Afonso de Bourbon-Duas Sicílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Afonso de Bourbon-Duas Sicílias
Príncipe das Duas Sicílias
Conde de Caserta
Cônjuge Maria Antonieta de Bourbon-Duas Sicílias
Descendência
Fernando Pio
Carlos Tancredo
Francisco de Paula
Maria Imaculada
Maria Pia
Maria Josefina
Januário Maria
Raniero
Felipe
Francisco de Assis
Gabriel Maria
Nome completo
Afonso Maria José Alberto de Bourbon-Duas Sicílias
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Pai Fernando II das Duas Sicílias
Mãe Maria Teresa Isabel da Áustria
Nascimento 28 de Março de 1841
Caserta, Reino das Duas Sicílias
Morte 26 de maio de 1934 (93 anos)
Cannes, França
Enterro Cimetière du Grand Jas, Cannes, França

Afonso Maria José Alberto de Bourbon-Duas Sicílias (em italiano Alfonso Maria Giuseppe Alberto di Borbone-Due Sicilie) (Caserta, 28 de março de 1841 - Cannes, 26 de maio de 1934), foi príncipe e chefe da Casa Real das Duas Sicílias e ostentou o título de Conde de Caserta.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

O príncipe Afonso quando jovem.

Terceiro filho do rei Fernando II das Duas Sicílias e de sua segunda esposa, Maria Teresa Isabel da Áustria, Afonso nasceu como quarto na linha de sucessão ao trono do Reino das Duas Sicílias (precedido por seus irmãos Alberto, conde de Castrogiovanni e Luís, conde de Trani e por seu meio irmão Francisco, herdeiro presuntivo da coroa). Seus avós paternos foram o rei Francisco I das Duas Sicílias e Maria Isabel de Bourbon, infanta de Espanha; enquanto seus avós maternos foram o arquiduqueCarlos de Áustria-Teschen (herói austríaco, vencedor da Batalha de Aspern-Essling) e a princesa Henriqueta de Nassau-Weilburg. Diferente da mãe e das irmãs, o príncipe herdou o temperamento alegre e festivo do pai.
Em 1844, com a morte de seu irmão, o conde de Castrogiovanni, Afonso passou a ser o terceiro na linha de sucessão. Em 22 de maio de 1859, Fernando II morre e Francisco II sobe ao trono. Como não tinha filhos, seu meio irmão Luís passa a ser seu herdeiro direto.

Exílio e Chefia da Casa Real[editar | editar código-fonte]

Durante a Expedição dos Mil, na batalha travada entre Cápua e Gaeta contra Giuseppe Garibaldi, Afonso combate na linha de frente ao lado de Francisco II e Luís, . Entretanto, o exército capitula em 13 de fevereiro de 1861 e, no dia seguinte, às sete horas da manhã, a última família reinante das Duas Sicílias abandona a cidade sitiada de Gaeta e parte para o exílio em Roma.

Sob a proteção do Papa Pio IX, a família passa a residir inicialmente no Palácio do Quirinal e, em seguida, no Palácio Farnese. Luís, o herdeiro presuntivo de Francisco II, morre em 8 de junho de 1886, deixando como única herdeira sua filha Maria Teresa. Porém, com a vigência da Lei Sálica, a princesa foi excluída da sucessão e Afonso passou a ser o primeiro na linha de sucessão ao trono extinto.

Com a morte de Francisco II, em 27 de dezembro de 1894, o conde de Caserta torna-se Chefe da Casa Real de Bourbon-Duas Sicílias e pretendente ao trono. Os legitimistas o proclamam rei, como Sua Majestade Afonso I, Rei das Duas Sicílias.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Afonso casou-se em 8 de junho de 1868 com sua prima, a princesa Maria Antonieta de Bourbon-Duas Sicílias, filha de Francisco, conde de Trápani (irmão mais novo de Fernando II) e de Maria Isabel de Áustria-Toscana. A linha que hoje chefia a Casa Real das Duas Sicílias descende deles. O casal teve doze filhos:

Morte[editar | editar código-fonte]

Afonso morreu em Cannes, em 26 de maio de 1934, aos 93 anos de idade. Seu corpo foi sepultado no Cimetière du Grand Jas, em Cannes.

Nota[editar | editar código-fonte]

Referências


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Afonso de Bourbon-Duas Sicílias