Othenio Abel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Othenio Abel
Othenio Abel
Nascimento 20 de junho de 1875
Viena, Império Austro-Húngaro
Morte 4 de julho de 1946 (71 anos)
Mondsee, Áustria
Nacionalidade austríaco
Prêmios Medalha Bigsby (1911), Medalha Daniel Giraud Elliot (1920)
Campo(s) Botânica

Othenio Abel (Viena, 20 de junho de 1875Mondsee, 4 de julho de 1946) foi um botânico austríaco.[1] Junto com Louis Dollo, ele foi o fundador da "paleobiologia" e estudou a vida e o ambiente de organismos fossilizados.[2]

Foi laureado com a Medalha Bigsby em 1911 pela Sociedade Geológica de Londres[3] e com a Medalha Daniel Giraud Elliot em 1920 pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.[4]

Atividade científica[editar | editar código-fonte]

Abel estudou principalmente vertebrados fósseis. Ele era um defensor da evolução Neo-Lamarckista. Sua principal contribuição para o campo, entretanto, foi a formulação, junto com Louis Dollo, da paleobiologia, que combina os métodos e descobertas da biologia das ciências naturais com os métodos e descobertas da paleontologia das ciências da terra. A partir de 1928, Othenio Abel foi editor de uma revista dedicada à paleobiologia, a Paläobiologica.

Em 1914, Abel propôs que elefantes anões fósseis inspiraram o mito dos ciclopes gigantes, porque a abertura nasal central era considerada uma órbita ocular ciclópica.[5] Em 1920 ele foi agraciado com a Medalha Daniel Giraud Elliot da Academia Nacional de Ciências.[6] Ele também mostrou grande interesse em restos de ursos da caverna na chamada "Caverna do Dragão" perto de Mixnitz .

Abel era um defensor da ortogênese, ele acreditava que havia tendências de evolução que eram programadas internamente.[7]

Atitude política e nacional-socialismo[editar | editar código-fonte]

Já como estudante, Abel participou de motins anti-semitas na Universidade de Viena, durante a crise de Badeni em 1897. Após a Primeira Guerra Mundial, agora professor, ele expressou seu medo de uma tomada de poder por "comunistas, Sociais-democratas e Judeus e mais Judeus ligados a ambos". Conforme divulgou o jornalista Klaus Taschwer em 2012, Abel foi o responsável pela fundação de um grupo secreto de XVIII professores que buscava frustrar a pesquisa e a carreira de cientistas judeus de esquerda.[8][9] O aumento da violência de grupos de estudantes nacional-socialistas contra estudantes judeus em 1934 foi recebido com simpatia por Abel. Quando tais ataques começaram a ser dirigidos a católicos e também estudantes internacionais, Abel, agora reitor da universidade, foi forçado a se aposentar mais cedo pelo conselho austrofascista.[9] Isso o levou a emigrar para a Alemanha e aceitar o posto em Göttingen.

Ele visitou Viena novamente em 1939, após o Anschluss com a Alemanha nazista. Depois de ver como a bandeira nazista foi mostrada no prédio da universidade, ele declarou este o "momento mais feliz de sua vida". O novo regime homenageou-o com o recém-criado posto de “Senador Honorário” da Universidade - homenagem que foi rescindida após a Segunda Guerra Mundial, em 1945. Uma carta de recomendação para o Prêmio Goethe aponta como Abel sempre “lutou na a primeira linha "contra a" judaificação "da Universidade.[9][10][11] Após a guerra, ele foi mais uma vez forçado a se aposentar junto com outros proeminentes professores nazistas e passou seus últimos dias em Mondsee, então conhecido como uma espécie de "colônia nazista".

