União das Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Leiria, Pousos, Barreira e Cortes  
—  Freguesia  —
Vista sobre a cidade de Leiria
Vista sobre a cidade de Leiria
Leiria, Pousos, Barreira e Cortes está localizado em: Portugal Continental
Leiria, Pousos, Barreira e Cortes
Localização de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes em Portugal
Coordenadas 39° 44' 40" N 8° 48' 26" O
País  Portugal
Fundação 28 de janeiro de 2013
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente José Manuel da Cunha
Área [1]
 - Total 52,26 km²
População (2011) [2]
 - Total 31 775
    • Densidade 608 hab./km²

Leiria, Pousos, Barreira e Cortes (oficialmente: União das Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes) é uma freguesia portuguesa do concelho de Leiria com 52,26 km² de área e 31775 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 608 hab/km².

Foi constituída em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, pela agregação das antigas freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes e tem a sede em Leiria.

História[editar | editar código-fonte]

A paróquia de São Pedro de Leiria[editar | editar código-fonte]

Grande parte das freguesias do concelho de Leiria surgem a partir da Freguesia da Matriz de Nossa Sª da Pena, fundada por D. Afonso Henriques em 1145, e situada dentro das muralhas do Castelo de Leiria. Nos séculos que seguem, novas freguesias vão aparecendo à medida que os territórios circudantes se desenvolvem, com a criação de paróquias e desanexações sucessivas. Dum ponto de vista histórico, a actual União das freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes corresponde à parte leste da antiga freguesia de São Pedro de Leiria, criada presumivelmente em fins do século XII, início do século XIII, e extincta em 1713[3][4][5]. A Paróquia de S. Pedro tinha sede dentro das muralhas citadinas de Leiria[6]. Abrangia as povoações de Cortes, Pousos, Barreira, Azoia, Parceiros e Barosa. Dispunha de dois párocos, um para cada lado do rio Lis, e estava dividida em duas repartições, localizadas à volta de Leiria, Sirol, na margem direita do rio Lis, e Barosa na margem esquerda[7].

Desanexações sucessivas[editar | editar código-fonte]

Freguesia de Cortes.

Até meados do século XVI, as povoações de Cortes, Barreira, Pousos, Azoia, Parceiros e Barosa fazem parte da freguesia de São Pedro de Leiria, com sede dentro das muralhas citadinas de Leiria[6]. Em 1550, o districto de Cortes, que abrange nesses tempos a colectividade vizinha de Barreira, é desanexado da Paróquia de São Pedro. Na altura, segundo o capítulo 121 do Couseiro, (género de crónica anónima da região), a aldeia (núcleo histórico da colectividade) é povoada de 80 moradores[8]. Aquando da sua desanexação, a povoação é dotada de uma pequena igreja (ermida) pelo bispo Brás de Barros, primeiro provisoriamente. Depois acaba por se tornar uma freguesia autónoma à parte em 1592, por decisão do bispo de Leiria D. Pedro de Castilho, que confirma o acto provisório do seu predecessor. Os moradores devem dar uma côngrua ao pároco 60 alqueiras de trigo (correspondendo a um volume de 786 litros), 420 litros de mosto, e o pároco da terra deve pagar 3$000 réis em prata.

