Otto Jahn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Otto Jahn
Nome nativo Otto Jahn
Nascimento 16 de junho de 1813
Kiel
Morte 9 de setembro de 1869 (56 anos)
Göttingen
Cidadania Reino da Dinamarca, Reino da Prússia
Alma mater Universidade de Leipzig, Universidade Humboldt de Berlim, Universidade de Kiel
Ocupação historiador da Arte, arqueólogo, musicólogo, historiador da música, professor universitário, biógrafo, compositor, filólogo clássico, erudito clássico
Empregador Universidade de Bonn, Universidade de Leipzig, Universidade de Kiel, Universidade de Greifswald

Otto Jahn (Kiel, 16 de junho de 1813Göttingen, 9 de setembro de 1869) foi um arqueólogo, filólogo e crítico de arte da Alemanha.

Vida[editar | editar código-fonte]

Otto Jahn foi filho do advogado Jakob Jahn e, pelo lado materno, neto do professor de direito Adolf Friedrich Trendelenburg. Em 1830 seu pai o envia para famosa escola regional Pforta (Landesschule Pforta), onde o mesmo se apaixona pelos estudos de filologia clássica.

Após a conclusão dos seus estudos universitários na Universidade de Kiel (Christian-Albrechts-Universität zu Kiel), na Universidade de Leipzig e na Universidade Humboldt, de Berlim, viajou por três anos pela França e Itália. Em 1839 tornou-se professor em Kiel, e em 1842 professor extraordinário da arqueologia e filologia da Universidade de Greifswald, passando a professor ordinário em 1845.

Em 1847 aceitou a cadeira de arqueologia em Leipzig, mas foi afastado em 1851 por ter tomado parte nos movimentos políticos de 1848-1849. Em 1855 foi nomeado professor de Filologia e Arqueologia na Universidade de Bonn, e diretor do museu de arte acadêmica em Bonn. Em 1865 foi chamado para suceder Eduard Gerhard em Berlim.

Seus mais importantes alunos na Universidade foram Theodor Mommsen (em Greifswald, 1839–1842) e Ulrich von Wilamowitz-Moellendorff (em Bonn, 1867–1869).

Sua biografia de Wolfgang Amadeus Mozart surgiu em 1856, no centenário do nascimento de Mozart. O trabalho é admirado por sua abordagem acadêmica numa época em que eram a regra as biografias romantizadas. Revisada por Hermann Abert e Cliff Eisen, a obra continua uma referência. Outras de suas publicações incluem:

Sepultura no Albani-Friedhof
  • Arqueologia:
    • Palamedes (1836)
    • Telephos u. Troilos (1841)
    • Die Gemälde des Polygnot (1841)
    • Pentheus u. die Mänaden (1841)
    • Paris u. Oinone (1844)
    • Die hellenische Kunst (1846)
    • Peitho, die Göttin der Überredung (1847)
    • Über einige Darstellungen des Paris-Urteils (1849)
    • Die Ficoronische Cista (1852)
    • Pausaniae descriptio arcis Athenarum (3rd ed., 1901)
    • Darstellungen griechischer Dichter auf Vasenbildern (1861)
  • Biografia e estética:
    • Ueber Mendelssohn's Paulus (1842)
    • Biographie Mozarts
    • Ludwig Uhland (1863)
    • Gesammelte Aufsatze über Musik (1866)
    • Biographische Aufsatze (1866).

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.