Os Flintstones (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de The Flintstones (filme))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Os Flintstones
The Flintstones
Pôster promocional original desenhado por Drew Struzan
 Estados Unidos
1994 •  cor •  91[1] min 
Direção Brian Levant
Produção Bruce Cohen
Roteiro Tom S. Parker
Jim Jennewein
Steven E. de Souza
Baseado em The Flintstones, de William Hanna e
Joseph Barbera
Elenco John Goodman
Rick Moranis
Elizabeth Perkins
Rosie O'Donnell
Kyle MacLachlan
Halle Berry
Elizabeth Taylor
Gênero
Música David Newman
Cinematografia Dean Cundey
Edição Kent Beyda
Companhia(s) produtora(s) Amblin Entertainment
Hanna-Barbera Productions
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 27 de maio de 1994[2]
Brasil 14 de julho de 1994[3]
Idioma inglês
Orçamento US$ 46 milhões[4]
Receita US$ 341.631.208[4]
Cronologia
The Flintstones in Viva Rock Vegas (2000)
Página no IMDb (em inglês)

The Flintstones (bra: Os Flintstones - O Filme,[3] ou Os Flintstones[5]; prt: Os Flintstones[6][7]) é um filme americano de 1994, dos gêneros aventura e comédia, dirigido por Brian Levant, com roteiro de Tom S. Parker, Jim Jennewein e Steven E. de Souza[5] baseado na telessérie animada homônima produzida na década de 1960.

Estrelado por John Goodman (Fred Flintstone), Rick Moranis (Barney Rubble), Elizabeth Perkins (Wilma Flintstone) e Rosie O'Donnell (Betty Rubble), o filme também apresenta Kyle MacLachlan como o antagonista principal Cliff Vandercave, Halle Berry como sua secretária sedutora e Elizabeth Taylor (em sua última aparição em cinema), como Pearl Slaghoople, a mãe de Wilma.[8]

A banda The B-52s (apresentados como BC-52's no filme) apresentaram sua versão da música-tema do desenho animado.[8]

O longa, que foi filmado na Califórnia, foi lançado nos cinemas americanos em 27 de maio de 1994 e arrecadou quase 342 milhões de dólares em todo o mundo contra um orçamento de 46 milhões de dólares, o que o tornou um grande sucesso de bilheteria, apesar de receber críticas de mistas para negativas dos críticos. Os críticos contestaram o enredo da história, que consideraram adulta demais para o público familiar, bem como a escalação de O'Donnell como Betty e Taylor como Pearl, mas elogiaram seus efeitos visuais, figurino, direção de arte e o desempenho de Goodman como Fred.[9][10][11][12]

Foi a segunda adaptação cinematográfica dos Flintstones para o cinema depois de The Man Called Flintstone, que foi feito com animação tradicional (assim como a série de TV original) e lançado em 1966. Em 2000, foi lançada uma prequela intitulada The Flintstones in Viva Rock Vegas, que se tornou um fiasco de bilheteria.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Para dar um golpe na Pedregulho e Cia., dois estelionatários promovem Fred a vice-presidente da empresa, a fim de manipulá-lo. Sua família logo começa a se deslumbrar com a nova vida, mas seus amigos Barney e Betty tentam alertá-lo.[5]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Jean Vander Pyl, dubladora de Wilma na série de televisão original, aparece em uma participação especial como a Sra. Feldspar no linha Conga atrás de Dino. Kate Pierson, Fred Schneider e Keith Strickland da banda The B-52's aparecem como os "BC-52's" e cantam "The Bedrock Twist" e "(Meet) The Flintstones" no filme. Jay Leno aparece como o apresentador do talk show "Os Mais Procurados de Bedrock", enquanto Laraine Newman aparece como uma repórter do noticiário. Criadores William Hanna e Joseph Barbera também fazem aparições, onde Hanna desempenha um executivo da diretoria e Barbera desempenha um homem dirigindo um Mersandes. Sam Raimi aparece como um Fred Flintsone sósia.

