Sagitta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Flecha

Sagitta constellation map.svg
Nome latino
Genitivo

Sagitta
Sagittae

Abreviatura Sge
 • Coordenadas
Ascensão reta
Declinação
20 h
+18°
Área total 80° quadrados
 • Dados observacionais
Visibilidade
- Latitude mínima
- Latitude máxima
- Meridiano
 
-70°
+90°
Setembro
Estrela principal
- Magn. apar.
Gama Sagittae
3,47
Outras estrelas
- Magn. apar. < 3
- Magn. apar. < 6
 
0
-
 • Chuva de meteoros

Não possui

 • Constelações limítrofes
Em sentido horário:

Sagitta é uma constelação fracamente visível, porém distinta, do hemisfério celestial norte. O nome em latim significa flecha, e não deve ser confundida com a constelação de Sagitário, significativamente maior. Embora Sagitta seja uma constelação antiga, não possui nenhuma estrela mais brilhante que a terceira magnitude, e tem a terceira menor área entre todas as constelações, superando somente Equuleus e Crux. Foi incluída entre as 48 constelações listadas no século II por Ptolomeu, sendo uma das 88 constelações definidas pela União Astronómica Internacional. Localizada a norte do equador, Sagitta can pode ser observada a partir de qualquer ponto da Terra, excepto do Círculo Polar Antárctico.

A gigante vermelha Gamma Sagittae é a estrela mais brilhante da constelação, com uma magnitude aparente de 3.47. Foram encontrados planetas em dois dos seus sistemas estelares.

Mitologia[editar | editar código-fonte]

Sagitta segundo a mitologia, esta teria sido a flecha usada por Apolo para matar os Cíclopes.[1]


Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço relacionado ao Projeto Astronomia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Referências