Abadia do Monte Cassino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A abadia restaurada.

A Abadia do Monte Cassino situa-se no topo do monte homônimo, a 80 km a oeste de Nápoles, na Itália.

Fundada por Bento de Núrsia por volta de 529[1] , ela é o berço da Ordem dos Beneditinos [2] e serviu de retiro a soberanos e pontífices como o príncipe franco Carlomano[3] , irmão de Pepino o Breve, o rei lombardo Rachis (com sua família), e São Gregório. A abadia contém imensas riquezas, entre elas uma preciosa biblioteca (Didier, abade de 1058 a 1087, faz trazer de Constantinopla diversos livros) colocada sob a proteção direta de Roma, juntamente com uma galeria de preciosos quadros.

A abadia, diversas vezes ameaçada por causa de guerras e invasões, é saqueada e queimada pelos Lombardos do duque Zotton. Reconstruída somente no início do século VIII, após um período de turbulências na Itália (devido principalmente aos Lombardos), a abadia foi novamente destruída parcialmente e incendiada por piratas sarracenos (844), depois em 1030 pelos Normandos que começaram a invadir a Itália meridional.

Mais recentemente, no início de 1944, ela foi destruída pelos bombardeios aliados durante a batalha de Monte Cassino[4] , sendo mais tarde reconstruída tal como era antes.

[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Abadia do Monte Cassino