William Douglas Resinente dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
William Douglas
Desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 2ª Região
Mandato: 11 de março de 2021
até a atualidade
Juiz federal da 2ª Região
Mandato: 1993 - 2021
Dados pessoais
Nascimento: 4 de junho de 1967 (54 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Alma mater: Universidade Federal Fluminense
Prêmios: Medalha do Pacificador
Religião: protestantismo (Batista)

William Douglas Resinente dos Santos (Rio de Janeiro, 4 de junho de 1967) é um jurista, magistrado, escritor e professor brasileiro, atualmente desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 2ª Região.

É mestre em direito e autor de diversas obras na área jurídica, bem como sobre educação, desenvolvimento pessoal e cristianismo.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

William Douglas formou-se em direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e concluiu o mestrado pela Universidade Gama Filho.[2]

Tornou-se juiz federal em 1993, sendo promovido pelo critério de antiguidade ao cargo de desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 2ª Região em 2021.[3] Em sua posse como desembargador, a saudação foi feita pelo jurista Ives Gandra Martins.[2]

Anteriormente, exerceu as atividades de advogado, delegado de polícia, defensor público, professor de direito processual na Universidade Federal Fluminense e professor em vários cursos preparatórios e pós-graduação, já tendo atuado também como membro de bancas de concursos.[4][5]

Agraciado com 4 medalhas militares, diversas medalhas civis e 3 prêmios pela atuação na área de inclusão social e racial.

Embaixador da Missão Vida, que recupera moradores de rua, Membro da Educafro, OSCIP católica franciscana que trabalha com inclusão social e racial, professor voluntário no Coletivo Justiça Negra Luiz Gama e Coordenador de Empreendedorismo do Projeto Cristolândia, da Junta de Missões Nacionais, da Convenção Batista Brasileira.[6]

Em julho de 2019 foi indicado por pastores de diversas denominações, que assinaram um documento entregue por Silas Malafaia ao presidente Jair Bolsonaro, para ocupar vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).[7] É tido como um evangélico com trânsito multirreligioso dentre líderes afro, espíritas e islâmicos.

A 4a Vara Federal de Niterói, órgão o qual ocupou a titularidade, foi objeto de pesquisa de doutorado sendo referência em gestão na Justiça Federal, além de ter concorrido ao Prêmio Innovare como exemplo de Boas Práticas de Gestão do Poder Judiciário e o CNJ tê-lo incluído no Planejamento Estratégico do Poder Judiciário por meio da Resolução 70/2009.[8]

Obra[editar | editar código-fonte]

Possui mais de 50 livros publicados, com mais de 1,2 milhão de livros vendidos.[9]

É o autor dos best sellers "Como passar em provas e concursos" (Editora Impetus) e "As 25 leis bíblicas do sucesso" (Editora Sextante). Primeiro lugar nas mais importantes listas de mais vendidos do Brasil, publicado também em Portugal (ed. Self) e nos Estados Unidos (ed. Taller del Exito) e em espanhol.

O livro As 25 leis foi publicado em inglês pela Baker Books, já vendeu 40 mil exemplares nos EUA. Em 2020 também será publicado na Nigéria.

Também tem livros publicados pelas editoras: Ediouro, Campus/Elsevier, Mundo Cristão e Thomas Nelson Brasil. Em espanhol já foi publicado pela ed TAller del Exito e atualmente é publicado pela Editora Planeta.[10][11]

foi citado no Supremo Tribunal Federal - STF em 2020 como referência doutrinária no Acórdão da ADI 3538-RS.

Também já foi citado como referência doutrinária no Acórdão da ADI por Omissão Nº 118361/2016 do Tribunal de Justiça do Mato Grosso - TJMT.

Indicação para o Supremo Tribunal Federal[editar | editar código-fonte]

Recebeu carta de apoio de juristas, professores e operadores do Direito, com mais de 6 mil assinaturas, para que seu nome fosse indicado ao STF.

Sua indicação recebeu carta de apoio de 100 autoridades, incluindo juízes, procuradores da República, desembargadores federais, estaduais e do trabalho, além de integrantes de MPs estaduais e do Ministério Público Militar.

A OAB/RJ manifestou apoio ao seu nome para o STF destacando sua trajetória como Juiz, Professor de Direito, e Delegado de Polícia.

Seu nome foi indicado por mais de 20 lideranças evangélicas, além de representantes da Igreja Católica, movimento judaico, muçulmanos e até das religiões afro.

O IBDR - Instituto Brasileiro de Direito e Religião - também endossou seu nome para o STF.

Referências

  1. Santos, Jairo. «Requerimento de concessão do Conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto ao Dr; William Douglas Resinente dos Santos». mail.camara.rj.gov.br. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  2. a b «William Douglas é o mais novo desembargador federal do TRF2». TRF-2. 11 de março de 2021. Consultado em 23 de março de 2021 
  3. «Cotado para o STF, juiz evangélico é promovido desembargador no TRF-2». Veja. 5 de fevereiro de 2021. Consultado em 23 de março de 2021 
  4. «O Gestor Educador - TJCE» (PDF). tjce.jus.br. 1 de fevereiro de 2016. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  5. «Juiz federal Willian Douglas vai ministrar palestra para servidores do estado |». Consultado em 22 de outubro de 2020 
  6. «Saiba quem é o nome "terrivelmente evangélico" preferido dos pastores para o STF». Metrópoles. 13 de setembro de 2020. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  7. Guiame (14 de setembro de 2020). «Pastores indicam juiz evangélico a Bolsonaro para ocupar vaga no STF». Guiame. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  8. NEGRI, Sandra (28 de janeiro de 2021). «O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. As regras têm como objetivo proteger o investimento feito pelo Estadão na qualidade constante de seu jornalismo. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link: politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/um-caminho-para-aumentar-a-eficiencia-na-gestao-do-judiciario/» 
  9. Santos, William Douglas Resinente Dos; Medeiros, Alberto Rezende (2019). Administração Do Tempo. [S.l.]: IMPETUS 
  10. Douglas, William; Santos, William Douglas Resinente dos (2001). Medicina legal: à luz do direito penal e processual penal : teoria resumida e questões. [S.l.]: Impetus 
  11. «William Douglas Resinente dos Santos, Geraldo Luiz Mascarenhas Prado., Comentários a Lei contra o crime organizado, Livro». www.lexml.gov.br. Consultado em 22 de outubro de 2020