Dois séculos mais tarde, em 28 de Dezembro de 1713, o Bispo de Leiria D. Álvaro de Abranches desanexa vários outros lugares de São Pedro, sendo alguns definitivamente transferidos da sede da Paróquia de S. Pedro para os Pousos[4][7]. A capela de Nossa Senhora do Desterro dos Pousos é elevada a paróquia por uma provisão[4]. Em 12 de Janeiro, por despacho do referido Bispo de Leiria, é criada a freguesia de Pousos, suprimida à freguesia de S. Pedro. No âmbito da reforma, Barreira transita para a de Nossa Senhora da Gaiola nas Cortes em 1713, ficando alguns lugares na primeira, tais como: Telheiro e Quinta da Cortiça. Também a povoação de Parceiros é desanexada de São Pedro[9], sendo os moradores obrigados a dar de congrua ao pároco 110 alqueires de trigo e uma pipa de vinho. A freguesia do mesmo nome é criada em 1717, com uma área de 12,3 km². O primeiro pároco de Parceiros, ou pelo menos um dos primeiros, é o Pe. Domingos Roiz de Alvelos[10]. Segundo a documentação coeva, em 1721 prestou informações sobre a sua freguesia à Academia Real de História, que as tinha solicitado[10]. No ano de 1738, através da intervenção do bispo D. Álvaro de Abranches, a povoação de Barreira é por sua vez desanexada de Cortes, elevada à categoria de freguesia e recupera os povoados anteriormente referidos. Um apontamento histórico que marca a região é a estrada real da Mala-Posta, criada em fins do século XVIII, que abrange os lugares de Mourã e Casal da Cortiça, na Barreira. Esta via de comunicação liga durante anos as duas maiores cidades de Portugal, Lisboa e Porto.

Historia das diferentes freguesias desanexadas[editar | editar código-fonte]

União das Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes[editar | editar código-fonte]

Em 2013, uma nova freguesia chamada "União das Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes" é constituída no âmbito de uma reforma administrativa nacional pela agregação das antigas freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes, com sede em Leiria. Em Janeiro de 2015, a junta da União das Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes declara estar à procura de quem queira investigar a história de cada uma das freguesias da União (ou de algumas ou até das quatro em simultâneo), aprovando para o efeito a atribuição de uma bolsa no valor de 12 mil euros[11]. Além desta iniciativa, existe actualmente um programa de percursos constituído por seis desafios lançados pela Câmara de Leiria à população, de dois em dois meses, até novembro, para (re)conhecer o património da região. “As rotas, dedicadas ao património histórico e urbanístico, pretendem fomentar a criação de itinerários turísticos, reforçando a divulgação do património natural, cultural, paisagístico, arqueológico, etnográfico e urbanístico de Leiria”, explica o vereador da Cultura da autarquia, Gonçalo Lopes[12].

Demografia[editar | editar código-fonte]

Freguesia atual Freguesias antigas
Brasão Freguesia População[2] Área[1](km²) Brasão Freguesia População[13] Área[14]
Coats of arms of None.svg
Leiria, Pousos, Barreira e Cortes 31 775 52,26
LRA-leiria.png
Leiria 14 909 6,47
LRA-pousos.png
Pousos 9 763 17,23
LRA-barreira.png
Barreira 4 102 11,82
LRA-cortes.png
Cortes 3 001 16,74

Património[editar | editar código-fonte]

Leiria[editar | editar código-fonte]

Barreira[editar | editar código-fonte]

  • Igreja Matriz da Barreira[15]

Com um portal equilibrado e bem composto, tectos de abóbada estucada e cinco belos altares, o mor, e dois laterais e dois colaterais.

  • Igreja do Sobral
  • Igreja da Mourã
  • Solar do Visconde

Com árvores únicas no distrito de Leiria, construído por quatro pisos, onde se destaca a do Salão Nobre e a Capela.

  • Solar Oliveira Simões
  • Ruinas de Colipo
  • Algumas ruas características, com especial destaque para os lugares da Barreira, da Mourã, do Telheiro e do Sobral.
  • No que respeita às belezas naturais, as zonas protegidas junto ao rio Lena, um primoroso pinhal e as fabulosas panorâmicas que se obtêm do alto do lugar de Andreus são locais de interesse.

