Taxonomia de gênero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A taxonomia de gênero é uma classificação da gama de diferentes níveis nos quais seres humanos variam em relação aos caracteres sexuais que possam apresentar. É principalmente utilizada por especialistas médicos que trabalham na área de sexologia.[1] John Money e Milton Diamond são, provavelmente, os pesquisadores mais conhecidos nesta área. Money defendeu seu PhD em pesquisa sobre hermafroditismo e pseudo-hermafroditismo humanos, agora conhecidos como condições intersexo. A taxonomia começa em seu nível mais simples, o nível biológico, e rastreia diferenciações expressas em níveis cada vez mais complicados produzidos no decorrer do ciclo de vida humano.

Símbolo de macho
Símbolo de fêmea
Símbolo transgênero (preto e branco)
Símbolo alternativo de sexualidade baseado no enlace de Whitehead.
Nível Possibilidades
Cromossomos
Gônadas
Hormônios
Genitais
Caracteres sexuais secundários
  • caracteres físicos dimórficas que não são partes diretas do sistema reprodutor
  • outras que não caracteres primários
Estrutura cerebral
  • tipos especiais de caracteres secundários, devido a sua influência na psicologia e no comportamento
Identidade de gênero
  • identificação psicológica com qualquer dos sexos masculino ou feminino
  • de maneira simplista, as possibilidades de uma pessoa se identificar como sendo um homem, uma mulher ou como fora do convencional
Papel social de gênero
  • conformidade social social com as expectativas geradas por ser de qualquer dos sexos masculino ou feminino
  • exemplos: roupas, corte de cabelo, etc.
Preferência erótica

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. "Uma revisão de taxonomias cross-gêneros mostra que observadores anteriores identificaram e nomearam a categoria homossexual com maior consistência do que qualquer outra categoria de disforia de gênero masculino. (tradução nossa, original em inglês)"
    Ray Blanchard, "The classification and labeling of nonhomosexual gender dysphorias", Archives of Sexual Behavior 18/4 (1989): 315–334.
  2. a b Androfilia e Ginefilia, em inglês