Cachoeira de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Cachoeira de Minas
Praça Cachoeira de Minas.jpg

Bandeira de Cachoeira de Minas
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1 de janeiro de 1854
Emancipação 1 de junho de 1924
Gentílico cachoeirense
Prefeito(a) Carlos Augusto Tenório Dionísio (PV)
(2013–2016)
Localização
Localização de Cachoeira de Minas
Localização de Cachoeira de Minas em Minas Gerais
Cachoeira de Minas está localizado em: Brasil
Cachoeira de Minas
Localização de Cachoeira de Minas no Brasil
22° 21' 18" S 45° 46' 44" O22° 21' 18" S 45° 46' 44" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008[1]
Microrregião Santa Rita do Sapucaí IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Pouso Alegre, Estiva, Consolação, Conceição dos Ouros, Brasópolis, Piranguinho e Santa Rita do Sapucaí.
Distância até a capital 405 km
Características geográficas
Área 305,420 km² [2]
População 11 034 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 36,13 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,768 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 106 498,463 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 513,89 IBGE/2008[5]
Página oficial

Cachoeira de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Possui a maior fogueira do Brasil, a Fogueira de São Pedro.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

No ano de 1882, o decreto provincial 3057 de 31 de outubro criou a Freguesia de São João Batista das Cachoeiras. Pela lei estadual n.º 843, de 7 de setembro de 1923, assinada pelo presidente de Minas Gerais Raul Soares de Moura, foi criado o município de Cachoeiras, desmembrado de Paraisópolis e, uma lei estadual datada de 27 de dezembro de 1948, deu-lhe a denominação de Cachoeiras de Minas.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Foi Inácio da Costa Rezende o fundador da cidade de Cachoeira de Minas, na região Sul do Estado de Minas Gerais.[7]

As incursões dos bandeirantes pelos sertões das Gerais beneficiaram a região do Planalto Mineiro, onde localiza-se o município. A ocupação do território ocorreu por volta de 1853, por Inácio da Costa Rezende e sua esposa Rosa Maria, proprietários da Fazenda Cachoeira. Estes doaram terrenos para a construção de uma capela, que foi eregida à margem direita do rio Sapucaí-Mirim e dedicada a São João Batista. Nasceu assim a povoação com o nome de São João Batista das Cachoeiras.

Em 1º de janeiro de 1854, inaugurou-se a capela construída pelos fundadores, Inácio da Costa Rezende e Rosa Maria, com a celebração da primeira missa pelo Cônego João Dias de Quadros Aranha. A exploração agrícola assumiu o comando da economia da comunidade, que, na época, desenvolveu-se consideravelmente.

O topônimo inicial, São João Batista das Cachoeiras, originou-se do Santo Padroeiro da primeira capela, e de quedas d’água existentes no Rio Sapucaí-Mirim.

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Em 12 de dezembro de 1865 foi criado o distrito de Conceição dos Ouros e o pequeno povoado de Cachoeira de Minas ficou subordinado ao distrito. Conceição dos Ouros ainda não era uma cidade, mas tinha um sacerdote residindo em suas terras, para a época isso era o suficiente, pois todas as atividades que eram feitas tinham ligação com a Igreja Católica.

O distrito foi criado com a denominação de São João Batista das Cachoeiras,[8] subordinado ao município de São José do Paraíso.

Na divisão administrativa de 1911, continuou subordinado ao município de São José do Paraíso (o qual teve seu nome alterado para Paraisópolis em 1914). Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1º de setembro de 1920, permaneceu subordinado a Paraisópolis.

Em 1923, foi elevado à categoria de vila, com sede na povoação de São João Batista das Cachoeiras e denominação de Cachoeiras,[9] desmembrando-se de Paraisópolis. Constituiu-se de dois distritos: Cachoeiras e Santo Antônio do Itaim. Instalou-se o município em 1º de junho de 1924.

