Batalha de Arnhem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Arnhem
Operação Market Garden, Segunda Guerra Mundial
Aerial view of the bridge over the Neder Rijn, Arnhem.jpg
Foto da ponte de Arnhem retirada por um avião de reconhecimento da RAF, em 19 de setembro.
Data 1726 de setembro de 1944
Local Holanda
Desfecho Vitória alemã
Combatentes
 Reino Unido
 Polônia
Alemanha Nazi Alemanha Nazista
Standaard Nederlandsche SS.svg Nederlandsche SS
Comandantes
Reino Unido Roy Urquhart
Polónia Stanisław Sosabowski
Reino Unido John Frost [Prisioneiro]
Alemanha Nazi Walter Model
Alemanha Nazi Wilhelm Bittrich
Forças
1 divisão paraquedista
1 brigada de infantaria paraquedista
Vários aviões da RAF
Total: 30 mil homens
1 Kampfgruppe
1 divisão blindada
Total: 7-10 mil homens
Baixas
Aproximadamente 1 984 mortos e 6 854 feridos Aproximadamente 1 300 mortos e 2 000 feridos

A Batalha de Arnhem foi um grande combate travado entre as forças do Exército Alemão e das tropas Aliadas nas cidades holandesas de Arnhem, Oosterbeek, Wolfheze, Driel e no interior do país de 17 a 26 de setembro de 1944.[1]

Depois de conquistar a França e a Bélgica no verão de 1944, os Aliados ocidentais estavam animados para invadir a Holanda. O Marechal de campo Bernard Montgomery decidiu lançar um grande ataque a parte baixa do rio Reno, permitindo que o 2º Exército Britânico ultrapassasse a linha Siegfried e atacasse então a região do Ruhr. Para conquistar esse objetivo, os Aliados lançaram a chamada "Operação Market Garden" em 17 de setembro. Paraquedistas aliados lançaram-se sobre a Holanda para conquistar pontes e cidades chaves para permitir o avanço das tropas amigas. Mais ao norte, a 1ª Divisão Paraquedista inglesa, apoiado por homens do Regimento de Planador e membros da pequena unidade paraquedista formada por exilados poloneses, foram lançados sobre a cidade de Arnhem para tomar a ponte sobre o Nederrijn. Esperando quase nenhuma oposição inimiga, o XXX Corpo do Exército Britânico esperava avançar por terra e se encontrar com os paraquedistas dois ou três dias depois.[2]

As forças britânicas desceram um pouco distante de seus objetivos e rapidamente encontraram resistência inesperada – feita por homens da 9ª Divisão e da 10ª Divisão Panzerdivisions da SS. Apenas uma pequena companhia conseguiu chegar a ponte de Arnhem enquanto o restante da divisão era detida na periferia da cidade. Enquanto isso, o XXX Corpo do Exército inglês não avançou para o norte na velocidade esperada e não conseguiu chegar aonde os paraquedistas estavam na hora que eles pretendiam. Depois de quatro dias, uma pequena força de combate britânica que estava na ponte foi atacada e sobrepujada pelos alemães e a maior parte da Divisão ficou presa num bolsão perto do rio sob ataque inimigo. Após nove dias de combate intenso, o que sobrou das unidades paraquedistas britânicas recuou na chamada "Operação Berlim".[3]

Sem conseguir conquistar nenhuma ponte sobre o Nederrijn, os Aliados não conseguiram avançar muito na Holanda e a linha de batalha firmou-se ao sul de Arnhem. As divisões paraquedistas britânicas sofreram pesadas baixas (estimadas em 75% de sua força) e não veriam mais combate na guerra.[4]

Fotos da batalha[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Evans, Martin. The Battle for Arnhem. [S.l.]: Pitkin, 1998. ISBN 0-85372-888-7
  2. Goldman, William. William Goldman's Story of a Bridge Too Far. [S.l.]: Coronet Books, 1977. ISBN 0-340-22340-5
  3. Wilmot, Chester; Christopher Daniel McDevitt. The Struggle For Europe. [S.l.]: Wordsworth Editions, 1997. ISBN 1-85326-677-9
  4. Frost, Major General John. A Drop Too Many. [S.l.]: Cassell, 1980. ISBN 0-85052-927-1

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Segunda Guerra Mundial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.