Pandemia de gripe A de 2009 em África

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A pandemia de gripe A (H1N1), que se iniciou em 2009, entrou na África no dia 2 de junho do mesmo ano quando o Egito foi o primeiro país afetado.

O primeiro caso de gripe A (H1N1) na África se descobriu no dia 2 de junho na cidade do Cairo, Egito, numa menina de 12 anos de idade que veio dos Estados Unidos com a sua mãe.[1]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a pandemia afetou a 41 dos 53 países africanos, e 14 dos 37 países infectados registraram mortes, sem contar as dependências francesas de Reunião e Mayotte, que também registraram mortes.[2]

H1N1 Africa Map.svg
  Mortes
  Casos confirmados
  Casos suspeitos
  Sem suspeitas
H1N1 Africa Map by confirmed cases.svg
  Mais de 50.000 casos
  Mais de 5.000 casos
  Mais de 500 casos
  Mais de 50 casos
  Mais de 5 casos
  Mais de 1 caso
H1N1 Africa Map by confirmed deaths.svg
  Sem mortes
  Mais de 1 morte
  Mais de 5 mortes
  Mais de 10 mortes
  Mais de 50 mortes
  Mais de 100 mortes
  Mais de 500 mortes
  Mais de 1000 mortes
  Mais de 5000 mortes

Países africanos com casos confirmados[editar | editar código-fonte]

África do Sul África do Sul[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na África do Sul no dia 18 de junho de 2009. Este foi o terceiro país em registrar casos de gripe A no continente africano.

El Gobierno da África do Sul informou um caso de uma mulher doente de gripe que tinha vindo do México, mas que depois foi negada pelo deputado Lucille Blumberg.[3]

No dia 18 de junho de 2009, o Ministério da Saúde Pública sul-africano confirmou a existência do primeiro caso de gripe A (H1N1) no país: um menino de 12 anos procedente dos Estados Unidos.[4]

A primeira morte na África do Sul foi confirmada no dia 3 de agosto. A vítima era um estudante da Universidade de Stellenbosch.[5]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a África do Sul confirmou 12.640 casos e 93 mortes pela gripe A (H1N1), e 93 mortes.

Angola Angola[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Angola no dia 26 de agosto de 2009. Este foi o 27º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Angola confirmou 37 casos de gripe A (H1N1).

Argélia Argélia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Argélia no dia 20 de junho de 2009. Este foi o 5º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

O primeiro caso de gripe A (H1N1) confirmou-se no dia 20 de junho. Este era um cidadão argelino, residente em Frankfurt am Main, Alemanha, quem estava chegando à Argélia desde Miami, Estados Unidos.

Este primeiro caso se descobriu no Aeroporto Houari Boumediene, graças a um sistema de saúde bem avançado, usado em vários países ao redor do mundo.

Muitos imigrantes argelinos e turistas estarão chegando durante o período de uma das festas muçulmanas, aumentando o risco de contágio massivo do vírus H1N1. O primeiro caso confirmado no país (o cidadão argelino antes dito) simplesmente tinha chegado dos Estados Unidos com os seus dois filhos.[6]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Argélia confirmou 916 casos e 57 mortes pela gripe A (H1N1).

Botsuana Botsuana[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Botsuana no dia 10 de julho de 2009. Este foi o 15º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Botsuana confirmou 31 casos de gripe A (H1N1).

Burundi Burundi[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Burundi no dia 11 de novembro de 2009. Este foi o 35º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Burundi confirmou 7 casos de gripe A (H1N1).

Cabo Verde Cabo Verde[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Cabo Verde no dia 24 de junho de 2009. Este foi o 7º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Cabo Verde confirmou 118 casos de gripe A (H1N1).

Camarões Camarões[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Camarões no dia 14 de agosto de 2009. Este foi o 23º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Camarões confirmou 4 casos de gripe A (H1N1).

Chade Chade[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Chade no dia 29 de janeiro de 2010. Este foi o 38º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Chade confirmou um caso de gripe A (H1N1).

