Vicente Alves de Paula Pessoa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vicente Alves de Paula Pessoa
Dados pessoais
Nascimento 29 de março de 1828
Sobral, Bandeira da Província do Ceará Província do Ceará
Morte 31 de março de 1889 (61 anos)
Sobral, Bandeira da Província do Ceará Província do Ceará
Nacionalidade  Brasileiro
Partido Partido Liberal[1]

Vicente Alves de Paula Pessoa (Sobral, 29 de março de 182831 de março de 1889) foi jurista, magistrado e político brasileiro. Foi vice-presidente das províncias do Rio Grande do Norte, de 27 de julho a 30 de julho de 1863, e do Ceará, de 29 de fevereiro a 4 de abril de 1864. Foi também senador do Império do Brasil de 1882 a 1889.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Natural de Sobral, era o primogênito dos seis filhos do comboeiro (depois senador do Império) Francisco de Paula Pessoa e de Francisca Maria Carolina de Paula Pessoa, filha do coronel Vicente Alves da Fonseca e de Antônia Geracina Pinto de Mesquita (prima-irmã da mãe de Tomás Pompeu de Sousa Brasil). Pelo lado paterno, era sobrinho do revolucionário João de Andrade Pessoa Anta, que participou da Confederação do Equador.

Formou-se em Direito, a 25 de novembro de 1850, na Faculdade de Olinda, na mesma turma que seu meio-irmão mais velho, Leocádio de Andrade Pessoa (depois desembargador do Tribunal de Relação do Maranhão), e, voltando à província, encetou a carreira da magistratura como juiz municipal do Ipu, para que foi nomeado por decreto de 2 de março de 1852. Foi também juiz municipal de Fortaleza (dec. de 4 de junho de 1852); juiz de direito de Lagarto, em Sergipe (dec. de 11 de setembro de 1858); de São José de Mipibu, no Rio Grande do Norte; de Saboeiro, de Aracati e de Sobral no Ceará. De juiz de direito de Sobral, cargo que ocupou de 1865 a 1876, passou a desembargador da Relação do Pará. Nomeado por dec. de 18 de dezembro de 1875, prestou juramento e entrou em exercício a 24 de fevereiro do ano seguinte. Ainda por dec. de 3 de agosto de 1878, foi escolhido presidente da dita Relação dando-se-lhe o título de conselho por decreto de 22 de março de 1879, e, por dec. de 21 de outubro de 1880, foi aposentado, a seu pedido, com as honras de ministro do Supremo Tribunal de Justiça.

Em 6 de julho de 1863, foi escolhido para ser primeiro vice-presidente da Província do Rio Grande do Norte, e governou-a por dias, e como segundo vice-presidente do Ceará, para o que fora nomeado por dec. de 6 de fevereiro de 1864, assumiu a administração a 29 do dito mês. Um dos votados na lista nônupla de 1881, foi escolhido senador pelo Ceará por carta imperial de 2 de maio; anteriormente, em 1878, entrara na lista, mas o Senado anulou a eleição a que se procedera.

Vicente Alves foi casado três vezes. A primeira vez, em Fortaleza, a 20 de outubro de 1852, com Maria Barbosa, filha do major Simão Barbosa Cordeiro, descendente do fidalgo português Antônio Barbosa Cordeiro (pai de Frutuoso Barbosa Cordeiro, donatário da Paraíba), e de Ana Mendes Barbosa. Com o falecimento de Maria, Vicente Alves casou-se pela segunda vez, em 4 de fevereiro de 1865, com a cunhada Ana Barbosa. Viúvo novamente, casou-se em terceiras núpcias, em Canindé, a 5 de junho de 1870, com Mariana Barbosa de Magalhães, filha do capitão Manuel Luís de Magalhães e de Bernardina Barbosa Cordeiro. Segundo o historiador cônego Francisco Sadoc de Araújo, o senador gostava de dizer, a respeito de suas três esposas, o seguinte trocadilho: Casei-me com Maria, Ana e Mariana.

Do primeiro casamento, nasceram-lhe oito filhos:

  1. Francisco Barbosa de Paula Pessoa (1853 - 1943), jornalista, magistrado, jurista e político;
  2. Ana Barbosa de Paula Pessoa (1854 - 1876);
  3. Simão Barbosa de Paula Pessoa (*1856);
  4. Vicente Alves de Paula Pessoa Filho (*1857), engenheiro;
  5. Francisca Barbosa de Paula Pessoa (1859 - 1870), falecida aos onze anos vitimada por coqueluche;
  6. Tomás Barbosa de Paula Pessoa (1861 - 1903), jornalista;
  7. Maria Barbosa de Paula Pessoa (*1862), falecida em criança;
  8. Maria Barbosa de Paula Pessoa (*1864)

Do segundo casamento, uma prole de dois filhos:

  1. José Barbosa de Paula Pessoa (1866 - 1894);
  2. João Barbosa de Paula Pessoa (*1868), advogado;

Finalmente, do terceiro matrimônio, apenas uma filha:

  1. Francisca Magalhães de Paula Pessoa (1871 - 1889), falecida em criança.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Antônio Galdino da Cunha
Presidente da província do Rio Grande do Norte
1863
Sucedido por
Olinto José Meira
Precedido por
José Antônio Machado
Presidente da província do Ceará
1864
Sucedido por
Lafayette Rodrigues Pereira


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.