Trotula de Salerno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Trotula de Salerno

Trotula de Salerno é o codinome geralmente dado a uma médica italiana do século XI ou XII, que é frequentemente referenciada como a primeira ginecologista do mundo.

Hoje sabe-se que Trotula era o nome dado um compêndio de três textos em latim, muito difundido na França e Inglaterra nos séculos XII e XIII, e o nome de uma das principais autoras que aparece referenciado nestas obras é Trota ou Trocta. [1]

A doutora de Salerno escreveu vários tratados sobre a anatomia e fisiologia feminina. O mais famoso, conhecido como Trotula Maior, explica a menstruação, a concepção, a gravidez, o parto, o puerpério, o controle de natalidade, as doenças do útero e das vias urinárias. Esta magnífica obra foi referência obrigatória nas melhores universidades da Europa até ao século XVI. Ela considerava a prevenção como o aspecto mais importante da Medicina. Por isso, escreveu um segundo tratado sobre o cuidado com a pele, a higiene e a cosmética.[2]

Fez parte do grupo que ficou conhecido como Mulieres Salernitanae, ou seja, Mulheres de Salerno, por terem estudado e dado aulas de medicina na escola de Escola de Medicina de Salerno. Este grupo incluía, para além dela, Abella, Mercuriade, Rebecca Guarna, Maria Incarnata e Costanza Calenda. [3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Speaking of Trotula». Wellcome Library (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2019 
  2. Monica H. Green, The Trotula, A Medieval Compendium of Women´s Medicine, University of Pennsylvania, USA, 2002.
  3. «La scuola medica salernitana e le mulieres salernitanae». www.salernoturistica.it. Consultado em 18 de julho de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.