Orquestra Experimental de Repertório

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Orquestra Experimental de Repertório
Logo da Orquestra Experimental de Repertório.png
Também conhecida como OER
País  Brasil
Período em atividade 1990 - presente
Gênero(s) Música erudita, instrumental
Sede São Paulo
Sala de concerto Theatro Municipal de São Paulo
Condutor principal Brasil Jamil Maluf
Diretor musical Jamil Maluf
Administrador Fundação Theatro Municipal de São Paulo
Página oficial www.theatromunicipal.org.br

A Orquestra Experimental de Repertório, também conhecida como OER, é uma orquestra brasileira sediada na cidade de São Paulo, na Praça das Artes. É um dos corpos artísticos do Theatro Municipal de São Paulo, atuando na temporada lírica do teatro em em outros espaços da cidade. Seu atual maestro é Jamil Maluf.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1990 por Jamil Maluf, a orquestra tem por objetivo a formação de músicos da mais alta qualidade. O grupo é composto por 99 instrumentistas e seu repertório é abrangente e diversificado, englobando música erudita, trilhas de cinema, música popular e espetáculos experimentais com grupos de teatro. Já se apresentou com o grupo instrumental mineiro Uakti e já foi regida pelo maestro Lorin Maazel.[1][2]

Em 2001, foi a orquestra da reestreia da ópera Carmen, de Bizet, no Teatro Alfa de São Paulo, com direção cênica de Carla Camurati.[3]

Em fevereiro de 2014 houve a troca de maestro à frente do grupo e Carlos Eduardo Moreno assumiu o cargo. Em 2017 Jamil Maluf reassumiu o cargo e atualmente segue como regente titular da OER.[4][5][6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Núcleo de Orquestras de Formação». theatromunicipal.org.br/. Consultado em 5 de novembro de 2017 
  2. Entrevista com Jamil Maluf, Guia Erudito.
  3. Folha Ilustrada, Folha de S.Paulo.
  4. Carlos Eduardo Moreno - Regente Titular PMSP - acessado em março de 2015
  5. Maestro Jamil Maluf é afastado do Teatro Municipal de São Paulo Estadão - Cultura - acessado em março de 2015
  6. Fioratti, Gustavo (17 de janeiro de 2017). «Afastados na gestão de John Neschling, regentes voltam ao Municipal de SP». Folha de S.Paulo. Consultado em 5 de novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]