Costa do Marfim Costa do Marfim[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Costa do Marfim no dia 24 de junho de 2009. Este foi o 8º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Costa do Marfim confirmou 9 casos de gripe A (H1N1).

Egito Egito[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Egito no dia 2 de junho de 2009. Este foi o primeiro país em registrar casos de gripe A no continente africano.

O governo egípcio aumentou o número de médicos no aeroporto do Cairo, e supervisionará aos passageiros provenientes do México durante a sua estadia. O governo ordenou a massacre em massa de todos os porcos no Egito no dia 29 de abril, apesar de que o surto atual é humano (transmissível entre seres humanos). Esta é a gripe humana, que já anteriormente hibridou com a gripe aviária e a gripe suína. A Organização Mundial da Saúde Animal denominou a matança suína de "injustificada cientificamente".

O primeiro caso da novela do vírus H1N1 foi descoberto no Cairo no dia 2 de junho. O único caso foi o de uma menina procedente dos Estados Unidos com a sua mãe. Só a menina estava infectada, e a tripulação foi detida antes de sair do aeroporto. Às pressas foi levada ao hospital designado para os casos portadores do vírus H1N1, junto com todos os passageiros do avião. Todos eles submeteram-se ao exame, e os resultados saíram negativos. Sendo assim, novamente serão feitos os exames para assegurar-se de que não estão infectados. Devido à rápida ação, o Egito impediu a propagação do vírus H1N1 por enquanto.

A partir do dia 2 de junho, houve um caso confirmado da gripe A (H1N1) no Egito. O segundo caso foi descoberto no domingo 7 de junho. Mas a partir do dia 8 de junho, havia três casos confirmados da gripe A (H1N1) no Egito, e no dia 10 de junho, os casos aumentaram para 8.

No dia 11 de junho o governo egípcio confirmou 2 novos casos, aumentando para 10 o número de casos desta nova gripe.

No dia 19 de julho as autoridades egípcias anunciaram a primeira morte no país, convertendo-se na primeira vítima morta pela gripe A (H1N1) na África.[7]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Egito confirmou 15.812 casos e 273 mortes pela gripe A (H1N1).

Etiópia Etiópia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Etiópia no dia 19 de junho de 2009. Este foi o 4º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

No dia 19 de junho de 2009 o governo da Etiópia informou da presença de dois casos de gripe A (H1N1). Os casos eram duas moças de uma escola dos Estados Unidos.[8]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Etiópia confirmou 19 casos de gripe A (H1N1).

Gabão Gabão[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Gabão no dia 30 de julho de 2009. Este foi o 21º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Gabão confirmou 4 casos de gripe A (H1N1).

Gana Gana[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou em Gana no dia 19 de junho de 2009. Este foi o 4º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

No dia 28 de abril de 2009, o Ministério da Saúde, Alimentos e Agricultura começou a proibir a importação de porcos e produtos suínos.[9]

No dia 6 de agosto, Gana reportou o seu primeiro caso de gripe A (H1N1). Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), Gana confirmou 676 casos de gripe A (H1N1).

Djibouti Jibuti[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Jibuti no dia 31 de agosto de 2009. Este foi o 28º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Jibuti confirmou 9 casos de gripe A (H1N1).

Lesoto Lesoto[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Lesoto no dia 1 de setembro de 2009. Este foi o 29º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Lesoto confirmou 65 casos de gripe A (H1N1).

Líbia Líbia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Líbia no dia 6 de julho de 2009. Este foi o 12º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Líbia registrou 764 casos e uma morte pela gripe A (H1N1).

Madagáscar Madagascar[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Madagascar no dia 14 de agosto de 2009. Este foi o 24º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Madagascar confirmou 877 casos e 3 mortes pela gripe A (H1N1).

Malawi Malauí[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Malauí no dia 10 de setembro de 2009. Este foi o 30º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Malauí confirmou 4 casos de gripe A (H1N1).

