Sathya Sai Baba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Śri Sathya Sai Baba
Nome completo Sathyanarayana Raju
Nascimento 23 de novembro de 1926
Puttaparthi, em Madras, na
Flag of Imperial India.svg Índia Britânica
Morte 24 de abril de 2011 (84 anos)
Puttaparthi, em Andhra Pradesh, na  Índia
Nacionalidade Indiano
Lema: "Amar a Todos, Servir a Todos
Ajudar Sempre, Ferir Jamais."[1]

Śri Sathya Sai Baba (em telugu: సత్య సాయిబాబా), nome de nascimento Sathyanarayana Raju (23 de novembro de 1926 – 24 de abril de 2011[2][3]), nasceu em uma pequena aldeia localizada no Sul da Índia, aproximadamente 170 km ao norte de Bangalore. Era um guru, líder espiritual, místico, filantropo e educador[4], considerado por muitos como um avatar (encarnação na forma humana de um ser divino).[5] Ele próprio dizia ser a reencarnação de Shirdi Sai Baba, um religioso eclético indiano do século XIX venerado tanto por hindus quanto por muçulmanos.[2][6][7][8] Também dizia que, futuramente, seria Prema Sai Baba, quando o planeta Terra viveria em um mundo de paz.

Na metade final do século XX, alcançou tremenda popularidade ao redor do mundo e se transformou num ícone cultural. Sua compaixão, sabedoria e generosidade produziam profundas mudanças de caráter e conduta naqueles que o seguiam. A materialização de vibhuti (cinza sagrada para os hindus) e outros pequenos objetos como anéis, colares e relógios por Sathya Sai Baba[9] era fonte tanto de e fama como também de críticas e controvérsias: devotos consideravam-nas como sinais de divindade, enquanto céticos as viam como simples truques de mágica.[10] Sua fotografia costuma ser exibida em milhares de casas, amuletos e nos painéis dos carros, pois sua imagem é considerada por muitos como sinal de boa sorte.

Vida[editar | editar código-fonte]

Desde a infância, demonstrou extraordinárias qualidades e poderes que o distinguiam das demais crianças. Aos 14 anos, o menino comunicou, a seus familiares, que, a partir daquele momento, seria conhecido como Sai Baba e que sua missão seria a de promover a regeneração espiritual da humanidade, demonstrando e ensinando os mais elevados princípios, como a Verdade, a Retidão, a Paz, a Não violência e o Amor Divino. Anos mais tarde, quando perguntado com que idade havia deixado casa e família, Sai Baba respondeu: "Como poderia Eu, cujo lar é este Universo, haver abandonado casa e família?"

Sathya Sai Baba em 1996

Em 1950, seus seguidores construíram um ashram (comunidade espiritual) próximo à aldeia onde Sai Baba nasceu, o qual foi denominado Prasanthi Nilayam (Morada da Paz Suprema). O ashram veio a se converter em um lugar de peregrinação para milhões de pessoas, de diversas origens. Na própria Índia, Sai Baba conquistou seguidores de diversas classes sociais, sempre ajudou aos pobres, se referindo aos de espírito. Em suas mensagens, se referiu ao amor como sendo a principal fonte de contato com o divino.[10]

Também estimulava a prática religiosa das pessoas, não importa qual religião fosse, pois ele achava que todas as religiões eram, no fundo, uma só, constituindo-se todas elas apenas em diferentes caminhos que conduziam a um mesmo fimː Deus.[11] Sai Baba era um ícone cultural na Índia; em 2002, considerava ter devotos em 178 países[12][13], incluindo presidentes e primeiros-ministros. Em 2011, pouco antes de sua morte, Sathya Sai Baba foi listado entre as 100 pessoas de maior influência espiritual no mundo.[14][15]

Sai Baba morreu em 24 de abril de 2011 em Puttaparthi, após prolongado internamento hospitalar.[3] Foi enterrado com honras do Estado da Índia e milhões de pessoas foram ao seu ashram para as cerimónias do funeral.

Organização Sathya Sai[editar | editar código-fonte]

Sathya Sai Baba

A mensagem de Sai Baba tem inspirado a criação de milhares de Centros Sai em todo o mundo, além de colégios, escolas técnicas, centros de educação em Valores Humanos, universidades, hospitais, centros de assistência médica etc. As instituições criadas sob a inspiração de Sai Baba têm bastante influência na política indiana, prestam atendimento totalmente gratuito e são bem conhecidas na Índia e em diversos Países.

