Cephalochordata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCephalochordata
Ocorrência: Cambriano Inferior - Recente
Branchiostoma lanceolatum

Branchiostoma lanceolatum
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Superfilo: Deuterostomia
Filo: Chordata
Subfilo: Cephalochordata
Owen, 1846
Classe: Leptocardii
Ordem: Amphioxiformes
Famílias

Os cefalocordados ou Cephalochordata (do grego kephale, cabeça; e do latim chorda, corda) são um subfilo de cordados marinhos, pequenos e pisciformes, ao qual pertencem os anfioxos. Eles são um importante objeto de estudo na zoologia por proporcionarem indicações sobre a origem dos vertebrados[1] .

O anfioxo mede cerca de 6 cm de comprimento e vive enterrado em areia de águas rasas do ambiente marinho, entre dez e trinta metros de profundidade, deixando para fora do substrato apenas sua extremidade anterior.

Características gerais[editar | editar código-fonte]

  • Corpo delgado com forma de peixe.
  • Epiderme formada apenas por uma camada de células (uniestratificada), sem escamas.
  • Musculatura segmentada que se encontra aderida à notocorda, conforme a notocorda se deforma, ocorre o movimento.
  • Ambiente marinho (águas rasas, semi-enterrados na areia ou nadantes).
  • Sexos separados, fecundação externa, desenvolvimento indireto.
  • Sistema circulatório fechado e sem coração: hemolinfa (incolor e sem pigmentos respiratórios) guiada para a porção posterior pela aorta dorsal e retornada pelo vaso ventral, que se contrai ritmicamente, difundindo-se pelos vasos faringianos.
  • Protonefrídios dispostos em cada miótomo (segmento ou metameria corporal em forma de <) que recolhem as excretas do celoma e as elimina em um túbulo renal que se comunica com a lacuna supra-faríngica, o átrio, por onde há movimentação de água causada pelo batimento de cílios faringianos, saindo pela boca.

Os Cefalocordados possuem uma notocorda permanente e um tubo neural dorsal que se estendem da região anterior a posterior do animal; não possuem uma cabeça, nem um encéfalo, ou olhos diferenciados.

Possuem uma faringe branquial com cílios que promovem a circulação contínua e unidirecional da água; ocorre aí uma porcentagem das trocas gasosas bem como a retenção de partículas a serem digeridas. Muito da digestão é feita intracelularmente. A boca é envolvida por um capuz oral com um anteparo de cirros que impedem a entrada de partículas muito grandes.


São animais de sexos separados, mas não possuem vias genitais. Os gâmetas são acumulados no átrio, donde saem para a água, onde se dá a fecundação.

1 - gânglio cerebral
2 - notocorda
3 - nervo dorsal
4 - barbatana pós-anal
5 - ânus
6 - tubo digestivo
7 - sistema circulatório
8 - poro abdominal (atrióporo)
9 - lacuna supra-faríngica (átrio)
10 - abertura branquial (fenda faringiana)
11 - faringe
12 - lacuna bucal
13 - mimosa (cirros)
14 - abertura bucal
15 - gónadas
16 - sensor de luz
17 - nervos
18 - barbatana abdominal
19 - bolsa hepática


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Wikispecies Diretório no Wikispecies

Referências