Mali Mali[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Mali no dia 11 de janeiro de 2009. Este foi o 37º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Mali confirmou 12 casos de gripe A (H1N1).

Marrocos Marrocos[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Marrocos no dia 12 de junho de 2009. Este foi o segundo país em registrar casos de gripe A no continente africano.

No dia 12 de junho confirma-se o primeiro caso da influenza suína em Casablanca: uma mulher de 18 anos que voltou do Canadá, país onde ela estudava a universidade.[10]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Marrocos registrou 2.890 casos e 64 mortes pela gripe A (H1N1).

Maurícia Maurícia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou em Maurícia no dia 29 de junho de 2009. Este foi o 10º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), Maurícia confirmou 69 casos e 8 mortes pela gripe A (H1N1).

Mauritânia Mauritânia[editar | editar código-fonte]

A Mauritânia foi o 39º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Mauritânia confirmou 15 casos de gripe A (H1N1).

Mayotte Mayotte França[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou em Mayotte no dia 1 de agosto de 2009. Este foi o segundo território (dependência) em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), Mayotte confirmou 164 casos e duas mortes pela gripe A (H1N1).

Moçambique Moçambique[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Moçambique no dia 17 de agosto de 2009. Este foi o 26º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Moçambique confirmou 57 casos e duas mortes pela gripe A (H1N1).

Namíbia Namíbia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Namíbia no dia 20 de julho de 2009. Este foi o 18º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

"A Namíbia confirmou os seus dois primeiros casos de gripe A (H1N1)", disseram autoridades de saúde no dia 20 de juhio.

Ambos casos envolveram jovens que estiveram viajando por outros países. Os casos são: um menino de 13 anos de Rehoboth, Hardap, que voltou duma viagem pela África do Sul com outros 20 estudantes sul-africanos; e o outro caso é uma estudante que voltou da Europa. Neste último caso, a afectada tomou rápidamente uma ambulância desde o aeroporto internacional de Windhoek, pois ela apresentous sintomas severos de gripe.[11]

Até 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Namíbia confirmou 75 casos e uma morte pela gripe A (H1N1).

Níger Níger[editar | editar código-fonte]

O Níger foi o 40º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Níger confirmou 49 casos de gripe A (H1N1).

Nigéria Nigéria[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Nigéria no dia 29 de setembro de 2009. Este foi o 33º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 26 de março de 2010, a Nigéria confirmou 11 casos e duas mortes pela gripe A (H1N1).

Quénia Quênia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Quénia no dia 6 de julho de 2009. Este foi o 12º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

As autoridades da saúde quenianas alertaram aos viajeiros acerca da pandemia nos aeroportos Jomo Kenyatta e Moi no dia 28 de abril.

O ministro da Saúde Pública e Higiene, Beth Mugo, exortou aos viajeiros provenientes do México e Texas a se prever dos novos casos que apareceram na Califórnia e Nova Iorque.[12]

No dia 29 de junho, um estudante britânico de medicina converteu-se np primeiro caso confirmado de gripe A (H1N1) no Quênia. O estudante estava em vários campamentos médicos na província de Nyanza. O grupo do qual ele era parte, submeteu-se à quarentena no seu hotel em Kisumu, e também a tratamentos médicos.

Durante um fim de semana, houve pânico na capital Nairobi, por causa duns (torpedos SMS) que circulavam advertindo à população a se afastar do "Sarit Centran", um estabelecimento comercial popular onde outro caso suspeito tinha sido diagnosticado. Mas a amostra do paciente resultou negativa para o vírus H1N1.[13][14][15]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Quénia confirmou 417 casos de gripe A (H1N1).

República Democrática do Congo República do Congo[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na República do Congo no dia 29 de setembro de 2009. Este foi o 34º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a República do Congo confirmou 21 casos.

República Democrática do Congo República Democrática do Congo[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na República Democrática do Congo no dia 15 de agosto de 2009. Este foi o 25º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a República Democrática do Congo confirmou 222 casos de gripe A (H1N1).

