Aiatolá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Aiatolá ou aiatola[1] (em farsi آیت‌الله, Ayatollah, e árabe آية الله, ayatul-Lah) é considerado sob as leis do Islão xiita o mais alto dignitário na hierarquia religiosa.

Existe porém a diferença entre xeque, aquele que estudou a sharia em uma universidade islâmica, e o Aiatolá. Este último é um título dado apenas àqueles que têm merecimento, quer seja por aclamação ou nomeação de outro Aiatolá ou indicação de um xeque. Para ser um aiatolá, além de conhecimento e discernimento, ele deve ser descendente direto de Maomé.

Aiatolá significa "sinais de Alá" ou "sinais de Deus", de “Aiât” quer dizer Sinais (singular: ayah, sinal) e “Allah”, Deus, ou seja, o aiatolá é o expoente do conhecimento dentro do Islã Xiita.

Não há votação para a escolha e sim aclamação direta: assim, um clérigo comum pode ser aclamado diretamente ao cargo se tiver o conhecimento e discernimento necessário.

Lista de Aiatolás[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário de Estrangeirismos. Portal da Língua Portuguesa.

Ver também[editar | editar código-fonte]