Pílula exclusivamente de progestágeno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pílula exclusivamente de progestágeno
Informação
Tipo Hormonal
Primeiro uso 1973
Taxas de falha (primeiro ano)
Uso perfeito 0.5%
Uso típico ?%
Utilização
Duração do efeito 1 dia
Reversibilidade Sim
Notas Tomados nas mesmas 3 horas todos os dias
Intervalo clínico 6 meses
Vantagens e desvantagens
Proteção contra IST Não
Aumento de peso Não
Vantagens na menstruação Geralmente mais leves e menos dolorosas
Anotações clínicas
Não afetada pela maioria dos antibióticos. Podem ser usados em pacientes com hipertensão e história de enxaquecas. Afetada por alguns antiepiléticos.

As pílulas exclusivamente de progestágeno ou pílulas exclusivamente de progestina (PEP) são pílulas contraceptivas que contêm somente progestágenos (progestinas) sintéticos e não contêm estrógeno. Elas são coloquialmente conhecidas como minipílulas. Contêm progestágeno em dose baixa. Não costumam inibir a ovulação e, por isso, são menos eficazes do que as pílulas combinadas. Por outro lado, possuem menos contra-indicações e podem ser utilizadas na amamentação.