Flag of Réunion.svg Reunião França[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou em Reunião no dia 29 de junho de 2009. Este foi o primeiro território (dependência) em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), Reunião confirmou 759 casos e 7 mortes pela gripe A (H1N1).

Ruanda Ruanda[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Ruanda no dia 12 de setembro de 2009. Este foi o 31º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Ruanda confirmou 482 casos de gripe A (H1N1).

São Tomé e Príncipe São Tomé e Príncipe[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou em São Tomé e Príncipe no dia 12 de setembro de 2009. Este foi o 33º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), São Tomé e Príncipe confirmou 66 casos e duas mortes pela gripe A (H1N1).

Senegal Senegal[editar | editar código-fonte]

O Senegal foi o 41º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Senegal confirmou 352 casos de gripe A (H1N1).

Seychelles Seychelles[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou em Seychelles no dia 8 de julho de 2009. Este foi o 13º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Seychelles confirmou 33 casos de gripe A (H1N1).

Somália Somália[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Somália no dia 13 de novembro de 2009. Este foi o 36º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Somália confirmou dois casos de gripe A (H1N1).

Suazilândia Suazilândia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Suazilânia no dia 29 de julho de 2009. Este foi o 20º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Suazilândia confirmou 5 casos de gripe A (H1N1).

Sudão Sudão[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Sudão no dia 16 de julho de 2009. Este foi o 17º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Sudão confirmou 145 casos e 5 mortes pela gripe A (H1N1).

Tanzânia Tanzânia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Tanzânia no dia 9 de julho de 2009. Este foi o 14º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Tanzânia confirmou 770 casos e uma morte pela gripe A (H1N1).

Tunísia Tunísia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Tunísia no dia 22 de junho de 2009. Este foi o 6º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

A Tunísia confirmou os dois primeiros casos de gripe A (H1N1) no dia 22 de junho. Ambos casos vieram dos Estados Unidos, e depois do tratamento médico recuperaram-se totalmente do vírus.[16]

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Tunísia confirmou 1.200 casos e 24 mortes pela gripe A (H1N1).

Uganda Uganda[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou na Uganda no dia 2 de julho de 2009. Este foi o 11º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), a Uganda confirmou 263 casos de gripe A (H1N1).

Zâmbia Zâmbia[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou em Zâmbia no dia 28 de julho de 2009. Este foi o 19º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), Zâmbia confirmou 726 casos de gripe A (H1N1).

Zimbabwe Zimbábue[editar | editar código-fonte]

O vírus da influenza A (H1N1) entrou no Zimbábue no dia 10 de julho de 2009. Este foi o 16º país em registrar casos de gripe A no continente africano.

Até o dia 2 de maio de 2010 (data da última atualização), o Zimbábue confirmou 1.318 casos de gripe A (H1N1).

