Sistema Hepburn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O sistema de romanização Hepburn (Japonês: ヘボン式, Hebon-shiki) foi desenvolvido pelo Reverendo James Curtis Hepburn para transcrever os sons da Língua japonesa para o Alfabeto romano para seu dicionário japonês–inglês, publicado em 1867. Este sistema foi posteriormente revisado e chamado de Shūsei Hebon-shiki (修正ヘボン式). A versão revisada é algumas vezes chamada de Hyōjun-shiki (標準式) (estilo padrão).

As variantes original e revisada do Hepburn são os métodos mais populares de transcrição do japonês. Este método dá a melhor indicação de como as palavras são pronunciadas no japonês moderno. Os japoneses que se familiarizaram com o alfabeto romano através do estudo da Língua inglesa tendem a achar o Hepburn mais cômodo do que o sistema Kunrei-shiki.

Legalidade[editar | editar código-fonte]

O sistema Hepburn é baseado na fonologia da língua inglesa, e não do japonês, e por isso encontra alguns opositores no Japão. Em 21 de setembro de 1937 o governo proclamou um sistema alternativo conhecido por Kunrei como a romanização oficial do Japão para todas as situações, mas este sistema foi derrubado durante a Ocupação do Japão do pós-guerra. Uma nova revisão (pequenas alterações) foi lançada em 1954.

Em 1972, uma versão revisada do sistema Hepburn foi codificado como padrão ANSI Z39.11-1972. Foi proposto então em 1989 como um substitutivo para o ISO 3602, mas rejeitado em favor do sistema Kunrei. O padrão Z39.11-1972 foi declarado obsoleto em 6 de outubro de 1994.

Entretanto, apesar de não ser o padrão de jure, o sistema Hepburn permanece como o padrão de facto. No Japão, praticamente todas as indicações oficiais (placas de ruas, avisos, informações, etc) são romanizadas pelo sistema Hepburn. A Japan Railway e todos os outros sistemas de transporte (ônibus, metrô, outras companhias férreas, companhias aéreas, etc) utilizam o sistema Hepburn. Placas e informações em prefeituras, delegacias de polícia, templos, pontos turísticos, jornais, canais de televisão, publicações do Ministério das Relações Exteriores e guias também utilizam o sistema Hepburn. Estudantes estrangeiros da língua japonesa quase sempre aprendem o sistema Hepburn.

Diagramas da romanização Hepburn[editar | editar código-fonte]

Para hiragana[editar | editar código-fonte]

a i u e o (ya) (yu) (yo)
ka ki ku ke ko きゃ kya きゅ kyu きょ kyo
sa shi su se so しゃ sha しゅ shu しょ sho
ta chi tsu te to ちゃ cha ちゅ chu ちょ cho
na ni nu ne no にゃ nya にゅ nyu にょ nyo
ha hi fu he ho ひゃ hya ひゅ hyu ひょ hyo
ma mi mu me mo みゃ mya みゅ myu みょ myo
や ya ゆ yu よ yo
ra ri ru re ro りゃ rya りゅ ryu りょ ryo
わ wa ゐ i ゑ e を wo
n
ga gi gu ge go ぎゃ gya ぎゅ gyu ぎょ gyo
za ji zu ze zo じゃ ja じゅ ju じょ jo
da (ji) (zu) de do ぢゃ (ja) ぢゅ (ju) ぢょ (jo)
ba bi bu be bo びゃ bya びゅ byu びょ byo
pa pi pu pe po ぴゃ pya ぴゅ pyu ぴょ pyo

Para padrão katakana[editar | editar código-fonte]

