Patrícia Saboya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Patrícia Saboya Gomes)
Ir para: navegação, pesquisa
Patrícia Saboya
Deputada estadual do Ceará Ceará
Período 2°-1 de fevereiro de 2011
até 1º de janeiro de 2015
1°-1º de janeiro de 1999
até 31 de dezembro de 2002
Senadora pelo Ceará Ceará
Período 1º de fevereiro de 2003
até 1º de fevereiro de 2011
Vereadora de Fortaleza Bandeira de Fortaleza.svg
Período 1º de janeiro de 1997
até 31 de dezembro de 1998
Dados pessoais
Nascimento 10 de outubro de 1962 (54 anos)
Sobral, CE
Casamento Ciro Gomes (1983-1999)
Partido PDT
Profissão Política e Pedagoga
linkWP:PPO#Brasil

Patrícia Lúcia Saboya Ferreira Gomes ou Patrícia Lúcia Mendes Saboya (Sobral, 10 de outubro de 1962) é uma política e pedagoga brasileira.

É a terceira filha de José Saboia Neto e de Maria Marly Mendes Saboia, neta paterna do ex-senador Plínio Pompeu e tetraneta de Vicente Alves de Paula Pessoa. Foi esposa de Ciro Gomes, seu aliado político, ao lado de quem foi primeira-dama do estado e da capital cearense. É mãe de três filhos com ele: Lívia, Ciro e Yuri.[1]

Vida política[editar | editar código-fonte]

O primeiro cargo eletivo foi o de vereadora de Fortaleza, em 1996, então pelo PSDB obtendo 21 839 votos, a mais votada. Em 1998 elegeu-se deputada estadual do Ceará, agora pelo PPS com 79 739 votos. Em 2000, concorreu à prefeitura de Fortaleza, chegando em 4º lugar, com 17% dos votos válidos.

Em 2002 concorre a uma das duas vagas ao Senado pelo Ceará, e entra para a história como a primeira mulher eleita senadora do estado com 1 864 404 votos. E foi a segunda mulher a representar o Ceará no Senado Federal, após a posse da suplente caririense Alacoque Bezerra.

Filiou-se ao PSB em 2005 mas trocou de legenda novamente em setembro de 2007 pelo PDT.

Em 2008, candidatou-se novamente a prefeitura de Fortaleza mas obtém o terceiro lugar com 15,47% dos votos.

Atua pelos direitos da mulher e contra a exploração sexual de menores. É autora do projeto que virou lei para ampliação da Licença maternidade para seis meses.[2]

Coordena a Frente Parlamentar pela Defesa dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, e é relatora de uma das subcomissões da criança, adolescente e juventude. Preside a CPI da exploração sexual.

Foi eleita novamente deputada estadual do Ceará em 3 de outubro de 2010, a mais votada do partido, o PDT com 63 704 votos.

Em 2011 Patrícia Saboya foi considerada um dos trinta cearenses mais influentes do ano, de acordo com uma enquete realizada pela revista Fale!.[3]

Em 27 de fevereiro de 2014, a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará aprova a indicação de Patrícia Saboya, com 35 votos a favor, para conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Em seguida à eleição, declarou que todos "ficassem tranquilos", pois analisaria com imparcialidade as contas dos irmãos Gomes. Em 12 de março, Patrícia assumiu o cargo, nomeada pelo então governador Cid Gomes, seu ex-cunhado. [4]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Patrícia Saboya