Siamês (gato)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Gato siamês
País de origem  Tailândia

Gato siamês é uma raça de gato oriental, caracterizada por um corpo elegante e longilíneo e uma cabeça marcadamente triangular [1]. Pode ser confundido com a raça de gatos thai que tem origem na raça siamesa mas apresenta uma morfologia bem distinta. Aconselháveis para uma família, são tipicamente esbeltos e são precisos poucos cuidados com seus pelos.

Origem[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que a origem exata da raça seja o Sudoeste Asiático[2], mais especificamente o Sião (atual Tailândia),[3] onde eram tidos como o gato da realeza[4] e mantidos em templos sagrados. São conhecidos naquele país, onde são uma de várias raças nativas, como Wichien-Maat ou Maas (วิเชียรมาศ, "Diamante-Lua"). De lá foram levados para a Inglaterra, em 1884, de onde se espalharam para outras partes do mundo[5]. Em 2007, uma variação dos gatos siameses conhecida popularmente como Old Style ou Traditional foi finalmente reconhecida peon como uma nova raça a parte, a de gatos thai. Os siameses compartilham com essa raça a coloração âmbar e castanha, além dos olhos azuis, mas se distinguem genética e morfologicamente com várias diferenças que os tornam híbridos individuais. Os gatos siameses existem desde 1330, data em que aparecem mencionados em um manuscrito do Sião (atual Tailândia). No Sião, os gatos siameses estavam reservados à família real e como tal, estavam sendo cuidadosamente guardados no palácio. No entanto, na primeira grande exposição felina na Grã-Bretanha, em 1871, foram apresentados dois exemplares desta raça.

Em 1884 um casal de gatos siameses (Pho e Mia) foram transportados para a Grã-Bretanha e foi desse casal, que nasceram os primeiros campeões coroados. Os gatos siameses atuais são bastante diferentes do gato siamês original, que era mais maciço e arredondado, podendo ter olhos verdes, ser mais estrábico, e ter um nó na cauda.

Características físicas[editar | editar código-fonte]

Pelagem[editar | editar código-fonte]

Curta, macia e aderente ao corpo, textura fina, mas densa e brilhante.

Cor[editar | editar código-fonte]

As cores podem variar da seguinte forma:

  • Corpo: branco (enquanto crias), branco sujo ou mesmo creme, por vezes castanho claro também pode ser possivel.
  • Extremidades: focinho, cauda, orelhas e patas com castanho muito escuro (quase preto), cor de chocolate, e raramente azul (acinzentado) ou lilás (acinzentado).[6]

As características mais marcantes são as zonas de coloração mais escura, que cobrem a face, orelhas, pernas, patas, cauda e no saco escrotal (no caso de ser um macho). Essas zonas, também chamadas de "pontas", "marcações", "marcas" ou "sinais" e são identificadas com o termo inglês adotado universalmente: points ou colourpoints. A cor do point contrasta com a do resto do corpo que é branco ou sombreado.[7]

As cores mais escuras resultam de uma mutação numa enzima, a tirosinase, envolvida na produção de melanina[8] . Esta enzima mutada é sensível à temperatura, o que quer dizer que só é ativa nas zonas mais frias (por norma as extremidades) ficando essas áreas escuras porque só é produzida a melanina nessas regiões. Mais recentemente têm sido apresentadas outras variações.

Corpo[editar | editar código-fonte]

O siamês tem um corpo longilíneo e esbelto, de porte médio, com membros posteriores longos e finos, levemente mais altos do que os anteriores; pés pequenos e ovais; musculatura forte. As fêmeas pesam entre 3,0 e 4,0 kg e o macho entre 4,0 e 5,0 kg. O siamês moderno deve ter a cabeça em forma de triângulo perfeito - larga na altura dos olhos e menor na ponta, na direção do queixo, com contornos delicados; pescoço alongado; orelhas de base larga terminadas em ponta; nariz longo e recto como uma continuação da fronte. Os olhos são oblíquos em forma de amêndoa, inclinados na direção do nariz, e são sempre de cor azul. A cauda é longa, fina, em forma de fuso, pontiaguda na extremidade, mas há casos que a cauda é peluda seguindo as características de seu corpo.[9]

Comportamento[editar | editar código-fonte]

Pelagem de um gato siamês

Principalmente, no período dos cios, emite miados e uivos pouco graciosos, semelhantes aos de uma criança recém-nascida. A elegância do corpo e a graça dos movimentos conquistaram ao siamês o título de "Príncipe Dos Gatos" (por Fernand Méry), mas é o miado forte e a personalidade incomum que realmente o distinguem. Em relação ao dono, ele se comporta mais como um cão do que como um gato - pode passear atado numa coleira e chega a exibir o comportamento típico de "ir buscar"[10]. É fiel, ciumento e altamente inteligente, ademais gosta de ser acariciado, especialmente na zona do pescoço[11]. Como todo gato, ele, às vezes, pode agir de modo incomum, em um instante é capaz de passar da maior frieza às mais vibrantes expressões de afeto.

