Salá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações.
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Nota: esta página contém alguns caracteres especiais e é possível que a impressão não corresponda ao artigo original.

O Salá, Salat ou Salah (em árabe: صلاة) refere-se às cinco orações públicas que cada muçulmano deve realizar diariamente, voltado para Meca. Há cinco salás diários. É um dos Cinco Pilares do Islão(arkan al-Islam). Em outras línguas estas orações são chamadas de Namaz.

Os salás devem ser efetuadas em árabe, mesmo que o crente não conheça a língua, embora as súplicas (dua) possam ser feitas em outro idioma. As orações devem ser feitas em momentos concretos do dia, que não correspondem a horas, mas a etapas do curso do Sol:

  • Fajr: ao alvorecer;
  • Dhur (ou Zhur): ao meio-dia, depois do sol ter atingir o seu ponto máximo;
  • Asr: entre o meio-dia e o pôr-do-sol;
  • Maghrib: logo após o pôr-do-sol;
  • Isha: de noite, pelo menos uma hora e meia após o pôr-do-sol e antes da hora de fajr, (Não há problema passar a meia-noite).

Consistem na recitação de um conjunto de versículos do Alcorão, num ciclo de posições (em pé, curvado, de joelhos, prostrado e sentado) a que se chama de rakca' (ou genuflexão)'; o número de genuflexões varia de acordo com a oração do dia. Estas orações não devem ser confundidas com as orações informais que os muçulmanos podem fazer quando sentem necessidade de pedir algo ou simplesmente conversar com Deus.

Quando o devoto não faz as orações obrigatórias dentro do devido horário, é obrigatória a realização das mesmas o mais depressa possível. Quando a oração é realizada fora do horário vigente, ela recebe o nome de Salá Al-Qhada [1]

Procedimento[editar | editar código-fonte]

A oração deve ser precedida de um ritual de purificação (ablução) denominado wudu (ou wuzu), que consiste em lavar com água as mãos, as narinas, os braços até a altura do cotovelo, a face, a cabeça, as orelhas e ouvidos e os pés, de uma determinada maneira. Caso isso não seja possível, o muçulmano pode rezar no ambiente em que estiver (seja na rua, no seu escritório etc.).

Depois de ficar em estado de pureza ritual, o muçulmano orienta-se na direção da Kaaba em Meca (qibla) e toma a decisão formal de rezar, recitando a intenção (niyeh).

Tenciono rezar a (nome da oração) sendo ela uma obrigação diante de Deus وأعتزم أن تصلي صلاة الصباح / الظهر / مساء / الغسق / ليلة واجب أمام الله. Nauaitu ân uçalli fardad'sobeh/addohr/açr/maghreb/ishá uéjeb korbatân ilal'Lah Taalá [2]

Após dizer a niyeh, o muçulmano deve recitar o takbir ("exaltação"), elevando os braços para o céu:

"Deus é grande" الله اكبر الله اكبر Allahu akbar

De seguida, o fiel recita o primeiro capítulo do Alcorão, denominado Fatiha ("A abertura")

"Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso:" بِسْمِ ٱللَّهِ ٱلرَّحْمَـٰنِ ٱلرَّحِي Bismillah ar-rahmaan ar-raheem
"Louvado seja Deus, Senhor do Universo," ٱلْحَمْدُ لِلَّهِ رَبِّ ٱلْعَـٰلَمِي Al-hamdu lillahi rabb al-alameen
"Clemente, o Misericordioso," ٱلرَّحْمَـٰنِ ٱلرَّحِي Ar-rahmaan ar-raheem'
"Soberano do Dia do Juízo" مَـٰلِكِ يَوْمِ ٱلدِّي Ma[a]liki yawm ad-deen
"Só a Ti adoramos e só de Ti imploramos ajuda;" إِيَّاكَ نَعْبُدُ وَإِيَّاكَ نَسْتَعِينُ Iyyaaka naabudu wa iyyaaka nastaeen
"Guia-nos à senda reta" ٱهْدِنَا ٱلصِّرَ ٰط ٱلْمُسْتَقِيمَ Ihdina s-siraata l-mustaqeem
"À senda dos que agraciaste, não à dos abominados, nem à dos extraviados" صِرَ ٰطَ ٱلَّذِينَ أَنْعَمْتَ عَلَيْهِمْ غَيْرِ ٱلْمَغْضُوبِ عَلَيْهِمْ وَلاَ ٱلضَّاۤلِّينَ Siraata l-latheena anamta alaihim ghair al-mughdoobi alaihim wa la daaleen

O fiel diz "amin" ("amén"), seguindo-se a leitura de versículos do Alcorão à escolha. Depois desta introdução, em pé, o muçulmano inclina-se, levando as mãos aos joelhos, enquanto volta a recitar o takbir. Permanecendo nesta posição, deve recitar três vezes Subhaana rabbiy al-‘azheem, que significa "Sede exaltado, meu Senhor Altíssimo". Regressando à posição erecta o muçulmano diz "Sami‘a-llaahu liman hamidah Rabbanaa wa laka-l-hamd" ("Deus ouviu aquele que O louvou. Louvado sejas, Senhor nosso!).

De seguida, o muçulmano prosterna-se, para ficar de cara com o chão, voltando a recitar o takbir. De cara com o chão, volta a dizer três vezes "Sede exaltado, meu Senhor Altíssimo".

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • GUELLOUZ, Azzedine - "O Islão" in As Grandes Religiões do Mundo, dir. Jean Delumeau. Lisboa: Editorial Presença, 1997. ISBN 972-23-2241-9

Referências[editar | editar código-fonte]

Livro "A Oração no Islam", Sheikh Taleb Hussein Al-Khazraji

  1. Livro "Oração no Islam" - Sheikh Taleb Hussein Al-Khazraji, pag. 47 e 48
  2. Livro "Oração no Islam" - Sheikh Taleb Hussein Al-Khazraji, pag. 33

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre o Islamismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.