Clive Barker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Clive Barker
Clive Barker em 2007
Nascimento 5 de outubro de 1952 (62 anos)
Liverpool, Inglaterra
Nacionalidade Inglaterra inglês
Ocupação Escritor, Dramaturgo, Diretor de Cinema, Ator, Produtor, Roteirista, Artista Plástico e Desenhista.
Gênero literário Horror fantástico, Ficção especulativa e drama
Magnum opus Hellraiser - Renascido do Inferno
Página oficial
clivebarker.com

Clive Barker (Liverpool, 5 de outubro de 1952) é um escritor, cineasta, roteirista, ator, produtor de cinema, artista plástico e dramaturgo inglês. Clive Barker escreve o que costuma descrever como literatura fantástica e terror.

Nove de seus dezoito livros já foram publicados no Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Esse homem multifacetado, entrou na Universidade de Liverpool para estudar literatura inglesa e filosofia. Aos 21 anos, mudou-se para Londres, onde formou uma Companhia de Teatro para produzir peças que ele mesmo escrevia, e com apenas duas décadas de vida, já trabalhava como escritor, diretor e ator. Suas peças foram "A História do Diabo", "Frankenstein Corpos apaixonados", "Sutis", "A Vida Secreta de Caricaturas" e um jogo sobre o pintor favorito dele, Goya, "Colosso" intitulado. Estas peças escritas por ele na época, agora estão sendo publicados em um livro chamado "Livro do Pandemônio". As qualidades imaginativas eram uma parte fundamental do trabalho teatral dele. Mais ganhou notoriedade mundial, por criar um estilo autoral de fazer terror, sendo considerado posteriormente como um gênio do terror moderno.

Nos anos 80, ele se tornou o nome mais proeminente da literatura de terror contemporânea. Quando lançou no início da sua carreira, os primeiros 3 volumes da sua bem-sucedida coletânea de contos chamados Livros de Sangue, por uma pequena editora inglesa chamada Sphere Books em 1984, eles fizeram um modesto sucesso no Reino Unido. O verdadeiro estouro mundial da obra foi quando ela foi lançada nos Estados Unidos, com o endosso (na verdade um elogio rasgado) do grande responsável pela popularização do Terror na literatura, o mundialmente famoso escritor Stephen King, com a frase mais do que conhecida: "Eu vi o futuro do Horror… E seu nome é Clive Barker". Que ajudaram com que Clive Barker fosse catapultado ao estrelato, em todos os países do mundo, tornou-se uma celebridade, e seus Livros de Sangue viraram best-sellers, venderam incrivelmente em todo o mundo.

Seus livros são recheados de cenas que contém o terror em sua forma mais nua e crua, sem nenhuma "maquiagem" para torná-las menos indigestas para a mente do leitor, são litros de sangue que escorrem pelas páginas e monstros que conhecem os atalhos mais rápidos para o lugar onde nossos pesadelos são formados. Suas obras se caracterizam em contos com narrativas repletas de pactos diabólicos, visões assombrosas, erotismo, farta quantidade de sangue, cadáveres, sadomasoquismo, escatologia, e sexo também é bastante frequente em suas obras, podendo deixar alguns leitores mais conservadores desconfortáveis. Pode-se ter qualquer impressão de sua obra, menos a de taxá-la como comum. O aclamado diretor de cinema Clive Barker é o criador da mais potente e imaginativa série de filmes de Terror e fantasia do final do século XX, senhor de uma imaginação particularmente tenebrosa, Barker é um mestre na criação de mundos fantásticos e dimensões paralelas com permanentes pontos de contacto com o nosso mundo, onde a clássica luta do bem contra o mal assume proporções cataclísmicas. A fantástica história adaptada para o Cinema, por ele para o filme "Hellraiser - Renascido do Inferno" que foi totalmente dirigida e roteirizada por Clive Barker, surgiu primeiramente em seu livro de grande sucesso "The Hellbound Heart" (inédito no Brasil.)