A Organização Sathya Sai informa que existem mais de 1 200 Centros Sai Baba em 126 países.[16] Entretanto, o número de seguidores ativos de Sathya Sai Baba é difícil de se determinar.[6] Estimativas variam de 6 milhões[17] até 100 milhões.[9]

Sathya Sai Baba fundou um grande número de escolas, faculdades, hospitais e outras instituições de caridade na Índia e em outros países. O valor total do seu patrimônio é estimado em 400 bilhões de rupias (9 bilhões de dólares estadunidenses).[18][19][20]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Baba, Sathya Sai (2008). Sadhana: o Caminho Interior Best Seller [S.l.] ISBN 9788577012695. 
  • Murphet, Howard (2006). Sai Baba - O Homem dos Milagres Nova Era [S.l.] ISBN 8577010805. 
  • Krystal, Phyllis (1998). Sai Baba - A Experiência Suprema Nova Era [S.l.] ISBN 9788577011513. 
  • Roof, Jonathan (2000). Caminhos para Deus. Um guia de estudos dos ensinamentos de Sri Sathya Sai Baba CC&P [S.l.] ISBN 8586493295. 
  • Orefiaerd, Curth (1999). Bhagavan Sri Sathya Sai Baba, Meu Divino Mestre Masdras [S.l.] ISBN 8573742437. 

Referências

  1. FUNDAÇÃO SAI BABA. Ensinamentos de Sri Sathya Sai Baba. Imperial Novo Milênio, 2000. ISBN 9788521508632
  2. a b Edwards, Linda (2001). Um Breve Guia para Crenças: Ideias, Teologias, Mistérios, e Movimentos. Westminster John Knox Press. p. 137. ISBN 0-664-22259-5.
  3. a b Morre na Índia líder religioso Sathya Sai Baba do site G1 (acesso em 24 de abril de 2011)
  4. Richard Weiss, Victoria University of Wellington – O Guru Global: Sai Baba e os Milagres da Modernidade; Disponível em: http://www.nzasia.org.nz/downloads/NZJAS-Dec05/7_2_2.pdf (em inglês)
  5. Balakrishnan, Deepa (23 de novembro de 2007). «Sai Baba turns 82, is still going strong». CNN-IBN. Consultado em 07 de setembro de 2011. 
  6. a b Babb, Lawrence A. (1991). Redemptive Encounters: Three Modern Styles in the Hindu Tradition (Seção biográfica disponível online – veja em google book search (em inglês).: University of California Press). pp. 164–166. ISBN 0-520-07636-2. 
  7. Lochtefeld, James G. (2002). A Enciclopédia Ilustrada do Hinduísmo (Vol. 2 N-Z). Nova Iorque: Rosen. ISBN 0-8239-2287-1.(pg 583)
  8. Nagel, Alexandra. "Een mysterieuze ontmoeting ...: Sai Baba en mentalist Wolf Messing". Tijdschrift voor Parapsychologie 368, vol. 72 nr 4 de dezembro de 2005, pp. 14–17 (nota: Nagel é uma seguidora crítica).
  9. a b The Economist, "Sai Baba", 12 de maio de 2011, p. 110.
  10. a b Urban, Hugh B.. (2003). "Avatar da Nossa Era: Sathya Sai Baba e as Contradições Culturais do Capitalismo Recente". Religion 33 (1). Elsevier.
  11. MURPHET, H. Sai Babaː o Homem dos Milagres. Tradução do professor Hermógenes. 6ª edição. Rio de Janeiro. Record. 1993. p. 241.
  12. Bradsher, Keith (2002-12-01). «A Friend in India to All the World». The New York Times [S.l.: s.n.] Consultado em 13 de janeiro de 2010. 
  13. Palmer, Norris W. "Baba's World". In: Forsthoefel, Thomas A.; Humes, Cynthia Ann (eds.) (2005). Gurus in America (Albany, NY: State University of New York Press). pp. 97–98. ISBN 0-7914-6574-8. 
  14. [1]
  15. [2]
  16. Sathyasai.org. «Organização Sai: Números de Centros Sai e Nomes de Países» (em inglês). Consultado em 07092011. 
  17. Adherents citado por George Chryssides. Explorando Novas Religiões. Londres, UK: Cassells (1999) (10 milhões)
    Brown, Mick (28 de outubro de 2000). Acesso em 12 de março de 2007
  18. «Sathya Sai Baba passes away, leaves behind Rs 40,000-cr worth empire with no clear succession plan» Economic Times [S.l.] citação: Sai Baba deixa um rede mundial de instituições de caridade, hospitais, escolas, faculdades, que estão estimadas em cerca de 40 bilhões de rupias.
  19. Amarnath K. Menon (25 de abril de 2011). «Up in the Heir: The secret world of Sathya Sai Baba's Rs 40,000 cr empire» India Today [S.l.] Consultado em 9 de junho de 2011. 
  20. Indo-Asian News Service (24 de abril de 2011). «Sai Baba's death leaves question mark on Rs 40,000 crore empire» Deccan Herald [S.l.] Consultado em 9 de junho de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons