Club Deportivo Guadalajara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Chivas Guadalajara
Nome Club Deportivo Guadalajara
Alcunhas Chivas , Rebaño Sagrado , Rojiblanco
Fundação 08 de maio de 1906
Estádio Estadio Omnilife
Capacidade 49.850 Pessoas
Presidente México Jorge Vergara
Treinador Argentina Carlos Bustos
Competição México Bancomer MX
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

O Club Deportivo Chivas Guadalajara, também conhecido como Chivas Rayadas del Guadalajara (carneiros listrados de Guadalajara), é um clube de futebol mexicano sediado em Guadalajara, no estado de Jalisco. Fundado em 08 de maio de 1906, é um dos clubes mais populares e bem sucedidos do México

Seu lema é "Fraternidade, União e Esporte", e suas cores, vermelho, branco e azul. Atua no Estádio Omnilife, com capacidade para 49.850 torcedores. O clube tem uma política de não aceitar jogadores estrangeiros nem naturalizados, embora não adote a mesma postura em relação a treinadores.[1] Desde 2002, é propriedade do empresário mexicano Jorge Vergara.[2]

Ingressou na liga amadora jalisciense em 1908, tendo conquistado ao todo 13 títulos do torneio (o maior recordista). Em 1943, aderiu ao futebol profissional e foi um dos dez clubes fundadores do campeonato mexicano, sendo que jamais foi rebaixado para outra divisão. Detém 11 títulos nacionais (recordista ao lado do América), 2 Copas do México. Possui também um continental da CONCACAF e um vice-campeonato na Taça Libertadores.

Segundo pesquisas entre torcedores mexicanos, é reconhecido como o clube mais popular do México e um dos mais populares do mundo, entre 30 a 35 milhões de aficcionados.[2] [3]

História[editar | editar código-fonte]

Edgar Everaert, Fundador do Guadalajara

Em 08 de maio de 1906, o belga Edgar Everaert criou o Club de Fútbol Unión, com apoio do francés Calixto Gas, colega de trabalho. Suas cores seriam o azul, o branco e o vermelho, em homenagem a bandeira da França. Entusiastas do futebol, os dois imigrantes europeus ensinaram as regras básicas do esporte para os mexicanos que queriam atuar na equipe.

Por dois anos, o Unión atuou com esse nome, até que em 1908 Everaert decidiu rebatizá-lo para Club Deportivo Guadalajara, visando a criar uma melhor identificação com a cidade de origem da agremiação futebolística. O fundador tinha decidido também que a partir de então o clube só aceitaria jogadores mexicanos.[1] A decisão levou a dispensa de alguns jogadores franceses do plantel. As cores originais seriam mantidas, mas o branco e o vermelho ganhariam predominância a partir dali.[4]

No ano seguinte, o Guadalajara conquistou o primeiro título de sua história, a Liga amadora do estado de Jalisco. Como não havia um campeonato nacional unificado, o torneio local foi a principal competição disputada pelo clube - que obteve mais 12 conquistas - até o início do profissionalismo do futebol mexicano, em 1943. Ainda nesse ano, foi criado o primeiro Campeonato Mexicano de Futebol, com dez equipes participantes, entre as quais o Guadalajara.

As primeiras 11 temporadas na primeira divisão mexicana não renderam glórias ao clube jalisciense, mas ajudaram a estabelecer rivalidades com outras equipes do país. Durante a temporada 1948/49, fãs do Atlas chamaram o Guadalajara de "cabritas" ("chivas", em língua espanhola), após uma atuação pífia do plantel alvirrubros diante do Club Deportivo Tampico e em vingança a forma como os torcedores do Guadalajara chamavam os atlistas ("margaridas"). Embora com significado inicialmente pejorativo, o apelido "chivas" acabou sendo adotado pelos torcedores e passou a identificar o clube no mundo todo.[4]

Torcida do Chivas

Após um vice-campeonato na temporada 1955, o Chivas finalmente conquistaria seu primeiro título nacional em 1957, com um gol do ídolo Salvador Reyes. Não só isso, o feito marcou o início de uma época de hegemonia no futebol mexicano, com a conquista de mais seis títulos, incluindo um tetracampeonato (1959, 1960, 1961 e 1962) e um bicampeonato (1964 e 1965. A equipe guadalajarense também faturou a primeira edição da Copa dos Campeões da CONCACAF (em 1962) e ainda uma Copa do México (em 1963). A sequência de tantas conquistas em pouco mais de nove anos renderam ao clube a alcunha de El Campeonísimo, que também se tornou o mais popular do México. Além de Reyes, outros jogadores que ficaram marcados como grandes ídolos nessa era de ouro foram Juan Jasso, Jaime Gómez e Guillermo Sepúlveda.[4]