Cortes[editar | editar código-fonte]

Património natural[editar | editar código-fonte]

Património arqueológico[editar | editar código-fonte]

Património urbano[editar | editar código-fonte]

  • Casa-museu / Centro Cultural João Soares (Cortes)
  • À direita do rio Lis, na baixa cortesense, erguem-se os solares da beira-rio. Arquitectonicamente, estes edifícios têm uma feição romântica discreta, mas com uma volumetria imponente que não tem nada a ver com o casario popular da sua época. Existem hoje os solares de:
    • Dr. Pereira da Costa, chamado solar dos Costas, ou Quinta da Cerca (Cortes)
    • D. José Pais de Almeida e Silva e de D. Maria Isabel Charters, hoje propriedade do escultor D. João Charters de Almeida
    • Junta de Freguesia, edifício solarengo de princípio do século, antiga residência do musicólogo D. José Pais de Almeida e Silva e do seu filho, o escultor D. João Charters de Almeida e Silva.
    • Dr. António Xavier Rodrigues Cordeiro, escritor, jornalista e polemista, palacete, depois casa de campo do poeta Afonso Lopes Vieira e propriedade de sua afilhada, D. Maria Helena Barradas. Hoje em avançado estado de degradação. Recentemente, a queda de uma chaminé destruiu parte do telhado[16].
    • Dr. José Lopes Vieira, e hoje propriedade do escultor Botelho de Sousa
    • Joaquim Marques da Cruz, uns metros à frente, na Estrada da Ribeira, hoje devoluto, embora propriedade da família Almeida
    • Manuel Ricardo dos Santos Pereira, ainda na Estrada da Ribeira, à direita de quem sai das Cortes. Quinta do Cónego com um notável edifício mandado construir em 1922, que tem a assinatura do famoso arquitecto Ernesto Korrodi[17]. Propriedade das Caves Vidigal
  • Noras do rio Lis (desde as Fontes até às Cortes), sendo o único exemplar existente no lugar das Cortes um verdadeiro ex-libris da freguesia
  • Solar de Santo António do Freixo (Abadia)
  • Casa de Afonso Lopes Vieira (Cortes)
  • Edifícios das famílias Pereira (Portela da Abadia)[18]
  • Os edifícios junto da actual capela da Reixida
  • Cruzeiro da Senhora do monte, Monumento aos Combatentes da Grande Guerra (Senhora do Monte, Cortes, Leiria)[18][19]
  • Janelas Manuelinas (Cortes)[18]
  • Ponte do Cavaleiro, ligada à lenda de Dona Loba[20][21] (Ponte do Cavaleiro)[18]
  • Fontenários[18]
    • Fontenário do Valverde, o mais velho da freguesia, que ostenta a data de 1884[22] (Cortes)
    • Fontenário das Fontes, nascente natural (1899)
    • Chafariz junto à Quinta da Cerca construído pela "Junta da Paróquia" em 1926, que servia para dar de beber aos animais, agora alindado com um painel de azulejos da autoria de Fernando Marques.
    • Fontenário na Amoreira (26 de Novembro de 1936)
    • Fontenário da Reixida em (31 de Dezembro de 1936)
    • Fontenário de Famalicão (28 de Junho de 1937)
    • Fontenário dos Mourões
    • Fontenário da Abadia
    • Fontenário do Moinho Novo
    • Fonte pública dos Galhetes, vendida a um particular antes de 1974
    • Velha fonte do Portinho, dantes muito frequentada, hoje um recanto esconso
  • Escola Primária das Cortes (1934) (Cortes)

Património religioso[editar | editar código-fonte]

  • Igreja da Nossa Senhora da Gaiola (matriz de Cortes) (Cortes)
  • Capela de Nossa Senhora do Monte (Senhora do Monte)
  • Capela de Santa Bárbara (Cortes)
  • Capela da Senhora de Lourdes (Fontes)
  • Capela da Senhora da Saúde (Famalicão)
  • Capela de Santa Marta (Reixida)
  • Nicho de N. Sra. do Rosário (Cortes)

Património gastronómico de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes[editar | editar código-fonte]

Personalidades ligadas à União de freguesias[editar | editar código-fonte]