Na dublagem brasileira, Rogério Márcico, o Barney, foi o único dublador do desenho original a retornar, apesar de Marthus Mathias ainda estar em atividade, sendo substituído como Fred por Silvio Navas. Jane Kelly substituiu Isaura Gomes como Betty, e Neusa Azevedo dublou Wilma no lugar de Helena Samara.[15]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento e escrita[editar | editar código-fonte]

Em 1985, os produtores Keith Barish e Joel Silver compraram os direitos de uma versão live-action de The Flintstones e pediram a Steven E. de Souza para escrever um roteiro com Richard Donner contratado para dirigir. O roteiro de De Souza acabou sendo rejeitado e Mitch Markowitz foi contratado para escrever um roteiro. Markowitz comentou: "Eu nem me lembro disso tão bem, mas Fred e Barney deixam sua cidade durante uma depressão terrível e atravessam o país, ou seja lá que maldita coisa pré-histórica for, procurando emprego. Eles acabam em parques de trailers tentando manter suas famílias juntas. Eles exibem momentos de heroísmo e pungência". A versão de Markowitz era aparentemente sentimental demais para o diretor Donner, que não gostava disso.[16] Eventualmente, os direitos foram comprados pela Amblin Entertainment e Steven Spielberg que, depois de trabalhar com Goodman no filme Always, estava determinado a colocá-lo como Fred.[17][18][19] Brian Levant foi contratado como diretor, sabendo que ele era a pessoa certa por causa de seu amor pela série original. Eles sabiam que ele era um ávido fã da série por causa de sua coleção de itens dos Flintstones e o conhecimento que ele tinha da série.[9]

Quando Levant foi contratado, todos os roteiros anteriores foram jogados fora. Levant então recrutou o que ele chamou de "equipe de escritores de estrelas", que consistia em seus amigos escritores de programas de televisão como Family Ties, Night Court e Happy Days. "Esta é uma comédia sobre esteróides", disse Levant. "Nós estávamos apenas tentando melhorar." Apelidado de "Flintstone Eight", o grupo escreveu um novo rascunho, mas outras quatro mesas-redondas foram realizadas, cada uma com novos talentos. Lowell Ganz e Babaloo Mandel levaram para casa cerca de US$100,000 por apenas dois dias de trabalho.[20] Rick Moranis também esteve presente nas mesas redondas de Levant, e mais tarde descreveu o filme como "um daqueles roteiros que tinham cerca de 18 escritores".[21] Os efeitos para Dino, Pterofone e outras criaturas pré-históricas foram fornecidos pela Jim Henson's Creature Shop. A banda The B-52s apareceu no filme como BC-52’s e interpretou a música-tema, “Meet the Flintstones”.[22]

Informações do elenco[editar | editar código-fonte]

Os atores John Candy, Jim Belushi, Dan Aykroyd, Bill Murray e Chevy Chase foram todos considerados para o papel de Fred Flintstone, mas John Candy morreu antes do início da produção,[23][24] os últimos quatro atores foram considerados muito magros e um terno gordo foi considerado inadequado demais para ser usado. Se Goodman tivesse recusado o papel, o filme não teria sido feito.[23] Geena Davis, Faith Ford e Catherine O'Hara foram todas consideradas para o papel de Wilma. Elizabeth Perkins ganhou o papel.[25] Danny DeVito foi a primeira escolha original para Barney, mas ele recusou o papel como ele achava que ele era muito rude para fazer o personagem corretamente e sugeriu Rick Moranis para o papel.[23] DeVito também foi considerado por Fred Flintstone.[26] Embora Janine Turner foi considerada, Rosie O'Donnell ganhou o papel de Betty Rubble com a representação da risada da personagem de desenho animado.[23] Tanto Tracey Ullman quanto Daphne Zuniga também foram consideradas para o papel.[25] Sharon Stone era para interpretar a Srta. Stone, mas recusou por causa de conflitos de agendamento.[23][27] O papel também foi oferecido a Nicole Kidman.[23] Anna Nicole Smith também foi considerada.[23] Tanto Audrey Meadows quanto Elizabeth Montgomery foram consideradas para o papel de Pearl Slaghoople.[25]

Filmagem[editar | editar código-fonte]

Partes do filme foram filmadas em Glen Canyon em Utah e no Condado de Los Angeles, na Califórnia.[28]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Resposta da crítica[editar | editar código-fonte]

