Simca Chambord

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Simca Chambord
Visão Geral
Nomes
alternativos
Simca Rallye; Simca Jangada e Simca Présidence
Produção 19581967[1]
Fabricante Simca
Modelo
Classe automóvel de passeio
Carroceria três volumes
Ficha técnica
Motor 8 cilindros em V - cilindrada total: 2351 cm³ (2,35 l)
Transmissão três velocidades
Layout Motor dianteiro, tração traseira
Modelos relacionados Simca Vedette
Dimensões
Comprimento 4750 mm
Entre-eixos 2690 mm
Largura 1770 mm
Altura 1450 mm
Peso 1215 Kg

Simca Chambord foi um automóvel produzido pela Simca francesa entre 1958 e 1961, desenvolvido a partir do Simca Versailles. Seu estilo lembrava muito os automóveis Ford americanos de 1955-56, tendo sido originalmente um projeto desenhado pela Ford norte-americana em Dearborn, EUA, para sua subsidiária francesa. Com a aquisição do controle da Ford da França pela Simca em 1954, acabou sendo lançado por esta no mercado francês. Foi o primeiro automóvel de luxo a ser construído no Brasil sob licença, desde 1959 até 1967.[1] O Chambord também marcou uma época por ser o veículo usado pelo ator Carlos Miranda, protagonista da popular série de TV O Vigilante Rodoviário.

Deficiências[editar | editar código-fonte]

Apesar de sua boa aparência, a primeira versão do Chambord tinha o desempenho comprometido pelo motor Aquilon, um antigo V8 de válvulas no bloco, herança da Ford francesa e que já havia sido abandonado pela Ford norte-americana, o que lhe valeu o apelido jocoso de "O Belo Antônio" (bonito, mas impotente). Além disso, atrasos da Simca em atender as exigências do GEIA dificultaram o acesso da empresa em conseguir créditos, o que causou severa falta de peças. A Simca acabou ganhando uma séria reputação de má qualidade, a qual nunca conseguiu resolver. Em 1964, carroceria do Chambord foi reformulada e recebe o motor Tufão de 100 hp.

Variantes[editar | editar código-fonte]

O Simca Présidence foi a versão luxuosa do Simca Chambord. Tinha calotas raiadas (tipo as do Maserati 250F), pneu estepe atrás do porta-malas, cores exclusivas e bancos de couro. Recebeu em 1965 o motor V8 do Tufão, de 110 hp e, no final de 1966, o motor V8 Emi-Sul de 140 hp.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

"Simca Chambord" é o nome de uma canção da banda brasileira Camisa de Vênus, que fazia uma homenagem ao veículo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «História Simca Chambord». Consultado em 29 de janeiro de 2009. As versões Chambord, Présidence e Présidence contudo, continuaram a ser construídas sob licença pela Simca do Brasil até 1967 [ligação inativa]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Simca Chambord
Ícone de esboço Este artigo sobre automóveis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.