No entanto, depois de dois vice-campeonatos nacionais consecutivos em 1969 e 1970, o clube viveria um período amargo e com campanhas ruins em diversas temporadas ao longo da década de 1960 e o início da década de 1980. Mesmo assim, o clube manteve-se com o maior número de fãs no país.[4] A temporada 1980/81 ficou marcada por um grave acidente rodoviário em Puebla com um ônibus que transportava a delegação, que custou a vida da jovem promessa Pepe Martínez. O clube só voltou a ser competitivo em meados daquela década, tendo sido vice-campeão mexicano nas temporadas 1983 (tendo perdido para o Puebla na disputa de pênaltis) e 1984, mas conquistado seu nono nacional em 1987, batendo o Cruz Azul na final. Outro destaque foi o vice-campeonato na Copa dos Campeões da CONCACAF de 1984.

No início da década de 1990, o Guadalajara começou a experimentar problemas financeiros. E com a falta de bons resultados, os diretores da equipe decidiram criar um setor financeiro especial para gerir o clube a partir de 1993, marcando um período conhecido como La Promotora. Mas apesar do título nacional do Torneio de Verão de 1997 e do vice-campeonato no Torneio de Inverno de 1998, o Chivas continuava com dificuldades financeiras e a ficar longe de vencer campeonatos.

Em 2002, o empresário Jorge Vergara comprou o clube, decretando fim a era Promotora e prometendo novos investimentos no clube mais popular mexicano.[2] Apesar do magnata como presidente, os resultados demoraram a vir. O clube chegou perto do título mexicano no Torneio Clausura 2004, mas acabou apenas com o vice-campeonato. No ano seguinte, parou diante do Atlético Paranaense nas semifinais da Taça Libertadores, em sua primeira vez participação no torneio continental da CONMEBOL.[5] Em 2006, novamente o clube ficou próximo da final do torneio sul-americano, sendo eliminado nas semis pelo São Paulo.[6] Contudo, meses depois, a equipe de Guadalajara conquistou o Torneio Apertura daquela temporada, seu décimo-primeiro título mexicano.

Nas temporadas seguintes, o time alvirrubro colecionou fracassos na Liga Mexicana. Em nível continental, a equipe chegou pela quarta vez a uma final da CONCACAF, mas terminou derrotado pelo Pachuca na decisão do título de 2007. Em julho de 2010, a equipe inaugurou sua nova casa, o Estádio Omnilife.[7] [8] No mês seguinte, disputou a final da Libertadores diante do Internacional, mas acabou com o vice-campeonato.[9]

Patrimônio[editar | editar código-fonte]

Com investimento de cerca de US$ 200 milhões à época, o Chivas inaugurou em 30 de julho de 2010 seu novo estádio em um amistoso contra o Manchester United.[7] Batizado com o nome do Grupo Omnilife, empresa de suplementos alimentares e produtos de beleza, a arena tem capacidade para 49 mil pessoas.[8] Por cinco décadas, o clube havia usado o Estádio Jalisco.

Em Guadalajara, o Chivas tambpem conta com o centro de treinamento Verde Valle, com dois campos de futebol, domitórios, sala de imprensa e escritórios administrativos.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

No. Posição Jogador
02 México D Néstor Vidrio
03 México Kristian Álvarez
04 México Jair Pereira
05 México Patricio Araújo
06 México D Omar Esparza
07 México Rafael Márquez Lugo
09 México Omar Bravo
11 México Aldo de Nigris
13 México Abraham Coronado
14 México Jorge Enríquez
Posição Jogador
15 México Víctor Perales
16 México Carlos Rodríguez
17 México Jesús Sánchez
18 México M Xavier Báez
19 México D Jonny Magallón
20 México D Edgar Mejía
21 México D Christián Pérez
23 México G Víctor Hugo Hernández
44 México A Jesús Sánchez García
67 México A Erick Torres Padilla

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Era Amadora
Era Profissional
  • México Campeonato Mexicano de Futebol: 11 vezes (1956-57,1958-59, 1959-60, 1960-61, 1961-62, 1963-64, 1964-65, 1969-70, 1986-87, Verão 1997 e Apertura 2006)
    • Vice-campeão: 9 vezes (1951-52, 1954-55, 1962-63, 1968-69, México '70, 1982-83, 1983-84, Inverno 1998 e Clausura 2004)
  • México Copa do México: 2 vezes
    • Vice-campeão: 5 vezes (1947-48, 1950-51, 1953-54, 1954-55 e 1966-67)
  • México Campeón de Campeones: 7 vezes
  • México InterLiga: 1 vez
  • México Copa Challenger: 1 vez

