Vasectomia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vasectomia
Informação
Tipo Esterilização
Primeiro uso 1957
Taxas de gravidez (primeiro ano)
Uso perfeito 0.1 %
Uso típico 0.15 %
Utilização
Duração do efeito Permanente
Reversibilidade possível
Notas Teste de eficiência adicional: requer 2 amostras negativas de sêmen.
Intervalo clínico Nenhum
Vantagens e desvantagens
Proteção contra DST Não
Aumento de peso Não.
Benefícios Geralmente, anestesia local. Alguns estados dos Estados Unidos, como New Jersey, agora exigem anestesia geral.
Riscos Não muitos.

A vasectomia ou deferentectomia[1] é um método contraceptivo através da ligadura dos canais deferentes no homem. É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto e que não é necessário de internação. É uma cirurgia de esterilização voluntária. Este método impede que os espermatozóides se desloquem ao canal de saída, evitando assim uma gravidez.

Segurança e eficiência[editar | editar código-fonte]

As taxas de falha da vasectomia, são menores que 1%, mas a eficiência da operação e os índices de complicações variam com o nível de experiência do cirurgião que faz a operação e a técnica cirúrgica utilizada. A maioria dos homens sofrerá com pequenos problemas na pele do escroto por três a cinco dias depois da operação. Dados humanos e animais indicam que a vasectomia não aumenta a aterosclerose e que o aumento em complexos imunes circulantes após a vasectomia são temporários. Sugere-se também que homem com vasectomia não têm um risco aumentado de câncer de próstata e testículo.[2].

Embora uma falha tardia (causada pela recanalização dos ductos deferentes) seja muito rara, ela também foi documentada.[3] Algumas fontes recomendam anualmente examinar a próstata a partir dos 40 anos de idade.

A vasectomia é o método contraceptivo a longo prazo mais eficiente que existe, e está entre as opções mais seguras para o planejamento familiar. Actualmente muitos homens em seus 30 ou 40 anos são os que mais fazem a vasectomia, a fim de um controlo de natalidade. As taxas de vasectomia em relação às ligações de tuba variam muito no mundo, e as estatísticas estão baseadas principalmente em estudos de questionários do que em contagem dos procedimentos realmente realizados. Nos Estados Unidos, a ligação de tuba está a frente da vasectomia, mas não em grandes proporções. No Reino Unido, a vasectomia é mais popular que a ligação de tuba. Os casais que optam pela ligação de tuba :

  • Recusa do homem a se submeter a uma vasectomia devido ao medo dos possíveis efeitos colaterais.

Os casais que escolhem a vasectomia são motivados por, entre outros factores:[4]

  • O baixo custo e a simplicidade da vasectomia
  • Poucas complicações
  • A baixa mortalidade da vasectomia
  • Medo de cirurgia pelas mulheres
  • Conhecem homens que fizeram a cirurgia e estão satisfeitos com os resultados
  • Uma motivação mais forte pela esterilização no homem

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Definição ou significado de deferentectomia no Dicionário Infopédia de Termos Médicos». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 31 de outubro de 2016 
  2. Pamela J. Schwingl, Ph.D., and Harry A. Guess, M.D. (2000). «Safety and effectiveness of vasectomy» (PDF). Fertility and Sterility. 73 (5): 923–936 
  3. Philp, T; Guillebaud; et al. (1984). «Late failure of vasectomy after two documented analyses showing azoospermic semen». British Medical Journal (Clinical Research Ed.). 289 (6437): 77–79. PMID 6428685 
  4. William R. Finger (1998). «Attracting Men to Vasectomy». Network. 18 (3). Consultado em 5 de maio de 2006 

546556