Ruína de Pedra (Sítio do Morro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ruína de Pedra

Ruína de Pedra do Sítio do Morro são os alicerces de pedra de uma antiga casa de moinho hidráulico construído por volta de 1620 e 1625 na então Vila de Santana de Parnaíba.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

A benfeitoria pertenceu ao português Antonio Furtado de Vasconcellos produtor de trigo, que em seu testamento legou para sua esposa Benta Dias que era filha da fundadora da cidade Suzana Dias e irmã de André Fernandes.[1][3]

O local foi redescoberto em 2013, e pelas ruínas é possível identificar que no local foi construído um equipamento de grande porte para moagem de grãos. Santana de Parnaíba possuia os maiores trigais da Capitania de São Vicente no século XVII.[4]

Referências

  1. a b Francisco Andrade (abril de 2014). «As ruínas do Sítio do Morro - Um importante moinho de trigo da era das bandeiras». Vitruvius, Arqueologia Paulista. Consultado em 10 de agosto de 2019 
  2. «Política Cultural - Plano Diretor 2005/2006 (para período 2006/2013)» (PDF). Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba. Consultado em 10 de agosto de 2019 
  3. Edison Veiga (13 de junho de 2014). «Pesquisadores encontram ruína de moinho colonial». O Estado de São Paulo. Consultado em 10 de agosto de 2019 
  4. Francisco de Carvalho Dias de Andrade. «A presença dos moinhos hidráulicos no Brasil». Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, vol.23 no.1 São Paulo Jan./June 2015. Consultado em 10 de agosto de 2019 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Inventário de Antonio Furtado de Vasconcellos – 1628, Inventários e testamentos, vol. VII, p. 18.
  • Inventário de Benta Dias – 1658. AESP, Juízo Ordinário e dos Órfãos (Santana do Parnaíba) C00478A.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]