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Outras Competições[editar | editar código-fonte]

  • México Copa Oro de Occidente: 22
  • Copa Reforma: 1 vez (1911).
  • Torneo de Primavera: 1 vez (1917).
  • Medalla de la Junta de Festejos Patrios de la Villa de Zapopan: 1 vez (1917).
  • Medalla Colón: 1 vez (1918).
  • Medalla Caridad: 1 vez (1918) Junta de Festejos de Caridad de la Colonia Reforma.
  • Copa Militarización: 1 vez (1918).
  • Copa Deportivo Nacional de Torreón: 1 vez (1919).
  • Copa Eugenio Pinzón: 1 vez (1921).
  • Copa Francia: 1 vez (1921/22).
  • Copa Fábricas de Francia: 1 vez (1924).
  • Campeonato Oficial de Segunda Fuerza: 4 vezes (1924/25, 1928/29, 1934/35 e 1937/38).
  • Campeonato Categoría Juvenil: 1 vez (1928/29).
  • Trofeo Casino Español: 1 vez (1928).
  • Campeonato de Segunda Categoría de Occidente: 1 vez (1939).
  • Campeonato Oficial de Tercera Fuerza: 2 vezes (1928/29 e 1937/38).
  • Copa Presidencial: 1 vez (1953).
  • Copa de Oro: 1 vez (1954-1956).
  • Trofeo de Don Adolfo López Mateos: 4 vezes (1959, 1960, 1961 e 1963).
  • Torneo de la Ciudad de Guadalajara: 1 vez (1961).
  • Trofeo Campeonísimo: 1 vez (1961/62).
  • Campeón Torneo de Reservas: 3 vezes (1967/68, 1992/93 e 2006).
  • Campeón Primera Fuerza Amateur: 1 vez (1967/68).
  • Copa California: 1 vez (1977).
  • Campeón 1a. División Amateur: 1 vez (1983/84).
  • Copa Europa: 1 vez (1985).
  • Trofeo al Equipo menos goleado: 1 vez (1991/92).
  • Copa México de Segunda División: 1 vez (1996).
  • Copa Coliseo: 1 vez (1998).
  • Copa Estrella del Milenio: 1 vez (1999).
  • Campeón Juvenil: 1 vez (1998).
  • Copa Pachuca: 1 vez (2000).
  • Copa Tecate: 2 vezes (1994 e 2001).
  • Copa León: 1 vez (2003).
  • Copa Diario ESTO: 1 vez (2006).
  • Copa Marval: 1 vez (2009).
  • Campeón de Filiales de Segunda División: 3 vezes (Apertura 2004, Apertura 2006 e Clausura 2008).

Filiais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Marcos Vaza (26 de dezembro de 2012). Ainda há clubes no mundo que só aceitam jogadores do "seu" país (em português) O Público. Visitado em 24 de abril de 2014.
  2. a b c Gustavo Rotstein (31 de outubro de 2011). Flamengo tem a maior torcida do mundo, aponta levantamento (em português) Globoesporte.com. Visitado em 24 de abril de 2014.
  3. Lancenet (10 de setembro de 2012). Flamengo tem a maior torcida do mundo, aponta levantamento (em português) Lance!. Visitado em 24 de abril de 2014.
  4. a b c d Fifa.com. Futebol Clássico: Chivas Guadalajara (em português) Fifa.com. Visitado em 24 de abril de 2014.
  5. MBPress (30 de junho de 2005). Com empate, Atlético-PR garante final inédita (em português) UOL. Visitado em 25 de abril de 2014.
  6. Vagner Magalhães (02 de agosto de 2006). São Paulo bate Chivas e está na final pela sexta vez (em português) Terra. Visitado em 25 de abril de 2014.
  7. a b La Jornada (31 de julho de 2010). Estrena Chicharito el estadio Omnilife con gol para Chivas (em espanhol) La Jornada. Visitado em 24 de abril de 2014.
  8. a b Folha de S.Paulo (11 de agosto de 2010). Quero ser grande (em português) Folha de S.Paulo. Visitado em 24 de abril de 2014.
  9. Alexandre Alliatti e Richard Souza (11 de agosto de 2010). Tudo de novo! Inter bate o Chivas e é bicampeão da América! (em português) Globoesporte. Visitado em 25 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Club Deportivo Guadalajara