O site de filmes Rotten Tomatoes deu ao filme uma classificação de 22% de aprovação (sendo classificado como "podre") com base em 44 avaliações com uma classificação média de 3.7/10.[29] No Metacritic, que atribui uma classificação normalizada de 100 a críticas dos críticos tradicionais, o filme recebeu uma pontuação média de 38 de 100, o que indica "avaliações geralmente desfavoráveis", com base em 15 avaliações.[30]

No programa de televisão Siskel & Ebert & the Movies, Roger Ebert do Chicago Sun-Times e seu colega Gene Siskel do Chicago Tribune deram ao filme dois polegares para baixo. Ambos mencionaram que suas principais linhas de história (apropriação indébita, problemas de sogra, política do escritório e casos extraconjugais) eram histórias de filmes para adultos e que as crianças não seriam capazes de entender. No entanto, muitos críticos elogiaram a aparência do filme, a fidelidade ao desenho animado, os figurinos de Rosanna Norton e o desempenho de Goodman.[31][32][33][34] Algumas críticas foram positivas, incluindo a revista Time, que disse que "The Flintstones é engraçado", e Joel Siegel, do programa Good Morning America, da ABC, e WABC-TV, que chamou o filme de "pré-histórico, histérico... muito divertido". Em uma entrevista de 1997, Joseph Barbera, co-criador de The Flintstones e co-fundador da Hanna-Barbera Productions, afirmou que, embora ele tenha ficado impressionado com o visual do filme, ele admitiu que a história "não foi tão boa quanto ele pensava e que poderia ter sido melhor".[35]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Apesar das críticas negativas, The Flintstones foi um sucesso de bilheteria, arrecadando US$130,531,208 no mercado interno, incluindo os US$37,182,745 que fez durante seus 4 dias de Memorial Day no fim de semana de abertura em 1994. Foi ainda melhor internacionalmente, ganhando mais US$211,100,000 no exterior, para um total de US$341,631,208 em todo o mundo, diante de um orçamento de US$46 milhões.[4][36]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Rosie O'Donnell ganhou o prêmio Framboesa de Ouro de Pior Atriz Coadjuvante por sua performance neste filme; o filme também ganhou na categoria de Pior Roteiro e foi indicado ainda para outros dois prêmios: Pior Atriz Coadjuvante, pela performance de Elizabeth Taylor, e Pior Remake ou Sequência. No entanto, o filme também recebeu quatro indicações ao Saturn Award, incluindo Melhor Filme de Fantasia, Melhor Figurino e Melhor Atriz Coadjuvante pelas performances de O'Donnell e Berry.

Marketing[editar | editar código-fonte]

A produtora Universal Pictures é satirizada como Univershell.

Durante a Copa do Mundo FIFA de 1994 que ocorreu nos EUA, os atores que fizeram os papéis principais no filme John Goodman (Fred), Rick Moranis (Barney), Rosie O'Donnell (Betty) e Elisabeth Perkins (Wilma) apareceram na câmera durante algumas transmissões dos jogos; o ator John Goodman apareceu como Fred segurando a bandeira brasileira e dando apoio aos jogadores brasileiros em uma ocasião.

Na cena quando Barney aparece em seu caminhão de sorvetes durante o linchamento de Fred pode-se ouvir uma musiquinha vindo do veículo. Essa musiquinha é, na verdade, o tema dos Jetsons (outra série animada também de autoria de William Hanna e Joseph Barbera).

A rede de lanchonetes McDonald's comercializaram uma série de promoções dos Flintstones para o filme, incluindo o sanduíche McRib que aparece no filme e o combo "Grand Proobah Meal" e, com este último, um prêmio de canecas de vidro para colecionar, e brinquedos baseados nos personagens e localizações do filme. Nos informes comerciais da rede, o McDonalds foi renomeado "RocDonald's", a fim de imitar também o filme, com imagens de uma cidade da idade da pedra e outras semelhanças de outras empresas e nomes próprios da franquia Flintstones.[37][38]

The Flintstones, um videogame baseado no filme, foi desenvolvido pela Ocean Software e lançado para o Super Nintendo Entertainment System, Game Boy e Mega Drive/Genesis (exclusivo do Sega Channel) em 1995. No jogo, o jogador assume o controle de Fred Flintstone e tem que resgatar Wilma, Barney, Pebbles e Bam-Bam de Cliff Vandercave.[39][40] Uma versão do Sega Genesis desenvolvida pela Foley Hi-Tech e publicada pela Ocean Software também foi planejada, mas foi cancelada mais tarde e lançada no Sega Channel.[41] Tetley promoveu anúncios com áudio do filme, incluindo canecas, estrelado por personagens do filme. Jurassic Park, o nome de outro filme também foi visto brevemente como um parque no filme.

