Soraia Chaves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações.
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Soraia Chaves
Desfilando no Portugal Fashion em 2005.
Nascimento 22 de junho de 1982 (34 anos)
Besteiros, Portugal
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação atriz e modelo
Outros prêmios
Globo de Ouro (2008)
IMDb: (inglês)

Soraia Chaves (Besteiros, 22 de Junho de 1982) é uma actriz e modelo portuguesa. É a atriz de telenovelas mais bem paga em Portugal, a par de Alexandra Lencastre.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1997 ganhou o concurso Elite Model Look Portugal com 15 anos. Depois foi modelo durante 8 anos.

A sua estreia como atriz aconteceu com o papel da protagonista Amélia no filme O Crime do Padre Amaro. A sua interpretação neste filme, que foi um grande sucesso em Portugal, deu-lhe fama imediata e virou as atenções nacionais para a ex-modelo.

Em 2006 participa na série Aqui não Há Quem Viva da SIC.

Soraia venceu o Globo de Ouro de melhor actriz em 2007, pelo seu desempenho no filme Call Girl[1].

Após 2007 continuou a sua carreira de atriz no cinema e na televisão portugueses embora tenha vivido em Madrid durante 3 anos para estudar representação[2]. Participa na mini-série Barcelona, Cidade Neutral, uma produção espanhola.

Em 2008 teve uma participação especial na telenovela Jura. Em 2009 participa em A Vida Privada de Salazar.

Volta a trabalhar com António-Pedro Vasconcelos no filme A Bela e o Paparazzo de 2010, para o qual pintou o cabelo de loiro. Venceu o prémio de Actores de Cinema da Fundação GDA (Cooperativa de Gestão dos Direitos dos Artistas), relativo a 2009, pelo papel desempenhado no filme «Salazar - A Vida Privada».

Entra na série "Perdidamente Florbela", baseada no filme de Vicente Alves do Ó, como mãe de Florbela Espanca.

Em 2012 foi ao Festival de Veneza promover a co-produção portugesa e francesa Linhas de Wellington[3], filme em que Raúl Ruíz trabalhava quando morreu, e que foi completado pela sua viúva Valeria Sarmento.

Nesse ano aceitou participar na novela Dancin' Days, resultado da parceria SIC/TV Globo e um remake de uma novela da Globo dos anos 70. A novela esteve no ar entre junho de 2012 e setembro de 2013 e foi um grande sucesso de audiências.

Em 2014 participou no filme brasileiro Vermelho Russo que foi filmado na Rússia[4].

Em 2015 fez parte do elenco principal da novela Poderosas da SIC.

Em 2015, deu voz a "Scarlet", vilã no filme "Mínimos".

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Outros
  • Ponto Morto – André Godinho - 2014
  • La Chambre Jaune – André Godinho - 2012
  • Divisão Social do Trabalho” - Fátima Ribeiro - 2011

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Soraia Chaves