Casa de Oração

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Casa de Oração – Irmãos)
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrows 2.svg
Foi proposta a fusão deste artigo ou se(c)ção com Irmãos de Plymouth. Pode-se discutir o procedimento aqui. (desde fevereiro de 2014)

Casa de Oração é o nome do local onde se reúnem no Brasil as igrejas protestantes adenominacionais, oriundas do movimento mundialmente conhecido como “Irmãos de Plymouth”. Embora também seja conhecida como “Igreja dos Irmãos Unidos”, “Assembleia dos Irmãos” (Portugal) “Gospel Hall Brethren” (Estados Unidos) ou “Biserica Creștină după Evanghelie” (Romênia), seus líderes rejeitam qualquer nomenclatura dada ao movimento, pois acreditam que a Igreja de Cristo é única e que portanto devem fugir de nomes sectaristas. O nome Casa de Oração originou-se no Brasil devido ao fato da expressão ser comumente colocada no topo dos templos onde se reúnem.

História no Brasil[editar | editar código-fonte]

A Igreja chegou ao Brasil em 1878 através do missionário inglês Richard Holden fixando no Rio de Janeiro. Holden inicialmente frequentou a Igreja Evangélica Fluminense, mas influenciado pelas as idéias do ministro e escritor britânico, John Nelson Darby, iniciou a organizar igrejas seguindo estes princípios.[1]

Anos mais tarde, em 1896 um outro missionário inglês, Stuart Edmund McNair, plantou várias Igrejas em Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. O ano de 1901 foi marcado com o início do trabalho dos Irmãos na região de Carangola-MG. Mais tarde, em 1907, McNair vai para a Inglaterra e Portugal e se dispõe a evangelizar estudantes em Coimbra. Em 1913, McNair volta para o Brasil e vai residir em Carangola, Minas Gerais. Inaugura no ano seguinte em Conceição de Carangola a primeira Casa de Oração construída especificamente para local de reunião dos irmãos. Essa igreja permanece em atividade até os dias de hoje, e ainda recebe assistência de uma missionária inglesa, Phyllis Mary Dunning, chegada em Conceição de Carangola no ano de 1967.

Embora tenha grande expressão nos Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, a Igreja dos Irmãos espalhou-se através dos anos para vários Estados da Federação Brasileira. Calcula-se que em 2008 haviam 92 igrejas locais instaladas no Estado do Espírito Santo, 66 no Estado de Rondônia e 62 no Estado de São Paulo, enquanto que Estados como Maceió, Maranhão, Roraima e Sergipe não possuem registros de templos instalados. No total, calcula-se que haja em torno de 756 templos espalhados pelo Brasil.

História em Portugal[editar | editar código-fonte]

A primeira presença do movimento em Portugal ocorreu em 1854 pelo engenheiro químico inglês Thomas Chegwin, que iniciou uma missão entre os trabalhadores das minas de cobre no Palhal (Albergaria-a-Velha). Outro engenheiro britânico, George Colby Mackrow, chega em 1875 e passa a reunir com alguns ingleses em 1877 convida o missionário Richard Holden a vir a Portugal e abriu primeiro templo de uma igreja dos irmãos, em Lisboa - o das Amoreiras.

A Assembléia dos Irmãos publica o hinário "Hinos e Cânticos Espirituais". Existe também um registro jurídico unificado, sob o nome "Comunhão de Igrejas de Irmãos em Portugal", que abriga a maior parte das assembléias, embora haja grupos menores que permanecem não-afiliados.

Doutrinas Básicas[editar | editar código-fonte]

  1. A Bíblia é a Palavra inspirada por Deus, infalível, inerrante e suficiente(2 Pe 1:20-21).
  2. Não há, nos dias de hoje, revelação extrabíblica que deva ser seguida como palavra normativa de Deus para os cristãos.
  3. Creem na Trindade - Deus Pai, Filho e Espirito Santo, como um só Deus em três pessoas distintas, co-iguais e co-eternas.
  4. Creem na concepção virginal do Senhor Jesus Cristo e no Seu sacrifício vicário sobre a Cruz como único meio de Salvação.
  5. Creem na ressurreição, ascensão e exaltação de Cristo Jesus à direita do Pai, na sua iminente volta entre as nuvens para arrebatar os seus remidos e, posteriormente com eles, em poder e grande glória estabelecer o Seu reino milenar.
  6. Creem na necessidade do "Nascer de novo" para a restauração da comunhão do homem caído com Deus,
  7. Creem na condenação eterna dos pecadores impenitentes que negarem a Cristo, bem como na Salvação eterna de todo aquele que, arrependido, confesse a Cristo Jesus como Senhor e Salvador de sua vida.
  8. Creem na ressurreição em glória dos salvos para a vida eterna e na ressurreição dos não remidos para a perdição eterna.

Características Gerais[editar | editar código-fonte]

Pelo fato de não possuir uma "Igreja-Sede", ou seja, uma igreja que defina normas de conduta para todas as outras, a Casa de Oração não possui regras impostas para todas as suas igrejas, o que dificulta uma caracterização como uma denominação. Práticas e costumes costumam variar de uma congregação para outra, mas algumas são comuns, a saber:

  1. É conhecida por ser uma igreja de caráter conservador e tradicional; não há uma liturgia fixa para as reuniões, os pedidos de hinos e orações são livres, principalmente durante a Ceia do Senhor.
  2. As igrejas possuem extrema autonomia local e são geridas por um corpo colegiado de ministros, os presbíteros. Não existem cargos assalariados de pastores; o serviço é feito pelos próprios membros e líderes, que nada recebem por ele. No Brasil, os diáconos também possuem participação na liderança espiritual.
  3. A exposição da Doutrina e da pregação do Evangelho, assim como os cargos de direção e organização (Presbitério e Diaconato) são de responsabilidade exclusiva dos varões da igreja (base no ensinamento do Apóstolo Paulo em 1ª Coríntios 14:34 e 1ª Timóteo 2: 11-14).
  4. A maioria de suas congregações são adeptas ao uso do véu pelas mulheres, segundo o ensino de Paulo em 1ª Coríntios 11: 6-10.
  5. Possuem uma coletânea de hinos sacros, o Hinário, chamado "Hinos e Cânticos", que é usado em especial na Ceia do Senhor e também nas reuniões em geral.
  6. Partem do princípio que a Adoração deve ser prestada a Deus "Em espírito e em Verdade", num culto racional (Romanos 12.1,2 e I Coríntios 14.15).
  7. Praticam o Batismo como uma forma de sacramento que exterioriza publicamente a aliança feita entre Cristo e o pecador que arrependido, confessou-O como seu Salvador. Pode ser feito tanto por imersão quanto por aspersão. Não é feito o batismo de crianças recém nascidas.
  8. Realizam a Santa Ceia todo o primeiro dia da semana para os membros em comunhão com Cristo e com suas igrejas locais.

Referências

  1. Hahn, Carl Joseph História do culto protestante no Brasil. 1989
  • Reily, Duncan Alexander. História documental do protestantismo no Brasil. 1984.
  • Ericson, Gerald Carl.Os Evangélicos Em Portugal. Núcleo: Queluz, 1984
  • Doolan, Arnold. Um resumido esboço histórico do movimento conhecido como “Irmãos”.Porto, n.d.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.