Na divisão administrativa de 1933, o município de Cachoeiras continuou com dois distritos: Cachoeiras e Santo Antônio do Itaim; assim permanece nas divisões territoriais de 31 de dezembro de 1936 e 31 de dezembro de 1937. Em 1938, o distrito de Santo Antônio do Itaim passou a chamar-se Itaim.[10] No quadro referente ao período de 1939-1943, o município ainda constitui-se de dois distritos: Cachoeiras e Itaim.

Em 1943, o município de Cachoeiras passou a denominar-se Catadupas.[11] No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município continuou com dois distritos: Catadupas (ex-Cachoeiras) e Itaim.

Em 1948, o município de Catadupas passou a chamar-se Cachoeira de Minas.[12]

Na divisão territorial de 1º de julho de 1960, o município de Cachoeira de Minas continuou com dois distritos: Cachoeira de Minas e Itaim; assim permanece na divisão territorial de 2007.

Alteração toponímica distrital
São João Batista das Cachoeiras para Cachoeiras.(ou Vila de Baixo).[9]

Alterações toponímicas municipais
Cachoeiras para Catadupas.[11]

Catadupas para Cachoeira de Minas.[12]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A população estimada em 2010 é de 11.034 habitantes. A área do município é de 305.420 km², com densidade demográfica de 36,13 hab/km².

Possui uma estrutura típica de "cidade de interior": ruas pavimentadas com paralelepípedos, algumas casas antigas, uma praça central onde fica a Igreja Matriz, um clube literário e recreativo, pequenos comércios e poucos prédios. A população é bastante receptiva.

Vista aérea da cidade de Cachoeira de Minas, com as serras dos Machados e Monte Belo ao fundo.

Transportes[editar | editar código-fonte]

A principal rodovia que corta o município é a MG-173 Antônio Simões de Almeida. Tem também a Rodovia BR 459, que corta um pequeno trecho na zona rural.

Economia[editar | editar código-fonte]

As atividades econômicas mais importantes no município são a agropecuária, cafeicultura. Por ser uma cidade com poucos habitantes, Cachoeira de Minas possui poucas indústrias. Há fábricas de polvilho, confecção de roupas e uma indústria de fios e cabos elétricos. O artesanato é fonte de renda complementar para algumas pessoas, sendo produzidos artesanalmente móveis e artefatos de cana-da-índia, além de peças de crochê, vendidos para outros centros consumidores. A cidade também produz mandioca que serve como matéria prima do polvilho na cidade vizinha de Conceição dos Ouros.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A tradicional banda de música "Sociedade Musical Eduardo Tenório", berço de músicos e escola gratuita de música, faz apresentações públicas em eventos sócio-culturais de Cachoeira de Minas.

O "Coral Viva Voz" constantemente oferece apresentações gratuitas e sempre está de portas abertas para quem queira cantar.

A cidade é conhecida por ter excelentes bandas de rock e há o evento "Winter Rockfest", festival anual realizado em julho que vem crescendo e que atrai bom público para prestigiar as bandas da cidade e região.

A cidade cultiva também o hábito da pintura, e é origem de excelentes artistas.

Há ainda os eventos culturais ocorridos nas escolas, como festas, gincanas e apresentações.

Entretenimento[editar | editar código-fonte]

Cachoeira de Minas possui um portal de conteúdo onde são publicados artigos diversos relacionados à cidade, o Portal Cachoeira de Minas. Foi lançado no final do mês de maio de 2012 e é a promessa da cidade de ter um site que possa cobrir todos os eventos, divulgar todas as notícias e possuir o mais amplo conteúdo para os visitantes, tais como: Guia comercial completo da cidade, vagas de emprego, anúncios, classificados, notícias, calendário de festas e eventos da cidade, turismo e artes.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Os acessos são por estradas boas e a paisagem local tem ao fundo em primeiro plano a Serra dos Machados, e em segundo plano a Serra do Monte Belo.