Lançamento em outras mídias[editar | editar código-fonte]

Doméstico[editar | editar código-fonte]

O filme foi lançado, primeiro em VHS e LaserDisc em 8 de novembro de 1994 pela MCA/Universal Home Video. Mais tarde, fez sua estréia em DVD em 16 de março de 1999 e, finalmente, para Blu-ray em 19 de agosto de 2014.[42]

Televisão[editar | editar código-fonte]

O filme foi exibido de maneira inédita na televisão aberta brasileira em 1º de agosto de 1997 durante a estreia da sessão Tela de Sucessos do canal SBT.[43]

Prequela[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Os Flintstones em Viva Rock Vegas

Uma prequela foi lançada em 2000 (seis anos após o primeiro filme); nela é contada a história sobre como Fred, Barney, Wilma e Betty se conheceram. O elenco original não reprisa seus papéis como os personagens principais, apesar de Rosie O'Donnell fornecer a voz de um polvo que deu massagens para as versões mais novas de Betty & Wilma e Irwin Keyes voltar como Joe Rockhead (sendo este o único membro do elenco de The Flintstones a reprisar seu papel original do primeiro filme). Ao contrário de seu antecessor, este decepcionou na bilheteria.

Referências

  1. «THE FLINTSTONES (U)». British Board of Film Classification. 31 de maio de 1994. Consultado em 3 de abril de 2016 
  2. «The Flintstones (1994)». Box Office Mojo. Consultado em 20 de julho de 2019 
  3. a b «Os Flintstones - O Filme». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 25 de maio de 2020 
  4. a b c Fox, David J. (31 de maio de 1994). «'Flintstones' Leaves the Rest in Its Dust Movies: The live-action film takes in $37.5 million over the weekend. Ticket-price inflation notwithstanding, it establishes a record for a Memorial Day opening, based on preliminary estimates.». The Los Angeles Times. Consultado em 29 de dezembro de 2010 
  5. a b c «Os Flintstones». Brasil: CinePlayers. Consultado em 25 de maio de 2020 
  6. «Os Flintstones». Portugal: CineCartaz. Consultado em 25 de maio de 2020 
  7. «Os Flintstones». Portugal: DVDPT. Consultado em 25 de maio de 2020 
  8. a b Gabriel Bastos Junior (27 de junho de 1994). «Trilha sonora de "Os Flintstones" chega ao Brasil junto com o filme». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  9. a b c Fernando Canzian (17 de maio de 1994). «"Os Flintstones" reproduz a magia do desenho». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  10. a b Inácio Araujo (25 de junho de 1994). «Neoliberalismo chega à Idade da Pedra». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  11. Fernando Canzian (26 de junho de 1994). «Hollywood atualiza os Flintstones». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  12. Marcelo Coelho (29 de junho de 1994). «'Flintstones' vira pesadelo em carne e osso». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  13. Page, Janice (24 de março de 1994). «ROSIE: She Cuts Through the Rubble and Tells It Straight Up : The Comic-Turned-Actress Is a Real-Life Rizzo Who Says What's on Her Mind». The Los Angeles Times. Consultado em 10 de novembro de 2010 
  14. Page, Janice (29 de março de 1994). «A New Stage in Her Career : O'Donnell's Made It in Movies, but Broadway Was Her Dream». The Los Angeles Times. Consultado em 10 de novembro de 2010 
  15. Marisa Adán Gil (25 de junho de 1994). «Filme exclui dublador de Fred Flintstone há 32 anos». São Paulo: Folha de S.Paulo 
  16. Murphy, Ryan (17 de janeiro de 1993). «A look inside Hollywood and the movies : 'YABBA DABBA WHO?' : Hey! Raquel Welch Was Good in 'One Million Years B.C.'». The Los Angeles Times. Consultado em 10 de novembro de 2010 
