Roger Bastide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Roger Bastide (Nîmes, 1 de abril de 1898Maisons-Laffitte, 10 de abril de 1974) foi um sociólogo francês.

Em 1938 integrou a missão de professores europeus à recém-criada Universidade de São Paulo[1], para ocupar a cátedra de sociologia. No Brasil, estudou durante muitos anos as religiões afro-brasileiras, tornando-se um iniciado[2] no candomblé da Bahia. Apesar de sua aproximação com as religiões afro-brasileiras o sociólogo era protestante, Bastide era membro da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo.[3]

Uma de suas obras mais importantes é O Candomblé da Bahia, reeditada em 2001 pela editora Companhia das Letras. Outra obra que merece destaque é As Américas negras: as civilizações africanas no Novo Mundo, editada pela EDUSP em 1974.

Formação[editar | editar código-fonte]

Formou-se pela faculdade de Letras de Bordeaux e pela Sorbonne. Antes de fixar-se no Brasil, escreveu "Problèmes de la vie mystique" (1931) e "Éléments de sociologie" (1936).[4].

Como membro da "missão francesa" contratada para núcleo do corpo docente da Faculdade de Filosofia de São Paulo, lecionou quase vinte anos no Brasil (1937-1954), onde recebeu o título de "doutor honoris causa" pela Universidade de São Paulo. Foi membro das sociedades de sociologia e psicologia de São Paulo, de antropologia no Rio de Janeiro, de folclore no Rio Grande do Norte, e do Instituto Histórico do Ceará.[4]

Em 1973, Bastide reeditou "Brasil, terra de contrastes". Em seguida, aposentado, trabalhou no Centro de Psiquiatria Social em Paris, fundado por ele. O seu último livro, "Sociologia da desordem mental", utilizou resultados de pesquisas deste Centro.[4]

Pelos serviços prestados à cultura brasileira e à cooperação cultural Brasil-França, foi agraciado com a Ordem do Cruzeiro do Sul.[4]

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • « Problèmes de la vie mystique » (Problemas da vida mística), 1931
  • « Éléments de sociologie religieuse » (Elementos de sociologia religiosa), 1935
  • « Le rire et les courts-circuits de la pensée » (O riso e os curtos-circuitos do pensamento), em Jean Pouillon e Pierre Maranda (dir.). Trocas e comunicações: misturas ofertas a Claude Lévi-Strauss por ocasião de seus 60 anos de idade, p. 953-963, La Haye ; Paris, Mouton, 1970.
  • As Américas negras: as civilizações africanas no Novo Mundo (trad. de Les Amériques noires: les civilisations africaines dans le Nouveau Monde’’), EDUSP, 1974.
  • Brésil, terre des contrastes (Brasil, terra dos contrastes), 1957, Éditions L'Harmattan.
  • O Candomblé da Bahia (tradução: Le Candombé da Bahia), Companhia das Letras, reeditado em 2001.
  • Éléments de sociologie religieuse (Elementos de sociologia religiosa), 1935, Éditions Stock, 1997, 206 páginas
  • Les Haïtiens en France (avec Françoise Morin et François Raveau) (Os Haitianos na França(com Françoise Morin e François Raveau), Éditions Walter de Gruyter, 1975.
  • Initiation aux recherches sur les interpénétrations de civilisations (Iniciação às pesquisas sobre as interpenetrações de civilizações), Éditions Bastidiana, 1998.
  • La Notion de personne en Afrique noire (A Noção de pessoa na África negra), 1973.
  • « Le principe d'individuation. Contribution à une philosophie africaine » (O princípio da individuação. Contribuição para uma filosofia africana), colóquio internacional do Centre national de la recherche scientifique CNRS, Éditions L'Harmattan, 1993, páginas 33-43.
  • Poètes du Brésil (Poetas do Brasil),(1946), traduzido por C. Ritui, Éditions Bastidiana, Hors-Série n°7, 2002.
  • Poètes et Dieux. Études afro-brésiliennes (Poetas e Deuses. Estudos afro-brasileiros), 1973, prefácio de Roberto Motta, Editions L'Harmattan, 2002.
  • Les Problèmes de la vie mystique (Problemas da vida mística), 1931, Presses universitaires de France, « Quadrige », n°226.
  • Psychanalyse du Cafuné (Psicanálise do Cafuné), 1941, prefácio de François Raveau, traduzido por C. Ritui, éditions Bastidiana, 1996.
  • La Psychiatrie sociale (A Psiquiatria social) (1949), Éditions Bastidiana, Hors-Série n°5, 1999.
  • Les Religions africaines au Brésil (As Religiões africans no Brasil), 1960, prefácio de Georges Balandier, Presses universitaires de France, 1995.
  • Le Rêve, la transe et la folie (Sonho, transe e loucura),(1972), prefácio de F. Laplantine, Éditions Le Seuil, « Point-Essais », 2003.
  • Le Sacré sauvage (O Sagrado selvagem),(1975), prefácio de Henri Desroche, Éditions Stock, 1997.
  • Sens et usage du terme structure dans les sciences sociales (dirigé par R.B.) (1962), « Introduction à l'étude du mot structure », Éditions Walter de Gruyter, 1972.
  • Sociologie des maladies mentales (Sociologia das doenças mentais) (1965), Éditions Flammarion, 1965.
  • Sociologie et psychanalyse (Sociologia e psicanálise) (1948), Presses universitaires de France, « Quadrige », 1995.
  • « Mémoire collective et sociologie du bricolage »(Memória coletiva e sociologia da bricolagem), Année sociologique 1970, (retomado em Bastidiana, 1994.
  • L’Ethnohistoire du nègre brésilien (A Etno-história do negro brasileiro), Bastidiana, 1993.
  • Images du Nordeste mystique en noir et blanc (Imagens do Nordeste místico em preto e branco) (1945), introdução, tradução e notas de Charles Beylier, Pandora éditions, 1978.