Possui uma agência do Banco do Brasil e acesso à Caixa Econômica Federal através de uma lotérica.

Oferece condições de hospedagens em dois hotéis, embora a maioria dos visitantes prefira ficar em casas de amigos ou alugar casas para o final de semana.

O "Clube de Campo Catadupas" oferece boa estrutura de lazer, com quadras, piscinas, bosque e campo de futebol, e é aberto à visitação de turistas.

O carnaval em Cachoeira de Minas é bastante animado, com festas no calçadão da Praça da Bandeira. O bloco "Pé-de-Cana" toca marchinhas de carnaval e há som na praça, que agitam os foliões. Há também vários outros blocos que desfilam para a multidão.

O bloco de carnaval "Tanquinho" promove no mês de dezembro o Tanquinho Fest, festa que está seguindo para sua sétima edição em 2014.

Nas festas juninas, a cidade tem como atrativo a festa da fogueira de São Pedro. A fogueira possui aproximadamente 30 metros de altura. No dia do acender, há queima de fogos e festas no Clube da cidade. A festa reúne cerca de 10 mil pessoas.

Também situado no município de Cachoeira de Minas, a cachoeira da Usina que esta dentro do distrito do Itaim é um dos locais mais visitados pelas pessoas que vêm ao município, esbanjando beleza rica em fauna e flora.

No entanto, falta uma estrutura de passeio nas localidades rurais, onde o turista poderia usufruir de caminhadas, acampamentos, passeios a cavalo, e admirar a exuberante paisagem do município bem como suas cachoeiras.

Maior Fogueira do Brasil[editar | editar código-fonte]

Cachoeira de Minas realiza, anualmente, a Festa da Fogueira de São Pedro, considerada a maior fogueira do Brasil.[carece de fontes?]

A Fogueira de São Pedro é uma manifestação cultural grandiosa, representando a cultura, o folclore e a religiosidade do município.

A história da Fogueira teve início no final da década de 60, quando o mascate "Pedro da Colodina", que sofria de grave enfermidade, ao ver uma graça atendida, passou então a erguer uma fogueira em homenagem a São Pedro. A festa virou tradição e, mesmo após a morte de seu fundador, continuou sendo realizada pelos moradores da cidade.

Ano a ano, a Fogueira de São Pedro foi ganhando altura, chegando a incríveis 50 metros[carece de fontes?]. Atualmente, em razão de segurança, sua altura fica em torno de 38 metros. É considerada a maior fogueira (cheia de lenha) do Brasil[carece de fontes?].

A Festa da Fogueira de São Pedro acontece sempre em data próxima ao dia de São Pedro, 29 de junho.

A tradição da festa é extremamente peculiar. Alguns dias antes do acender da fogueira, um desfile de carros-de-boi leva a lenha que será colocada na fogueira. Durante a festa, são distribuídos diversos quitutes juninos. Há ainda um encontro regional de quadrilhas, além de apresentações e shows musicais. A festa acontece no Pátio da Fogueira e reúne, na noite do acender, mais de 10 mil pessoas.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  6. Souza Miranda, Marcos Paulo de. Aspectos Históricos da Terra de André (em Português). Juiz de Fora - MG: [s.n.], 1996. 97 pp.
  7. Souza Miranda, Marcos Paulo de. Aspectos Históricos da Terra de André (em Português). Juiz de Fora - MG: [s.n.], 1996. 96 pp.
  8. Lei Provincial nº 3.057, de 31 de outubro de 1832 e Lei Estadual nº 2, de 14 de setembro de 1891.
  9. a b Lei Estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923.
  10. Decreto Estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938.
  11. a b Decreto-Lei Estadual nº 1058, de 31 de dezembro de 1943.
  12. a b Lei Estadual nº 336, de 27 de dezembro de 1948.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MIRANDA, Marcos Paulo de Souza. "Aspectos Históricos da Terra de André".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.