Arquidiocese de Bordeaux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Arquidiocese de Bordeaux
Archidiœcesis Burdigalensis
Catedral de Santo André de Bordeaux
Localização
País França
Dioceses Sufragâneas Agen
Aire et Dax
Bayonne, Lescar et Oloron
Périgueux
Estatísticas
População 1 361 822
Área 10 000 km²
Paróquias 593
Sacerdotes 298
Informação
Rito romano
Criação da Diocese Século III
Elevação a Arquidiocese Século III
Padroeiro Santo André
Governo da Arquidiocese
Arcebispo Jean-Pierre Bernard Ricard
Bispo Auxiliar Laurent Dognin
Jurisdição Arquidiocese Metropolitana
Contatos
Endereço Archeveche, 183 cours de la Somme, 33077
Página Oficial http://catholique-bordeaux.cef.fr/
dados em catholic-hierarchy.org
Província eclesiástica de Bordeaux

A Arquidiocese de Bordeaux (Archidiœcesis Burdigalensis (-Bazensis)) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada em Bordeaux, na França. Foi eregida no século III e, em 20 de novembro de 1937, teve unificado o título da diocese de Bazas. Seu atual arcebispo metropolita é Jean-Pierre Bernard Ricard e seu bispo-auxiliar é Laurent Dognin. Sua é a Catedral de Santo André de Bordeaux.

Possui 593 paróquias assistidas por 298 párocos e cerca de 80% da sua população jurisdicionada é batizada[1] .

História[editar | editar código-fonte]

A diocese de Reims é mencionada pela primeira vez em um texto sobre o Concílio de Arles de 314 e, portanto, provavelmente eregida no século III, tendo como primeiro bispo Oriental.

Na década de oitenta do século IV foi realizado em Bordeaux um sínodo para condenar o Priscilianismo. O sínodo foi realizado sob o episcopado de São Delfino, que participou do Primeiro Concílio de Saragoça em 380 e estava em correspondência com Santo Ambrósio e São Paulino de Nola, que era originalmente de Bordeaux.

Na segunda metade do século X, o poder eclesiástico estava concentrado nas mãos do Arcebispo Gombaudo, irmão de Guilherme II da Gasconha. Em 1027 o duque de Gasconha, Sancho VI, e o Duque da Aquitânia, Guilherme V concordaram com a eleição de Geoffrey II como arcebispo. O poder religioso tornou-se assim uma espécie de tampão entre a Aquitânia e Gasconha. Os reinados de Guilherme VIII da Aquitânia e Guilherme IX (1052-1127) coincidiu com um esplêndido desenvolvimento da arquitetura românica de Bordeaux. Peças das igrejas de Santa Cruz e San Severino, pertencem a esse período e da Catedral de Santo André foi construída a partir de 1096.

Na Idade Média, surgiu uma disputa entre o metropolitas de Bordeaux e Bourges, sobre a afirmação da primazia da Aquitânia. A questão foi claramente estabelecida por estudiosos modernos, que têm estabelecido que uma carta do Papa Nicolau I a Rodolfo, que remonta a existência da primazia de Bourges do século IX não é autêntica. Quando a França perdeu a Aquitânia para a anulação do casamento entre Luís VII e Leonor da Aquitânia, que foi comemorado em 1137 na Catedral de Bordéus, a cidade se tornou a capital das possessões britânicas na Aquitânia. Então a disputa entre as arquidioceses de Bordéus e Bourges assumiu um caráter político e do Rei da França tomou o lado das reivindicações de Bourges.

O Papa Clemente V (1305-1314) era contrário às pretensões de Bourges. Ele era originalmente de Bazas, onde construiu uma bela igreja colegiada e tinha sido arcebispo de Bordeaux entre 1300 e 1305, além de conselheiro político do rei Filipe, o Belo. Tornou-se papa, apesar de suas simpatias francesas, perseguindo o projeto de emancipação do Bordeaux de Bourges. Na segunda metade do século XIV, os arcebispos, como o italiano Francesco Uguccione, eram partidários dos ingleses.

O Beato Pierre Berland (1430-1457) foi um arcebispo de Bordeaux famoso por sua inteligência e santidade, fundador da Universidade de Bordeaux e do Colégio de São Rafael para os estudantes pobres, que, depois de ajudar os britânicos contra as tropas para defender Bordeaux de Carlos VII da França, recebeu Dunois na cidade e se entregou para a França. Foi durante o seu episcopado, que foi adicionado à torre magnífica do sino na catedral, que leva seu nome.

Durante a Idade Média, Bordeaux era uma grande cidade monástica, com seus conventos de carmelitas, franciscanos e dominicanos, fundada em 1217, respectivamente, em 1227 e 1230. Foi realizado em Bordeaux, em 1214, um concílio importante contra usurários, bandidos e hereges. Quando, após a Guerra dos Cem Anos, Bordeaux voltou para a França, Luís XI amansa os cidadãos ao entrar na confraria de Notre-Dame de Montuzet.

Após a Concordata com a bula Qui Christi Domini do Papa Pio VII de 29 de novembro de 1801, Bordeaux teve como sufragâneas as dioceses de Angoulême, Poitiers e La Rochelle. Ao mesmo tempo, incorporou no seu território da diocese de Bazas, que foi suprimida.

Em 6 de outubro de 1822 pela bula Paternae charitatis o Papa Pio VII adicionou como sufragânea a diocese de Agen, ex-Toulouse e sufragânea da Diocese de Périgueux e Luçon restaurados. Em 1850, também foram adicionados as Dioceses de Fort-de-France (Martinica), Basse-Terre (Guadalupe) e Saint-Denis (Reunião). Posteriormente estas dioceses no exterior foram excluídos da competência metropolitana de Bordeaux, mesmo após a elevação de Fort-de-France para o posto de arquidiocese metropolitana em 26 de setembro de 1967.

Em 20 de novembro de 1937, os arcebispos de Bordeaux ganharam o direito de acrescentar ao seu título o da Diocese de Bazas suprimida.

Em 8 de dezembro de 2002, com a reorganização da províncias eclesiásticas da França, a província eclesiástica de Bordeaux tem sido extensivamente modificado após a abolição da província eclesiástica de Auch e a ereção de Poitiers.

Arcebispos[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências


Small Mitre.svg Arquidioceses católicas da França Bandeira da França
Sés metropolitanas
Besançon | Bordeaux | Clermont | Dijon | Lille | Lyon | Marselha | Montpellier
Paris | Poitiers | Reims | Rennes | Rouen | Toulouse | Tours
Sés arquiepiscopais
Aix-Arles | Albi | Auch | Avignon | Bourges | Cambrai
Chambéry–Saint-Jean-de-Maurienne–Tarentaise | Sens | Strasbourg