Rua Sésamo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde setembro de 2014).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Rua Sésamo
Sesame Street
Rua Sésamo (PT)
Informação geral
Formato Série
Duração 30 minutos
País de origem  Portugal
Idioma original Português
Exibição
Emissora de televisão original RTP1 e RTP2
Transmissão original 6 de novembro de 1989 - 27 de maio de 1996
N.º de episódios 440

Rua Sésamo é a versão portuguesa do programa infantil norte-americano Sesame Street. Foi exibida pelos canais RTP1 e RTP2 entre os dias 6 de novembro de 1989 a 27 de maio de 1996. No total foram 440 episódios transmitidos, cada um durando 30 minutos.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1987, Carlos Pinto Coelho o Director de Programas da RTP, Fernando Lopes o Director das co-produções e Clara Alvarez a Directora Adjunta da RTP2, começaram as negociações com a Children's Television Workshop - CTW - (actualmente Sesame Workshop) para a adaptação e produção do formato americano criado em 1968, nos Estados Unidos, "Sesame Street" para a RTP.

Em Junho desse ano a RTP e a CTW organizaram um seminário conjunto com especialistas em várias áreas do desenvolvimento infantil e da televisão para a infância tanto de Portugal como dos países africanos de língua oficial portuguesa. O objectivo desse seminário era a explicação do processo de produção do programa e dos seus objectivos educativos. Participaram nesse evento entre outros Maria Emilia Brederode Santos, que viria a ser a Directora Pedagógica das quatro séries produzidas; Maria do Céu Roldão; Sérgio Niza; António Torrado, que viria a ocupar-se da coordenação dos textos da primeira série; Ana Maria Viera de Almeida; Bártolo Paiva Campos e Manuel Petronio, que seria o produtor principal da série. Da parte da CTW estavam presentes Luthrelle Horne e David Chantaloup.

Mais tarde um grupo mais restrito delineou as personagens e criou uma orientação para o cenário, um jardim urbano tradicional - o Jardim da Parada em Campo de Ourique foi uma das referências - mas também um sinal de modernidade com as Torres das Amoreiras, então muito polémicas, ao fundo. Maria Alberta Meneres baptiza o Poupas, boneco que representava a criança de 5 anos, espectadora foco dos criativos, Clara Alvarez sugeriria o nome de André para uma das personagens e seria António Torrado quem se lembraria do nome de Ferrão para o mal disposto da série, o boneco que lembrava que a vida nem sempre é maravilhosa. Maria Emilia Brederode Santos escolhia os 52 objectivos educativos que a série devia conter e organizava-os num alinhamento pedagógico que era entregue aos escritores e animadores ao qual António Torrado deu o nome doméstico de "Folha de Assentos". A equipa pedagógica e criativa esteve em Nova Iorque para escolher os segmentos de animação, bonecos manipulados e imagem real americanos que poderiam ser adaptados na série portuguesa e ainda para se dar conta do percurso de produção pelo qual o projecto teria de passar.

Durante dois anos, equipas de guionistas, animadores, (foram encomendadas 3h de animação divididas em segmentos de 1') tradutores, compositores e pedagogos escreveram, desenharam, traduziram, musicaram, discutiram, corrigiram segmentos de estúdio, imagem real, canções e adaptações dos segmentos americanos. Ermelinda Duarte e Cláudia Cadima traduziram, António Feio dirigiu as dobragens e Ramón Galarza compôs e adaptou as musicas (Cuca Roseta foi, aos 10 anos, uma das intérpretes de algumas canções).

As gravações da parte de estúdio (neste formato todos os segmentos foram produzidos em Portugal) começaram depois de um workshop feito por Kermit Love ter escolhido os manipuladores dos bonecos Poupas e Ferrão. Luis Velez meteu-se na pele do Poupas e outros dois manipuladores meterem-se no barril do Ferrão. A equipa de actores incluía Fernanda Montemor, Vítor Norte, António Anjos (que faleceu imediatamente antes da exibição da 4ª e última série), Fernando Gomes, Pedro Wilson, Lucia Maria e Alexandra Lencastre que, em 1992, assinou pela SIC e foi substituída por Rita Loureiro na 4ª série. Manuel Varela foi o realizador da primeira série.

Um dos componentes fortes da série era a ligação com a África. O realizador da parte de imagem real, Ricardo Nogueira, liderou uma equipa que filmou durante dois meses nos cinco países de língua oficial portuguesa e dois meses em Portugal. Infelizmente numa das filmagens para mostrar o rio Mondego o helicóptero caiu tendo morrido uma parte da equipa, incluindo Helena Castanheira uma das produtoras da série.

Em 6 de Novembro de 1989 a "Rua Sésamo" estreia na RTP1, no horário de acesso ao Telejornal, repetindo de manhã. Foi exibida em todos os países africanos de língua oficial portuguesa, ensinando o abecedário com as letras K,Y,e W e muitas outras coisas úteis às crianças de 3 a 6 anos.

Por sete anos ouviu-se na RTP a canção "Vem brincar, traz um amigo teu...", do luso descendente Joe Raposo.

Durante a produção das quatro séries verificaram-se várias alterações dos profissionais que produziram e realizaram a "Rua Sésamo". Na segunda série João Aguiar lidera a equipa de escritores. Fernanda Cabral e Olga Toscano, José Poiares e Rui Nunes asseguraram a realização de outras séries. Manuel Petronio e Maria Emilia Brederode Santos mantiveram-se sempre como produtor e Directora Pedagógica.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão em Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.