Soraia Chaves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Soraia Chaves
Desfilando no Portugal Fashion em 2005.
Nascimento 22 de junho de 1982 (35 anos)
Besteiros, Portugal
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação atriz e modelo
Outros prêmios
Globo de Ouro (2008)
IMDb: (inglês)

Soraia Chaves (Besteiros, 22 de Junho de 1982) é atualmente atriz e modelo portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1997 ganhou o concurso Elite Model Look Portugal com 15 anos, o que lhe possibilitou a entrada no mundo da moda tendo sido modelo durante 12 anos.

Paralelamente desenvolveu a atividade de

Atualmente trabalha essencialmente como atriz, sendo a atriz de telenovelas mais bem paga em Portugal, a par de Alexandra Lencastre.

A sua estreia como atriz aconteceu com o papel da protagonista Amélia no filme O Crime do Padre Amaro. A sua interpretação neste filme, que foi um grande sucesso em Portugal, deu-lhe fama imediata e virou as atenções nacionais para a ex-modelo.

Em 2006 participa na série Aqui não Há Quem Viva da SIC.

Soraia venceu o Globo de Ouro de melhor actriz em 2007, pelo seu desempenho no filme Call Girl.[1]

Após 2007 continuou a sua carreira de atriz no cinema e na televisão portugueses embora tenha vivido em Madrid durante 3 anos para estudar representação.[2] Participa na mini-série Barcelona, Cidade Neutral, uma produção espanhola.

Em 2008 teve uma participação especial na telenovela Jura. Em 2009 participa em A Vida Privada de Salazar.

Volta a trabalhar com António-Pedro Vasconcelos no filme A Bela e o Paparazzo'' de 2010, para o qual pintou o cabelo de loiro. Venceu o prémio de Actores de Cinema da Fundação GDA (Cooperativa de Gestão dos Direitos dos Artistas), relativo a 2009, pelo papel desempenhado no filme «Salazar - A Vida Privada».

Entra na série "Perdidamente Florbela", baseada no filme de Vicente Alves do Ó, como mãe de Florbela Espanca.

Em 2012 foi ao Festival de Veneza promover a co-produção portugesa e francesa Linhas de Wellington,[3] filme em que Raúl Ruíz trabalhava quando morreu, e que foi completado pela sua viúva Valeria Sarmento.

Nesse ano aceitou participar na novela Dancin' Days, resultado da parceria SIC/TV Globo e um remake de uma novela da Globo dos anos 70. A novela esteve no ar entre junho de 2012 e setembro de 2013 e foi um grande sucesso de audiências.

Em 2014 participou no filme brasileiro Vermelho Russo que foi filmado na Rússia.[4]

Em 2015 fez parte do elenco principal da novela Poderosas da SIC.

Em 2015, deu voz a "Scarlet", vilã no filme "Mínimos".

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Outros
  • Ponto Morto – André Godinho - 2014
  • La Chambre Jaune – André Godinho - 2012
  • Divisão Social do Trabalho” - Fátima Ribeiro - 2011

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Soraia Chaves