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Países e dependências que confirmaram casos de gripe A (H1N1) na África:
País ou dependência Confirmação
do primeiro caso
Egito Egito 2 de junho de 2009
Marrocos Marrocos 12 de junho de 2009
África do Sul África do Sul 18 de junho de 2009
Etiópia Etiópia 19 de junho de 2009
Argélia Argélia 20 de junho de 2009
Tunísia Tunísia 22 de junho de 2009
Cabo Verde Cabo Verde 24 de junho de 2009
Costa do Marfim Costa do Marfim 24 de junho de 2009
Quénia Quênia 29 de junho de 2009
Maurícia Maurícia 29 de junho de 2009
Uganda Uganda 2 de julho de 2009
Líbia Líbia 6 de julho de 2009
Seychelles Seychelles 8 de julho de 2009
Tanzânia Tanzânia 9 de julho de 2009
Botsuana Botsuana 10 de julho de 2009
Flag of Réunion.svg Reunião 10 de julho de 2009
Zimbabwe Zimbábue 10 de julho de 2009
Sudão Sudão 16 de julho de 2009
Namíbia Namíbia 20 de julho de 2009
Zâmbia Zâmbia 28 de julho de 2009
Suazilândia Suazilândia 29 de julho de 2009
Gabão Gabão 30 de julho de 2009
Mayotte Mayotte 1 de agosto de 2009
Gana Gana 6 de agosto de 2009
Camarões Camarões 14 de agosto de 2009
Madagáscar Madagascar 14 de agosto de 2009
República Democrática do Congo República Democrática do Congo 15 de agosto de 2009
Moçambique Moçambique 17 de agosto de 2009
Angola Angola 26 de agosto de 2009
Djibouti Jibuti 31 de agosto de 2009
Lesoto Lesoto 1 de setembro de 2009
Malawi Malauí 10 de setembro de 2009
Ruanda Ruanda 12 de setembro de 2009
São Tomé e Príncipe São Tomé e Príncipe 12 de setembro de 2009
Nigéria Nigéria 29 de setembro de 2009
República Democrática do Congo República do Congo 29 de setembro de 2009
Burundi Burundi 11 de novembro de 2009
Somália Somália 13 de novembro de 2009
Mali Mali 11 de janeiro de 2010
Chade Chade 29 de janeiro de 2010
Países e dependências que confirmaram mortes pela gripe A (H1N1) na África:
País ou dependência Confirmação
da primeira morte
Egito Egito 19 de julho de 2009
África do Sul África do Sul 3 de agosto de 2009
Maurícia Maurícia 10 de agosto de 2009
Flag of Réunion.svg Reunião 1 de setembro de 2009
Namíbia Namíbia 7 de setembro de 2009
Madagáscar Madagascar 8 de setembro de 2009
Moçambique Moçambique 14 de setembro de 2009
Tanzânia Tanzânia 6 de outubro de 2009
Mayotte Mayotte 15 de outubro de 2009
Sudão Sudão 18 de outubro de 2009
São Tomé e Príncipe São Tomé e Príncipe 25 de outubro de 2009
Marrocos Marrocos 16 de novembro de 2009
Tunísia Tunísia 16 de novembro de 2009
Argélia Argélia 27 de novembro de 2009
Líbia Líbia 30 de novembro de 2009
Nigéria Nigéria 5 de janeiro de 2010

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Egipto detecta primer caso de influenza H1N1 en Africa: OMS». Soitu.es. 8 de julho de 2009. Consultado em 2 de junho de 2009 
  2. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome ECDC
  3. 2 suspected swine flu cases in SA Arquivado em 3 de julho de 2009, no Wayback Machine., News24, Abril 29, 2009
  4. Doarop de Mallorca. 18 de junho de 2009 http://www.diariodemallorca.es/secciones/noticia.jsp?pRef=2009061800_9_475856__Actual-Sudafrica-confirma-primer-caso-gripe. Consultado em 19 de julho de 2009  Parâmetro desconhecido |tittle= ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  5. Cape Times [1]
  6. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 31 de outubro de 2009 
  7. La Verdad. 19 de julho de 2009 http://www.laverdad.com/detavance.php?CodAvance=22062. Consultado em 19 de julho de 2009  Parâmetro desconhecido |tittle= ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  8. Rioja 2. 19 de julho de 2009 http://www.rioja2.com/diario/44524-702-18-Primeros_casos_de_gripe_AH1N1_en_Sudafrica_y_Etiopia. Consultado em 19 de julho de 2009  Parâmetro desconhecido |tittle= ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  9. «Ghana bans importation of pork and pork products». Ghana Broadcasting Corporation. 28 de abril de 2009. Consultado em 30 de abril de 2009 
  10. Reuters, "Morocco confirms first H1N1 flu case -ministry", 12 June 2009 (accessed 14 June 2009)
  11. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 22 de julho de 2009 
  12. [2]
  13. [3]
  14. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 24 de setembro de 2009 
  15. [4]
  16. Associated Press, "Grippe A/H1N1: deux premiers cas en Tunisie" Arquivado em 25 de junho de 2009, no Wayback Machine., 22 June 2009 (accessed 22 June 2009)