar a dívida. Os planos de Des Grieux e Mlle. Blanche parecem bem encaminhados, até que a própria avó aparece inesperadamente em Rolettemburgo, onde se vicia na roleta e perde toda sua fortuna, de modo a impedir o casamento entre o seu neto e Mlle. Blanche. Quando a fortuna se perde, inicia-se uma brutal modificação em quase todas as personagens, que mostram assim os seus fracos e os seus desequilíbrios mentais. Des Grieux desaparece e não mais é visto. Paulina enlouquece e foge também com Mr. Astley. O general fica louco, entre outros motivos por se ver completamente arruinado financeiramente e não poder mais casar com Mlle. Blanche, que amava de forma doentia, e acaba morrendo. Aleksei Ivánovitch estoura toda a fortuna que ganhara na roleta em Paris com Mlle. Blanche, dando uma autêntica réplica de como vivem os jogadores compulsivos: Gastar todo o dinheiro sem preocupações para voltar a apostar na roleta. Anos depois, Aleksei Ivánovitch encontra mister Astley na Alemanha,em Homurgo,que lhe conta que vem da parte de Paulina. Astley conta o que Paulina sentia por ele, mas afirma que Alexis, mesmo sabendo do amor de Paulina, ficará eternamente agarrado ao jogo por ser um homem destruído. O final trágico confirma-se quando Ivánovitch, recebendo uma pequena quantia do seu amigo Astley, termina a história com um conflito interior: Gastar o dinheiro para ir à Suíça ver Paulina ou gastar tudo na roleta. No final do livro Alexis gastou todo o dinheiro que recebera de Mr. Astley, ficando com apenas uma moeda. Nesse instante ele reflete se deverá usar o único tostão que possui para comer ou jogar, decide-se por jogar.

Edições[editar | editar código-fonte]

  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Guimarães, 1939.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Porto: Progredior, 1943.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Guimarães, 1946.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Porto : Crisos, 1954.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Porto: Progredior, 1956.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Guimarães, 1960.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Verbo. 1960.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador e Outras Obras. Lisboa : Estúdios Cor, 1965.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Porto: Progredior, 1965.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Verbo. 1970.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Europa-América. 1991.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Guimarães, 1999.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : AbrilControlJornal, 2000.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador: dos Apontamentos de um Jovem. Lisboa : Presença. 2001.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador: dos Apontamentos de um Jovem. Lisboa : Presença. 2002.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador: dos Apontamentos de um Jovem. Lisboa : Presença. 2004.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Público. 2004.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Relógio d'Água. 2007.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador: dos Apontamentos de um Jovem. Lisboa : Presença. 2007.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Matosinhos : Quidnovi. 2008.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. Lisboa : Relógio d'Água. 2009.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador: dos Apontamentos de um Jovem. Lisboa : Presença. 2009.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador. São Paulo : Editora 34. 2011.
  • Dostoiévski, Fiódor. O Jogador: dos Apontamentos de um Jovem. Lisboa : Presença. 2012.

Referências