A fêmea requer cuidados especiais. No cio, ela fica quase histérica. Pode rolar pelo chão, gemendo, ou correr pela casa, rasgando e arranhando tudo o que encontrar pela frente[12]. Ela deve acasalar mais cedo possível. Um mês depois do acasalamento, as suas tetas começam a inchar e os filhotes podem ser sentidos no seu ventre. Eles nascem brancos e vão mudando de cor à medida que crescem, são muito brincalhões, preguiçosos e carinhosos eles começam com a cor de pelo um pouco dourado que com o tempo vai escurecendo.

Um gato siamês em seu ambiente doméstico.

Tratamentos[editar | editar código-fonte]

Escovação cotidiana da pelagem. É necessária uma escova de dureza média, que possa tirar os resíduos e a poeira, mas sobretudo os chamados "pelos mortos", bastante numerosos no período da muda. Posteriormente uma escova mais macia para alisar a pelagem e mantê-la agradável.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

A fêmea atinge a puberdade antes das outras raças. Com cinco meses tem o primeiro cio e corre o risco de ficar prenha. As ninhadas, quase sempre numerosas, constumando ser em média de 4 a 6 filhotes[13]. Apresentam filhotes quase brancos, sendo que a cor se desenvolverá, escurecendo, gradualmente, durante a infância.

Apesar de adoecer mais facilmente do que as outras raças, o siamês, normalmente, tem vida longa, podendo chegar aos quinze anos e, às vezes, até aos vinte anos.[14][15]

Problemas de saúde[editar | editar código-fonte]

Gato siamês com estrabismo excessivo

Saúde ruim, obstruções nasais, má formação da parte inferior do focinho que é curto, bochechas largas, cabeça com predominância excessiva de marrom, membros fracos, robustez ou magreza excessiva, manchas no ventre ou olhos de cor que não seja azul e estrabismo excessivo, cauda curta em forma de gancho, pés brancos e calculos na bexiga, são muito comuns. O gato siamês sofre muito de complicações nos rins e pode ter dificuldades para urinar o que requer um acompanhamento do veterinário com prescrição de remédios injetáveis.[16][17]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.tica.org/pt/
  2. name="clutterbuck">Clutterbuck, Martin R. (2004). Siamese Cats: Legends and Reality (Bangkok: White Lotus). ISBN 974-480-053-4. 
  3. Encyclopaedia Britannica, verbete Siamese (breed of cat).
  4. About siamese cats (em inglês)
  5. http://www.rbhayes.org/hayes/manunews/paper_trail_display.asp?nid=65&subj=manunews
  6. http://www.life-with-siamese-cats.com/siamese-cat-colors.html
  7. http://www.tiendasmascotas.com/felinos/gato-siames.html (em Espanhol)
  8. D. L. Imes; et al. (April 2006). «Albinism in the domestic cat (Felis catus) is associated with a tyrosinase (TYR) mutation» (Short Communication). Animal Genetics [S.l.: s.n.] 37 (2): 175–8. doi:10.1111/j.1365-2052.2005.01409.x. PMC 1464423. PMID 16573534. Consultado em 2006-05-29. 
  9. http://www.comportamientoanimal.com/razas-de-gatos/Siam%E9s.html (em Espanhol)
  10. Myrna M. Milani, D.V.M. (1987). The Body Language and Emotion of Cats (New York: Quill). ISBN 0-688-12840-8. 
  11. http://www.siamesecatsuk.co.uk/index.php?ref=64
  12. http://www.achetudoeregiao.com.br/animais/gato_siames.htm
  13. https://www.mundodosanimais.pt/gatos/gatos-siameses/
  14. http://www.estimacao.com.br/gato-siames-caracteristicas-fotos-e-cuidados-especiais/
  15. http://www.vetstreet.com/cats/siamese#0_ryz4d6cf
  16. Egenvall, A.; Nødtvedt, A.; Häggström, J.; Ström Holst, B.; Möller, L.; Bonnett, B. N. (2009). "Mortality of Life-Insured Swedish Cats during 1999—2006: Age, Breed, Sex, and Diagnosis". Journal of Veterinary Internal Medicine 23 (6): 1175–1183. doi:10.1111/j.1939-1676.2009.0396.x. PMID 19780926
  17. Egenvall, A.; Bonnett, B. N.; Häggström, J.; Ström Holst, B.; Möller, L.; Nødtvedt, A. (2010). "Morbidity of insured Swedish cats during 1999–2006 by age, breed, sex, and diagnosis". Journal of Feline Medicine & Surgery 12 (12): 948–959. doi:10.1016/j.jfms.2010.08.008

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gato siamês