Esse filme nos apresentou e acrescentou um personagem que tornou-se imortalizado na galeria de Monstros Clássicos do Cinema: "Pinhead", o líder Cenobita "Cabeça de Prego", que foi interpretado pelo ator inglês Doug Bradley, papel esse que o deixou famoso. O filme deu início a uma bem sucedida franquia no Cinema com vários filmes posteriormente feitos, como também uma linha de quadrinhos, bonecos e infinidade de artigos relacionados ao filme. Barker também aparece como Produtor Executivo do filme "O Mistério de Candyman" baseado em seu conto "The Forbidden" (no Brasil, "O Proibido"), disponível no volume 5 da coletânea "Livros de Sangue" e "Candyman 2: A Vingança".

A percepção artística de Clive Barker foi usada para dar vida a roteiros, ambientes e criaturas horripilantes no game muito famoso em todo o mundo, um jogo para PC, PlayStation 3 e Xbox 360, chamado "Cliver Barker's Jericho". Essa não foi a primeira investida de Clive Barker nos games. O escritor já produziu "Undying" (2001), para PC, que obteve boas críticas. O genial escritor Clive Barker, adapta sua mensagem para todos os meios de divulgação possíveis, formata-a desde ilustrações até contos ou histórias em quadrinhos. O uso de todas as linguagens de todas as mídias caracterizam-no como um verdadeiro artista multimídia. Seus livros tem enredos bem urdidos, capítulos curtos com estórias que se interrelacionam, sempre com um estilo linguístico apurado. A qualidade excepcional de Barker está na sua capacidade de conjurar mundos fantásticos.

O artista possui hábitos excêntricos como um zoológico particular em sua mansão na cidade de Los Angeles no estado da Califórnia. Neste local, abriga serpentes, aranhas e até ratos capturados no porão da sua residência. "As pessoas precisam encarar os ratos domésticos sem preconceito", costuma dizer Barker, que adora tascar beijocas nesses "bichinhos". Para Clive Barker, "A maioria dos filmes de Terror hoje não são filmes de Terror. Eles não me atingem, não são horripilantes. E é por isso que eu tomo muito cuidado ao usar a palavra 'Terror' para descrever algo."

A banda Sodomizer escreveu a música Cenobites baseada em sua obra em Hellraiser, essa mesma se encontra no segundo álbum da banda, The Dead Shall Rise To Kill.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • (1985) The Damnation Game
  • (1986) The Hellbound Heart
  • (1987) Weaveworld
  • (1988) Cabal
  • (1989) The Great and Secret Show
  • (1991) Imajica
  • (1992) The Thief of Always
  • (1994) Everville
  • (1996) Sacrament
  • (1998) Galilee
  • (2001) Coldheart Canyon: A Hollywood Ghost Story
  • (2001) Tortured Souls
  • (2002) Abarat
  • (2004) Abarat: Days of Magic, Nights of War
  • (2007) Mister B. Gone
  • (2009) Mr. Maximillian Bacchus And His Travelling Circus
  • (2010) The Candle in the Cloud
  • (2011) Absolute Midnight
  • (2011) The Scarlet Gospels

Coleções[editar | editar código-fonte]

  • (1984-1985) Livros de Sangue
  • (1987) The Inhuman Condition
  • (1987) In the Flesh
  • (1990) Clive Barker, Illustrator
  • (1992) Illustrator II: The Art of Clive Barker
  • (1995) Incarnations: Three Plays
  • (1996) Forms of Heaven: Three Plays
  • (2000) The Essential Clive Barker: Selected Fiction
  • (2005) Visions of Heaven and Hell
  • (2010) Black Is the Devil's Rainbow: Tales of a Journeyman

Não ficção[editar | editar código-fonte]

  • (2010) The Painter, The Creature and The Father of Lies: Essays by Clive Barker

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Titulo Diretor Produtor Escritor
1973 Salome
X
1978 The Forbidden
X
1985 Transmutations
X
1986 Rawhead Rex
X
X
1987 Hellraiser
X
X
1988 Hellbound: Hellraiser II
X
1990 Nightbreed
X
X
1992 Hellraiser III: Hell on Earth
X
Candyman
X
1995 Lord of Illusions
X
X
X
1996 Hellraiser: Bloodline
X
1998 Gods and Monsters
X
2006 The Plague
X
2008 Book of Blood
X
The Midnight Meat Train
X
2009 Dread
X
2013 Hellraiser
X
TBA Tortured Souls: Animae Damnatae
X
X
TBA Born
X

Jogos de computador[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Clive Barker