  17. Fernanda Godoy (12 de março de 1994). «Flintstones». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  18. Carlos Eduardo Lins da Silva (25 de abril de 1994). «"Os Flintstones" tem pré-estréia no dia 23». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  19. Fernando Canzian (17 de maio de 1994). «`Fred é meu melhor papel', diz Goodman». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  20. Gordinier, Jeff; Ascher-Walsh, Rebecca (3 de junho de 1994). «Bringing "The Flintstones" to the Big Screen». Entertainment Weekly 
  21. Chris Hardwick (12 de junho de 2013). «Nerdist Podcast: Rick Moranis». Nerdist Podcast (Podcast). Nerdist Industries. Em cena em 1:13:36. Consultado em 30 de junho de 2014 
  22. Marcelo Coelho (7 de abril de 2008). «Anos 80 em versão atual». Quem. Globo.com. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  23. a b c d e f g Hayes, Britt (16 de novembro de 2013). «See the Cast of 'The Flintstones' Then and Now». Screen Crush. Consultado em 20 de agosto de 2015 
  24. Evans, Bradford (2 de junho de 2011). «The Lost Roles of John Candy». Splitsider. Consultado em 26 de julho de 2015 
  25. a b c Mell, Eila (2005). Casting Might-Have-Beens: A Film by Film Directory of Actors Considered for Roles Given to Others. [S.l.]: McFarland. ISBN 9780786420179 
  26. Evans, Bradford (15 de setembro de 2011). «The Lost Roles of Danny DeVito». Splitsider. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  27. Klossner, Michael (2006). Prehistoric Humans in Film and Television: 581 Dramas, Comedies and Documentaries, 1905-2004. [S.l.]: McFarland. ISBN 9781476609140 
  28. D'Arc, James V. (2010). When Hollywood came to town: a history of moviemaking in Utah 1st ed. Layton, Utah: Gibbs Smith. ISBN 9781423605874 
  29. «The Flintstones (1994)». Rotten Tomatoes. Flixster. Consultado em 3 de abril de 2016 
  30. «The Flintstones reviews». Metacritic. CBS Interactive. Consultado em 3 de abril de 2016 
  31. Turan, Kenneth (27 de maio de 1994). «Movie review: 'The Flintstones' succeeds at being cartoonish. But do three dozen writers make for a good script? Don't take it for granite.». The Los Angeles Times. Consultado em 24 de agosto de 2010 
  32. James, Caryn (27 de maio de 1994). «Review/Film: The Flintstones; Lovable And Loud, With Wits Of Stone». The New York Times. Consultado em 24 de agosto de 2010 
  33. McCarthy, Todd (17 de maio de 1994). «The Flintstones». Variety. Reed Business Information. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  34. Wilmington, Michael (27 de maio de 1994). «Yabba-dabba Dud». Chicago Tribune. Consultado em 10 de setembro de 2010 
  35. Maltin, Leonard (26 de fevereiro de 1997). «'Joseph Barbera Interview'». Archive of American Television. Consultado em 16 de janeiro de 2014 
  36. Natale, Richard (13 de junho de 1994). «Speed Drives to a Fast Start : Movies: The thriller passes 'The Flintstones,' while 'City Slickers II' gallops to third at the box office.». The Los Angeles Times. Consultado em 10 de novembro de 2010 
  37. Fernando Canzian (17 de maio de 1994). «Comida entra no marketing». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  38. Helcio Emerich (31 de outubro de 1994). «Os milhões de Bedrock ;Cidade arruinada». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  39. http://total.bee-ware.ch/tests/snes/snes_Flinstones.jpg
  40. http://download.abandonware.org/magazines/Consoles%20Plus/consoleplus_numero042/Consoles%20+%20042%20-%20Page%20156%20(1995-04).jpg
  41. «The Flintstones (Ocean)». Consultado em 29 de maio de 2018 
  42. Levant, Brian (19 de agosto de 2014), The Flintstones, Universal Studios Home Entertainment, consultado em 14 de outubro de 2016 
  43. Cinéfilos OnLine (6 de novembro de 2017). Os Flintstones - O Filme (1994) - Chamada de Estreia do Tela de Sucessos Inédito - 01/08/1997. YouTube 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]