ア a イ i ウ u エ e オ o (ya) (yu) (yo)
カ ka キ ki ク ku ケ ke コ ko キャ kya キュ kyu キョ kyo
サ sa シ shi ス su セ se ソ so シャ sha シュ shu ショ sho
タ ta チ chi ツ tsu テ te ト to チャ cha チュ chu チョ cho
ナ na ニ ni ヌ nu ネ ne ノ no ニャ nya ニュ nyu ニョ nyo
ハ ha ヒ hi フ fu ヘ he ホ ho ヒャ hya ヒュ hyu ヒョ hyo
マ ma ミ mi ム mu メ me モ mo ミャ mya ミュ myu ミョ myo
ヤ ya ユ yu ヨ yo
ラ ra リ ri ル ru レ re ロ ro リャ rya リュ ryu リョ ryo
ワ wa ヰ i ヱ e ヲ wo
ン n
ガ ga ギ gi グ gu ゲ ge ゴ go ギャ gya ギュ gyu ギョ gyo
ザ za ジ ji ズ zu ゼ ze ゾ zo ジャ ja ジュ ju ジョ jo
ダ da ヂ (ji) ヅ (zu) デ de ド do ヂャ (ja) ヂュ (ju) ヂョ (jo)
バ ba ビ bi ブ bu ベ be ボ bo ビャ bya ビュ byu ビョ byo
パ pa ピ pi プ pu ペ pe ポ po ピャ pya ピュ pyu ピョ pyo

Para katakana estendido[editar | editar código-fonte]

Esses são usados principalmente para representar os sons em palavras em outras línguas. A maior parte desses não são formalmente padronizados.[carece de fontes?]

イェ ye
ウィ wi ウェ we ウォ wo
ヷ va ヸ vi ヹ ve ヺ vo
ヴァ va ヴィ vi ヴ vu ヴェ ve ヴォ vo
シェ she
ジェ je
チェ che
ティ ti トゥ tu
テュ tyu
ディ di ドゥ du
デュ dyu
ツァ tsa ツェ tse ツォ tso
ファ fa フィ fi フェ fe フォ fo
フュ fyu
  • † — Os caracteres em vermelho são obsoletos no japonês moderno.
  • ‡ — Os caracteres を / ヲ wo deve ser escrito o foneticamente quando usado como partícula no japonês moderno.
  • Parênteses — Os caracteres em parênteses são usados somente quando o rendaku ocorre em ち/チ chi ou つ/ツ tsu.

Características da Romanização pelo Hepburn[editar | editar código-fonte]

Partículas[editar | editar código-fonte]

  • Caso he へ seja usada como uma particula deve-se ler "e"
  • Caso ha は seja usada como uma particula deve-se ler "wa"
  • Caso wo を seja usada como uma particula deve-se ler "o"

Vogais Longas[editar | editar código-fonte]

As vogais longas são o encontro de duas vogais, no que seria considerado na língua portuguesa como uma mesma sílaba.

No Hepburn tradicional e no revisado as regra são:

  • Todas as vogais longas são indicadas por macrons ou normais.

Ex: "ā,ē,ī,ō,ū" ou "a,e,i,o,u"

  • Todas as terminações de vogais longas de "o" terminadas em "u" são iguais a "ō" ou apenas "o"

No Hepburn modificado:

  • Todas as vogais longas são indicadas pela repetição da vogal e o "ou" é pronuciado.

Ex: "aa,ee,ii,oo,uu"

  • Todas as vogais longas também podem ser caracterizadas por um "h", exceto antes de uma outra vogal ou "y".

Ex: "ah,eh,ih,oh,uh"

O n silábico[editar | editar código-fonte]

No Hepburn tradicional:

  • O n (ん) é escrito como n antes de consoantes, mas usasse o n' (com apóstrofo) antes de vogais e y. Ele é escrito como m antes de outras consoantes labiais, b, m, e p.

No Hepburn revisado:

  • O m antes de consoantes labiais não é usado, e antes de vogais e y ele se mantem com a escrita n com apóstrofo.

No Hepburn modificado:

  • O n silábico sempre é usado n com um macron (), da mesma forma que é usado para indicar vogais longas no Hepburn tradicional.

Consoantes duplas[editar | editar código-fonte]

No Hepburn tradicional e revisado:

  • Consoantes duplas (ou "geminadas") são escritas com um sokuon, っ, antes da sílaba, menos para shssh, chtch, tstts e suas variantes.

No Hepburn modificado:

  • O chi com sokuon pode ser romanizado cchi.