A Nightmare on Elm Street 3: Dream Warriors

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde setembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Nightmare on Elm Street 3: Dream Warriors
Pesadelo em Elm Street 3 (PT)
A Hora do Pesadelo: Os Guerreiros dos Sonhos (BR)
Nightmare3.jpg
 Estados Unidos
1987 • cor • 96 min 
Direção Chuck Russell
Roteiro Wes Craven
Elenco Robert Englund
Heather Langenkamp
Patricia Arquette
Jennifer Rubin
Laurence Fishburne
Género terror
Idioma inglês
Cronologia
Último
Último
A Nightmare on Elm Street 2: Freddy's Revenge
A Nightmare on Elm Street 4: The Dream Master
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

A Nightmare on Elm Street 3: Dream Warriors (no Brasil: A Hora do Pesadelo - Os Guerreiros dos Sonhos / em Portugal: Pesadelo em Elm Street 3) é o terceiro filme da série A Nightmare on Elm Street. Dirigido pelo diretor Chuck Russel. Lançado em 1987 pela New Line .

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Nascido filho bastardo de uma freira estuprada por uma centena de loucos. o maníaco assassino Freddy Krueger está de volta para fazer novas vítimas neste filme estonteante co-escrito pelo criador do original, Wes Craven (Pânico e Pânico 2). Os últimos dos garotos da Rua Elm agora estão num hospital psiquiátrico, onde Freddy assombra seus sonhos com horrores indescritíveis. Sua única esperança é a pesquisadora do sono e igualmente sobrevivente de Freddy, Nancy Thompson (Heather Langenkamp do original A Hora do Pesadelo). É ela quem vai os ajudar a lutar contra o psicopata sobrenatural em seu próprio território infernal. Estrelando Patricia Arquette (Vivendo no Limete, Stigmata) e o ator indicado ao Oscar Laurence Fishburne (Matrix, Homens Perigosos), Os Guerreiros dos Sonhos é uma viagem assustadora e eletrizante!"

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Wes Craven criador de A Hora do Pesadelo, que não participou da sequência e certamente não queria que a franquia continuasse, destinado acabar a série nesta terceira parte, mas seu sucesso tornou isso impossível.

Primeiro conceito Wes Craven queria que este filme fosse para ter Freddy Krueger invadindo o mundo real, atacando e assombrando os atores do filme. New Line Cinema rejeitou esta idéia no momento, mas anos mais tarde, o conceito de Craven foi finalmente levado a sério com Wes Craven's New Nightmare. Além disso, Wes Craven não queria Nancy morta. Assim como no filme original, que Craven queria ter um final feliz para ela. Escritores Chuck Russell e Frank Darabont assegurou que Nancy morreria neste filme.

A droga Hypnocil também é destaque neste filme, também aparecem no filme Freddy vs. Jason e é mencionado em Freddy vs Jason vs Ash. O hospital psiquiátrico Westin Hills reaparece em ambos A Nightmare on Elm Street 5: The Dream Child e Freddy vs. Jason.

Em entrevistas com elenco e equipe de extras do DVD, é revelado que a idéia original para o filme é centrado em torno do fenómeno das crianças de viajar para um local específico para cometer suicídio, nos sonhos com Freddy Krueger, eventualmente, descobriu-se um elo comum entre os jovens. O suicídio, na época, era um assunto social e isso levou ao abandono desse enredo, embora alguns aspectos permaneceram dentro da versão filmada, que ainda retrata suicídio e auto-mutilação, apesar de serem considerados menos controversa, porque esses atos são cometidos com influência por Freddy Krueger, incentivando o suficiente para a fantasia de jovens perturbados na América.

No roteiro original por Wes Craven e Wagner Bruce os personagens eram um pouco diferente do que acabou sendo filmado. Nancy não era um especialista em sonhos ou qualquer tipo de profissional de saúde mental, Kristen permanece na instituição por pouco tempo e tinha um pai, o nome de Neil era pra ser Guinness, sobrenome da Dr. Simm era Maddalena, Taryn era pra ser Africana-americana, Joey foi quem construiu o modelo de uma casa e tem dificuldade para se locomover (embora não seja obrigado a andar de cadeira de rodas), e Phillip era pra ter treze anos de idade. Nome de Will era pra ser Laredo, com cabelos longos, não está vinculado a uma cadeira de rodas, e é aquele que faz os bonecos de barros. Este script também mostrou a casa da fazenda onde nasceu Krueger, e é a casa que aparece em seus sonhos e não a casa da rua Elm. Ao contrário do que o filme, Lt. Donald Thompson sabe desde o início que Krueger é real e ainda está vivo. Ele estava desaparecido e Nancy foi a intenção de encontrá-lo, ela encontra-o e descobre que ele estava obcecado em encontrar a casa para queimar Krueger. Não era pra mãe de Krueger ter sido uma freira ou Freddy ser filho bastardo de uma centena de maníacos, e ambos Joey e Kincaid são mortos. As mortes nesse script eram muito mais grotescas, e não com Krueger falante e mais vulgar.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Comercial[editar | editar código-fonte]

O filme teve uma versão de largura de 1.343 fazendo 8,9 milhões dólares a sua semana de estréia. Internamente, o filme arrecadou US $ 44,8 milhões, tornando-se a terceira maior bilheteria dos filmes A Hora do Pesadelo.

Crítica[editar | editar código-fonte]

Ao contrário de seu antecessor, que recebeu críticas negativas, principalmente, o terceiro da série A Hora do Pesadelo recebeu críticas mais positivas. O filme acumulou uma pontuação média de 69% por Rotten Tomatoes, com base em 32 comentários.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]