Ácido folínico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ácido folínico
Alerta sobre risco à saúde
Folinic acid.svg
Nome IUPAC (S)-2-[4-[(2-amino-5-formyl-4-oxo-5,6,7,8-
tetrahydro-1H-pteridin-6-yl)methylamino]
benzoyl]aminopentanedioic acid
Identificadores
Número CAS 1492-18-8
PubChem 6006
DrugBank APRD00698
ChemSpider 5784
Código ATC V03AF03
SMILES
Propriedades
Massa molar 473.44 g/mol
Farmacologia
Biodisponibilidade Dependente da dose:
  • 97% (25mg)
  • 75% (50mg)
  • 37% (100mg)
Via(s) de administração Intravenosa, oral
Meia-vida biológica 6.2 horas
Ligação plasmática ~15%
Excreção Urinária
Compostos relacionados
Derivados do ácido fólico relacionados Ácido fólico
Ácido tetraidrofólico
Compostos relacionados Ácido glutâmico (2-amino-pentanodioico)
Ácido 4-aminobenzoico
Pteridina (dois anéis hexagonais fundidos, com 4 N sustituintes)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Ácido folínico (DCI) ou leucovorina, geralmente administrado como folinato de sódio ou cálcio (ou leucovorina sódica/cálcica), é um adjuvante usado na quimioterapia do cancro com recurso ao metotrexato.[1] Também é usado em combinação sinérgica com o agente quimioterápico 5-fluorouracila.

O ácido folínico tem dextro- e levoisómeros, e apenas este último tem utilidade farmacológica. Como tal, o ácido levofolínico foi aprovado pela FDA em 2008.[2] O ácido levofolínico e os seus sais são drogas enantiopuras. Têm configuração S no átomo de carbono assimétrico (ver abaixo).

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

O ácido folínico é um derivado 5-formilo do ácido tetraidrofólico. É prontamente convertido em outros derivados reduzidos de ácido fólico (p.e. tetraidrofolato), e, portanto, possui atividade vitamínica equivalente à do ácido fólico. Contudo, dado que não requer a ação da diidrofolato redutase para a sua conversão, a sua função como vitamina não é afetada pela inibição desta enzima por drogas como o metotrexato.

Assim, o ácido folínico permite a ocorrência da síntese de alguma purina/pirimidina na presença de inibição da diidrofolato redutase, de modo a que alguns processos normais de replicação de ADN e transcrição de ARN possam ter lugar.

Uso terapêutico[editar | editar código-fonte]

O ácido folínico é administrado na altura apropriada a seguir ao metotrexato como parte de um plano quimioterapêutico completo, no qual poderá "resgatar" do metotrexato as células da medula óssea e da mucosa gastrointestinal. Não existe efeito aparente sobre nefrotoxicidade preexistente induzida pelo metotrexato.[3]

Apesar de não ser um antídoto específico para o metotrexato,o ácido folínico pode ser também útil no tratamento de sobredosagem aguda de metotrexato. São usados diferentes protocolos de dosagem, mas o ácido folínico deverá ser redoseado até a concentração de metotrexato ser menor que 5 x 10−8 M.[4]

O ácido folínico é também usado em combinação com o agente quimioterápico 5-fluorouracila no tratamento do cancro do cólon. Neste caso, o ácido folínico não é usado com propósito de "resgate"; outrossim, amplifica o efeito do 5-fluorouracila ao inibir a timidilato sintase.

O ácido folínico é também por vezes usado para prevenir os efeitos tóxicos de altas doses de antimicrobianos inibidores da diidrofolato redutase como o trimetoprim e a pirimetamina. Pode também ser prescrito no tratamento da retinite causada por toxoplasmose, em combinação com os antagonistas do ácido fólico pirimetamina e sulfadiazina.

Foi estudado para o uso na síndrome de Down, mas não foi demonstrado qualquer benefício.[5]

Nota sobre a administração[editar | editar código-fonte]

O ácido folínico não deve ser administrado por via intratecal. Tal pode causar efeitos adversos ou mesmo morte.[6]

Referências

  1. Keshava C, Keshava N, Whong WZ, Nath J, Ong TM. (February 1998). "Inhibition of methotrexate-induced chromosomal damage by folinic acid in V79 cells". Mutat. Res. 397 (2): 221–8. PMID 9541646.
  2. Drugs.com (2008-05-07). FDA Approves Levoleucovorin. Visitado em 2009-06-07.
  3. Therapeutic Information Resources Australia (2004). Calcium Folinate (Systemic) in AUSDI: Australian Drug Information for the Health Care Professional. Castle Hill: Therapeutic Information Resources Australia.
  4. www.cancercare.on.ca/pdfdrugs/leucovo.pdf
  5. Ellis JM, Tan HK, Gilbert RE, et al. (March 2008). "Supplementation with antioxidants and folinic acid for children with Down's syndrome: randomised controlled trial". BMJ 336 (7644): 594–7. DOI:10.1136/bmj.39465.544028.AE. PMID 18296460.
  6. Jardine, LF et al. (1996). "Intrathecal Leucovorin After Intrathecal Methotrexate Overdose". J Pediatr Hematol Oncol 18 (3): 302–304. DOI:10.1097/00043426-199608000-00014. PMID 8689347.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]