Rita Blanco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rita Blanco
Nome completo Rita Gouveia Blanco
Nascimento 11 de janeiro de 1963 (55 anos)
Ocupação atriz
Atividade 1983 - presente
Cônjuge José Nascimento
Outros prêmios
Globos de Ouro
Melhor Atriz de Cinema

Prémio Autores de 2012

Prémios Áquila
Melhor Atriz Secundária de Cinema
  • Os Maias - Cenas da Vida Romântica (2014)

Prémio Sophia de 2018

Rita Gouveia Blanco[1] (Oeiras, 11 de janeiro de 1963) é uma atriz portuguesa.

É considerada uma das melhores atrizes portuguesas.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Uma das mais bem sucedidas atrizes portuguesas, Rita Blanco estreou-se como atriz profissional em 1983, no Teatro da Cornucópia, ao integrar o elenco da peça Mariana Espera Casamento, de Jean-Paul Wenzel, sob a direcção de Luís Miguel Cintra. Dois anos depois, em 1985, concluia o Curso de Teatro (Formação de Atores e Encenadores) da Escola Superior de Teatro e Cinema (ex-Conservatório Nacional).

Voltando à Cornucópia participou nas peças Perversões de David Mamet, dirigida por Miguel Guilherme e José Pedro Gomes; Antes que a Noite Venha de Eduarda Dionísio, com Adriano Luz; Sangue no Pescoço do Gato de Fassbinder, com Luís Miguel Cintra.

Em 1989 participou em Como é Diferente o Amor em Portugal, adaptação da obra de Júlio Dantas, dirigida por Fernando Gomes. Em 1991, a sua participação na peça Nunca Nada de Ninguém de Luísa Costa Gomes, encenado por Ana Tamen, valeu-lhe a nomeação para o Prémio Garrett para a Melhor Interpretação Feminina (1991). Em 1997 participou em Peter Pan de James Barrie, encenado por António Pires, no São Luiz.

Destaque no percurso de Rita Blanco tem a sua colaboração com o realizador e encenador João Canijo. Com ele trabalhou no teatro (1988 - Crimes do Coração de Beth Henley; 1987 - Jogos de Praia de Whitehead; 1994 - Confissões ao Luar de Eugene O'Neill; 2002 - Sete Vidas de Rosa Lobato de Faria), no cinema (1988 - Três Menos Eu (Festival Les Stars De Demain); 1990 - Filha da Mãe; 2001 - Ganhar a Vida; 2004 - Noite Escura) e na televisão (1990 - Alentejo sem Lei; 1996 - Sai da Minha Vida). Por duas vezes, a participação em projetos de João Canijo levaram-na a ser distinguida nos Globos de Ouro, na categoria de Melhor Actriz de Cinema, com Ganhar a Vida e Sangue do meu Sangue.

Ainda no cinema foi dirigida por João Botelho (2014 - Os Maias; 1994 - Três Palmeiras; 1999 Tráfico; 2003 - A Mulher Que Acreditava Ser a Presidente dos Estados Unidos da América; 2005 - O Fatalista), João Mário Grilo (1998 - Longe da Vista; 2002 - A Falha; 2000 - 451 Forte), José Nascimento (2000 - Tarde Demais), Teresa Villaverde (1998 - Os Mutantes), Manoel de Oliveira (1998 - Inquietude), João César Monteiro (1992 - O Último Mergulho) ou Jorge Silva Melo (1987 - Agosto; 1985 - Ninguém duas Vezes).

Na televisão, depois de aparecer na série A Mala de Cartão (1988), ingressou no coletivo de Herman José, participando em Casino Royal (1989) e Crime na Pensão Estrelinha (1990); voltando a colaborar com o humorista dez anos depois, num telefilme dedicado ao personagem Serafim Saudade, intitulado Serafim Saudade - o regresso do Herói (2001). A partir da década de 1990, além da já referida série Sai da Minha Vida, que protagonizou com Miguel Guilherme, foram as séries Médico de Família (1998/2000) e A Minha Sogra é uma Bruxa (2003), bem como a telenovela Tempo de Viver (2006) de Rui Vilhena (a sua estreia na TVI e em telenovelas), que a aproximaram do grande público. Mais recentemente, Conta-me como Foi (2007-2009), uma série de época que recriava a Lisboa dos anos 60, em pleno Estado Novo e na qual voltou a fazer par com Miguel Guilherme revelou-se um êxito, para o público e para a crítica televisiva. Ainda na década de 90 foi co-apresentadora, com Henrique Mendes e Catarina Furtado, do concurso Caça ao Tesouro (1994).

Em 2011, dois anos depois do fim de Conta-me como Foi regressa à televisão, trabalhando ao mesmo tempo nos três canais portugueses generalistas: primeiro na sitcom da SIC A Família Mata; depois no telefilme da TVI O Profeta; e por fim na segunda temporada da Série da RTP Maternidades. Em 2015 surge no elenco principal de outro projeto de sucesso, a novela prime time da SIC Coração d'Ouro.

Foi homenageada no Festival de Santa Maria da Feira em 2004. Em 2012, foi considerada, na Gala SPAUTORES, a melhor atriz de cinema, devido à sua interpretação no filme Sangue do meu Sangue. Em 2014, foi homenageada com Prémio Fénix (Carreia) na Cerimónia dos Prémios Áquila. Além desta homenagem, por escolha popular, foi premiada na Categoria de Melhor Atriz Secundária na mesma cerimónia devido à participação no filme Os Maias - Cenas da Vida Romântica.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Dobragens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lista de associados da Audiogest» (PDF). Actividades Culturais/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 24 de dezembro de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]