Bernard Montgomery

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bernard Montgomery
Flag of the United Kingdom.svg
Nascimento 17 de novembro de 1887
Londres
Morte 24 de março de 1976 (88 anos)
Alton
Nacionalidade britânico
Cargo Comandante do 8º ExércitoBritânico
Serviço militar
Patente Marechal-de-Campo

Marechal Bernard Law Montgomery, 1º visconde Montgomery de Alamein (Londres, 17 de novembro de 1887Alton, 24 de março de 1976) foi um oficial militar britânico durante a Segunda Guerra Mundial por vezes referido como "Monty".

Frequentou o Royal Military College, em Sandhurst. Combateu na Primeira Guerra Mundial, onde alcançou o posto de tenente-coronel. Durante a Guerra Irlandesa de Independência (1919-1921), Montgomery foi o oficial em Comando do condado de Cork, Irlanda o maior condado da área. Este conflito foi notável pela sua ferocidade e pelas represálias levadas a efeito pelas forças da Coroa. Foi promovido a general em 1938.

Em agosto de 1942, o Primeiro Ministro Winston Churchill apontou Montgomery como comandante do 8º Exército Britânico (ficando conhecido como Ratos do Deserto) na Campanha do Norte da África. Montgomery com sucesso fez recuar Erwin Rommel, obrigando-o a retirar-se do Egito após a Segunda Batalha de El Alamein.

Sob o comando de Eisenhower, liderou a invasão de Sicília com sucesso em 1943. Após a Sicília, Montgomery continuou a comandar o 8º Exército durante os desembarques de Itália. Pouco tempo depois, foi chamado ao Reino Unido para fazer parte do plano da Operação Overlord, a invasão da Normandia. Antes da invasão da Normandia, Montgomery assumiu o comando do 21º Grupo do Exército Britânico, e comandou a formação pelo resto da guerra na Europa.

Durante a invasão do Dia D, e por vários meses após a invasão, Montgomery comandou todas as forças terrestres aliadas: britânicas, canadenses e americanas. No setor norte do seu comando, as tropas Britânicas ficaram imóveis na parte de fora da cidade francesa de Caen. O plano original de Montgomery iria capturar Caen em poucos dias após a invasão, mas na realidade demorou várias semanas para capturar a vila crucial. Intencionalmente ou não, a sua persistência fez com que a divisão armada alemã protegesse Caen, deixando o 3º Exército Americano, do General Patton, entrar pelo oeste e depois norte, capturando várias forças alemãs que recuavam no bolsão de Falaise.

Em geral, o seu desempenho durante os desembarques da Normandia foi criticado por muitas pessoas, que consideravam os planos muito rígidos e sem imaginação. O alto comando da Wehrmacht alemã, viu-o como uma ameaça não muito perigosa como comandante, que o George Patton, considerando-o com muitos hábitos e com muitas precauções. Foi muito mais bem sucedido no ataque bem planejado em El Alamein. Os defensores de Montgomery afirmaram que a sua precaução era pelo fato dele comandar na maior parte das vezes, forças britânicas e canadenses, e que estava ciente que estas forças eram limitas em número, e não era fácil trocá-las. Ele não poderia correr o risco de sacrificá-las desnecessariamente. Situação diferente era a dos comandantes americanos, Bradley e Patton, que podiam contar com recursos e homens ilimitados dos Estados Unidos.

Eisenhower ficou com o comando das forças terrestres, enquanto continuava como Comandante Supremo. Montgomery ressentiu-se com esta mudança, mesmo tendo concordado antes da invasão do Dia-D. Winston Churchill promoveu Montgomery a Marechal como forma de compensação.

A 7 de Janeiro, 1945 Montgomery deu uma conferência de imprensa na qual aclamou crédito pela vitória Aliada na batalha do Bulge. Isto causou alguma controvérsia, e ressentimentos dos americanos que sentiram que Montgomery manteve para trás as suas forças durante muito tempo.

Foi instituído como o 1º Visconde Montgomery de Alamein e chefe supremo do comando imperial inglês em 1946. Sendo também comandante supremo adjunto das forças militares da OTAN de 1951 a 1958. Morreu em 1976, sendo enterrado no cemitério Holy Cross, Binstead, Hampshire.[1]

Referências

  • Livro: Memórias do Marechal de Campo Visconde Montgomery de Alamein

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Os Generais Aliados, Editora Três, 1974 "Biografia Os Grande nomes de nossa época"