The Kinks

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Kinks
Helmfrid-sofa4 Touched.JPG
The Kinks, na Suiça em 1965.
Informação geral
Origem Londres, Inglaterra
País Reino Unido
Gênero(s)
Período em atividade 19631996
Gravadora(s) Pye, Reprise, RCA, Arista, London, MCA, Sony, Koch, Konk/Guardian, Universal
Ex-integrantes Ray Davies
Dave Davies
Mick Avory
Pete Quaife
John Dalton
John Gosling
Andy Pyle
Jim Rodford
Ian Gibbons
Bob Henrit
Mark Haley
Gordon John Edwards
Página oficial thekinks.info

The Kinks foi uma banda britânica de rock formada em Muswell Hill, norte de Londres, pelos irmãos Ray e Dave Davies em 1964. Categorizados nos Estados Unidos como uma banda da Invasão Britânica, os Kinks são reconhecidos como um dos mais importantes e influentes grupos de rock de sua geração.[1][2] Sua música surgiu a partir de influências de vários estilos musicais, incluindo rhythm and blues, music hall e música folk. Seu terceiro compacto, escrito por Ray Davies, "You Really Got Me",[2][3] se tornou um hit internacional, alcançando as paradas inglesas e atingindo o Top 10 americano.[4] Eles ganharam reputação por refletir a cultura e estilo de vida inglesa, abastecidos pelo estilo observacional de escrita de Ray Davies.[2]

Os primeiros trabalhos inclui álbuns como Face to Face (1966), Something Else (1967), The Kinks Are the Village Green Preservation Society (1968), Arthur (Or the Decline and Fall of the British Empire) (1969), Lola Versus Powerman and the Moneygoround, Part One (1970), Muswell Hillbillies (1971), junto de seus compactos acompanhantes. Após um hiato no meio dos anos 70, a banda experienciou um um revival durante o fim dos anos 70 e começo dos anos 80 com seus álbuns Sleepwalker (1977), Misfits (1978), Low Budget (1979), Give People What They Want (1981) e State Of Confusion (1983). Em adição Van Halen, The Jam, The Knack, The Pretenders e The Fall re-gravaram suas músicas, ajudando a impulsionar as vendas das gravações dos Kinks. Nos anos 90, representantes da Britpop como Blur e Oasis citaram a banda como sua maior influência.[1]

Ray Davies (vocais, guitarra rítmica) e Dave Davies (guitarra base, vocais) permaneceram como os únicos integrantes originais durante os 32 anos de carreira do grupo. O membro veterano Mick Avory (bateria e percussão) foi substituído por Bob Henrit em 1984. O baixista original Pete Quaife foi substituído por John Dalton em 1969, e e Dalton foi substituído por sua vez por Jim Rodford em 1978. O tecladista de sessão Nicky Hopkins acompanhou a banda no estúdio em muitas de suas gravações da metade ao fim dos anos 60. Em 1969 a banda virou um quinteto quando o tecladista John Gosling os integrou, sendo substituído por Ian Gibbons em 1979, que permaneceu na banda até seu fim em 1996; resultado de fracasso comercial de seus últimos álbuns e tensões criativas entre os irmãos Davis.

História[editar | editar código-fonte]

O The Kinks alcançou fama em 1964 com seu terceiro single, "You Really Got Me", escrito por Ray Davies.[2][3] Ele se tornou um sucesso internacional, chegando ao topo das paradas no Reino Unido e entrando no Top 10 nos Estados Unidos,single que também influenciou o hard rock.[3][4] A partir de 1965, com o álbum The Kink Kontroversy a banda consolidou a reputação de compor canções que retratavam a cultura e o estilo de vida britânico[5], impulsionados pelo estilo observador das composições de Ray Davies.[2]

Após concluir a turnê americana de 1965, os The Kinks foram proibidos de retornar ao país até 1969 por motivos nunca esclarecidos. Privando a banda do maior mercado musical do mundo num período crucial da consolidação do rock. [6] Apesar disso, álbuns como Face to Face, Something Else by The Kinks, The Kinks Are the Village Green Preservation Society, Arthur, Lola Versus Powerman and the Moneygoround, Muswell Hillbillies, juntamente com seus respectivos singles, são citados entre as gravações mais influentes de sua época.[1][3][7]

Os álbuns subsequentes, mantendo o estilo conceitual mas seguindo numa direção mais teatral, não alcançaram tanto sucesso, mas a banda experimentou um revival durante a New wave, quando grupos como The Jam, The Knack e The Pretenders gravaram versões de suas músicas e ajudaram a impulsionar a venda de discos dos Kinks. Na década de 1990, músicos de Britpop como Blur e Oasis citaram a banda como uma de suas principais influências.[1]

O The Kinks se separou em 1996, resultado do fracasso comercial de seus últimos álbuns e da tensão criativa entre os irmãos Davies.[1]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Estúdio[editar | editar código-fonte]

Ao vivo[editar | editar código-fonte]

  • 1968: Live at Kelvin Hall (lançado nos EUA em 1967 como The Live Kinks)
  • 1971: Percy (trilha-sonora) (não lançado nos EUA)
  • 1980: One for the Road
  • 1986: Come Dancing with the Kinks
  • 1988: Live: The Road
  • 1994: To the Bone

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • 1966: Greatest Hits! (lançado apenas nos EUA)
  • 1966: Well Respected Kinks
  • 1967: Sunny Afternoon (lançado apenas no Reino Unido)
  • 1970: The Hit Collection
  • 1971: Golden Hour of the Kinks (lançado apenas no Reino Unido)
  • 1972: The Kink Kronikles (lançado apenas nos EUA)
  • 1973: The Great Lost Kinks Album
  • 1974: Golden Hour of the Kinks Vol. 2 (lançado apenas no Reino Unido)
  • 1974: Lola, Percy and the Apeman Come Face to Face with the Village Green Preservation Society
  • 1976: The Kinks' Greatest: Celluloid Heroes
  • 1978: 20 Golden Greats
  • 1980: Second Time Around
  • 1981: The Kinks Collection
  • 1983: Candy from Mr. Dandy (lançado apenas nos EUA)
  • 1983: Dead End Street: Kinks Greatest Hits
  • 1984: Kinks Kollectables
  • 1984: The Kinks: A Compleat Collection 20th Anniversary Edition
  • 1986: Come Dancing with the Kinks: The Best of 1977-1986
  • 1988: The Kinks Are Well Respected Men
  • 1989: 25 Years: The Ultimate Collection
  • 1992: The Kinks Story Vol. 1: 1964-1966
  • 1992: The Kinks Story Vol. 2: 1967-1971
  • 1993: The Definitive Collection: The Kinks Greatest Hits
  • 1994: You Really Got Me: The Very Best of The Kinks
  • 1997: The Singles Collection
  • 1998: God Save The Kinks, Vol. 1
  • 1998: God Save The Kinks, Vol. 2
  • 1998: God Save The Kinks, Vol. 3
  • 2001: BBC Sessions: 1964-1977
  • 2002: The Ultimate Collection
  • 2007: The Ultimate Collection (relançado como CD duplo)
  • 2008: Picture Book (caixa de 6 CDs)

EPs[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of the United Kingdom.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Reino Unido é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.