Publicações sobre o Brasil[editar | editar código-fonte]

  • Psicologia do cafuné (1941)
  • A poesia afro-brasileira (1943)
  • Imagens do nordeste místico em branco e preto (1945)
  • Estudos afro-brasileiros, 3 volumes (1946, 51 e 53)
  • Arte e sociedade (1946)
  • Sociologia e psicanálise (1948)
  • Relações raciais entre negros e brancos em São Paulo (em colaboração com Florestan Fernandes
  • Brasil, terra de contrastes (1957)
  • As religiões africanas no Brasil 2 volumes (1958)

Sobre Roger Bastide[editar | editar código-fonte]

  • Mon ami Roger Bastide (Meu amigo Roger Bastide) de Paul Arbousse-Bastide, publicado em Communautés 1976.
  • Œuvre brésilienne de Roger Bastide (Obra brasileira de Roger Bastide), Paris, tese de doutorado do terceiro grau, Escola de Altos estudos em ciências sociais, 1960 (xerox).
  • Denise Dauty: « Roger Bastide, bibliographie »(Roger Bastide, bibliografia), 1921 - 1974. Paris, Cahiers d'anthropologie, número especial, 1978.
  • Henri Desroche, « Roger Bastide. L'homme et son œuvre »(Roger Bastide. O homem e sua obra). S. Paulo, Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, USP, n. 20, 1978.
  • (em português) Trindade, Liana Mª Salvia. A produção intelectual de Roger Bastide. Análise documentária e indexação. S. Paulo, Centro de Estudos de Sociologia da Arte, USP, 1985 (xerox).

Referências

  1. Roger Bastide, professor da Universidade de São Paulo
  2. Iniciação no candomblé
  3. CALVIANI, Carlos Eduardo Brandão. «Protestantismo liberal, ecumênico, revolucionário e pluralista no Brasil - um projeto que ainda não se extinguiu». Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Horizonte: Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião. doi:10.5752/P.2175­5841.2015v13n40p1896. ISSN 2175-5841. Consultado em 23 de dezembro de 2016  soft hyphen character character in |doi= at position 15 (ajuda)
  4. a b c d Barsa. Enciclopaedia Britannica Consultoria Editorial Ltda. Volume 3, Pg. 506. São Paulo (1994).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em francês, cujo título é «Roger Bastide».


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.