Escritos selecionados[editar | editar código-fonte]

  • Einige Monstrositäten bei Orchideenblüthen (1897)
  • Ueber einige Ophrydeen (1898)
  • Les dauphins longirostres du boldérien (miocène supérieur) des environs d'Anvers. Brussels 1901 - 1931 doi:10.5962/bhl.title.16053
  • Les odontocètes du Boldérien (miocène supérieur) d'Anvers. Brüssel 1905 doi:10.5962/bhl.title.15923
  • Fossile Flugfische (1906)
  • "Neuere Anschauungen über den Bau und die Lebensweise der Dinosaurier." Berichte der Sektion für Paläozoologie 16. Dezemb (1908): 117–22.
  • Die Morphologie der Hüftbeinrudimente der Cetaceen. Vienna 1907 doi:10.5962/bhl.title.16064
  • "Die Rekonstruktion des Diplodocus." Abhandlungen der K.K. Zoologisch-botanischen Gesellschaft in Wien 5 (1910).
  • "Über die allgemeinen Prinzipien der paläontologischen Rekonstruktion." 'Verhandlungen der zoologisch-botanische Gesellschaft zu Wien LX (1910): 141–46.
  • "Die Vorfahren der Vögel und ihre Lebensweise." Verhandlungen der zoologisch-botanische Gesellschaft zu Wien LXI (1911): 144–91.
  • Grundzüge der Paläobiologie der Wirbeltiere. Stuttgart 1912 doi:10.5962/bhl.title.61833
  • Vorzeitliche Säugetiere. Jena 1914
  • Die Tiere Der Vorwelt. Leipzig & Berlin 1914.
  • Die Paläontologie in Forschung und Lehre. Naturwissenschaften 3 (1915), 413-19
  • Paläobiologie der Cephalopoden aus der Gruppe der Dibranchiaten Jena 1916. doi:10.5962/bhl.title.46089
  • Die Stämme der Wirbeltiere. Berlin, Leipzig, 1919 doi:10.5962/bhl.title.2114
  • Lehrbuch der Paläozoologie. Jena 1920
  • Lebensbilder aus der Tierwelt der Vorzeit. Jena 1921 doi:10.5962/bhl.title.61701
  • Geschichte und Methode der Rekonstruktion vorzeitlicher Wirbeltiere. Jena 1925
  • Paläobiologie und Stammesgeschichte". Jena 1929
  • Die Stellung des Menschen im Rahmen der Wirbeltiere. 1931
  • Vorzeitliche Lebensspuren. Jena 1935
  • Die Tiere der Vorzeit in ihrem Lebensraum. Jena 1939
  • Vorzeitliche Tierreste im Deutschen Mythus, Brauchtum und Volksglauben. Jena 1939

Referências

  1. Federal Agency for Agriculture and Food[ligação inativa]
  2. https://austria-forum.org, Austria-Forum |. «Abel, Othenio». Austria-Forum (em alemão). Consultado em 18 de junho de 2021 
  3. «Bigsby Medal» (em inglês). The Geological Society of London. Consultado em 11 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2015 
  4. «Daniel Giraud Elliot Medal / Recipients» (em inglês). National Academy of Sciences. Consultado em 13 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2015 
  5. Adrienne Mayor, The First Fossil Hunters: Paleontology in Greek and Roman Times (Princeton University Press) 2000.
  6. «Daniel Giraud Elliot Medal». National Academy of Sciences. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  7. Peter J. Bowler. (1996). Life's Splendid Drama: Evolutionary Biology and the Reconstruction of Life's Ancestry, 1860-1940. University Of Chicago Press. p. 358. ISBN 978-0226069210
  8. "Hochburg des Antisemitismus", Der Standard, 12. Juni 2012
  9. a b c Klaus Taschwer, "Othenio Abel, Kämpfer gegen die "Verjudung" der Universität", Der Standard, 9. Oktober 2012
  10. Ute Deichmann: Biologen unter Hitler, As cited in: Ernst Klee: Das Personenlexikon zum Dritten Reich. Wer war was vor und nach 1945, 2. Aufl., Frankfurt a.M. 2007, S. 9, ISBN 978-3-596-16048-8.
  11. Taschwer, Klaus (2015). “Othenio Abel. Paläontologe, antisemitischer Fakultäts- und Universitätspolitiker,” In Universität - Politik - Gesellschaft, edited by Mitchell G. Ash, and Josef Ehmer, 287–92. Vienna University Press.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
John Smith Flett
Medalha Bigsby
1911
Sucedido por
Thomas Henry Holland
Precedido por
Robert Ridgway
Medalha Daniel Giraud Elliot
1920
Sucedido por
Bashford Dean


Ícone de esboço Este artigo sobre um botânico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.