Ácido beénico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
Ácido beénico
Alerta sobre risco à saúde
Behenic Acid.svg
Nome IUPAC Docosanoic acid
Outros nomes Behenic acid, Docosanoic acid; 1-Docosanoic acid; n-Docosanoic acid, n-Docosanoate, Glycon B-70, Hydrofol Acid 560, Hydrofol 2022-55, Hystrene 5522, Hystrene 9022, Prifrac 2989
Identificadores
Número CAS 112-85-6
PubChem 8215
Número EINECS 204-010-8
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular C22H44O2
Massa molar 340.58 g/mol
Aparência White to yellowish crystals or powder
Ponto de fusão

74 - 78 °C[1]

Ponto de ebulição

306 °C

Riscos associados
NFPA 704
NFPA 704.svg
1
1
0
 
Compostos relacionados
Ácidos graxos relacionados Ácido araquídico (C20)
Ácido erúcico (1 insaturação, ômega 9)
DHA (6 insaturações, ômega 3)
Ácido lignocérico (C24)
Compostos relacionados Docosanol (álcool beénico)
Behenato de metila
Behenato de glicerila
Behenato de prata
Excepto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições PTN

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

O ácido beénico ou ácido docosanóico é o ácido graxo saturado com 22 carbonos de cadeia linear, de fórmula química C21H43COOH. A sua aparência é um cristal ou pó de cor branca ou cremosa. Seu ponto de fusão é 74-78°C e o seu ponto de ebulição é 306°C.

Ele é o principal componente, com 9%, do óleo de Ben, que é extraído das sementes da acácia-branca (Moringa oleifera). O nome beénico vem do décimo-primeiro mês do calendário iraniano, Bahman, quando ocorre a colheita das raízes desta árvore.

O ácido beénico também está presente em outros óleos vegetais, inclusive óleo de colza (canola), óleo de amendoim e a pele do amendoim. Estima-se que uma tonelada contenha 6 kg de ácido beénico. A aplicação comercial do ácido é dar a condicionadores e hidratantes de cabelo propriedades alisantes. [2]

Na dieta, o ácido beénico tem fraca absorção. Apesar de ser pouco disponível biologicamente, quando comparado com o ácido oleico, o ácido beénico é responsável pelo aumento no colesterol em humanos.[3]

A redução do ácido beénico gera o álcool beénico.

References[editar | editar código-fonte]

Behenic acid comes from the ben oil tree, Moringa oleifera
  1. Safety (MSDS) data for behenic acid.
  2. USDA Scientists Find Treasure in Peanut Skins.
  3. Caterm, Nilo B and Margo A Denke. January 2001 Behenic acid is a cholesterol-raising saturated fatty acid in humans. American Journal of Clinical Nutrition, v 73, No. 1, pp41-44.