Coloração H&E

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Coloração H&E ou coloração HE ou ainda coloração Hematoxilina-Eosina é a principal técnica de coloração de tecidos em histologia. Por meio desta técnica, podemos diferenciar partes basófilas (pela hematoxilina) e acidófilas, ou eosinófilas (pela eosina), devido a respectivamente a hematoxilina ter atração por substâncias ácidas componentes dos tecidos, como as proteínas, ricas em radicais amina, como os núcleos e o retículo endoplasmático rugoso e ácidos nucleicos. Já a eosina, sendo acidófila, apresentando coloração predominante pelo citoplasma, fibras de colágeno e outras estruturas compostas de substâncias com caráter básico. A combinação mais comum de corantes usada em Histologia e Histopatologia é a Hematoxilina e Eosina (HE). A hematoxilina é um corante natural obtido da casca de pau campeche. Ela não é realmente um corante e deve ser oxidada em hemateína a fim de tornar-se um corante. Ademais, o corante que resulta (hematoxilina-hemateína) não tem afinidade para os tecidos. Deve ser usado um mordente, como o alumínio ou o ferro, juntamente com a mistura de hematoxilina antes que ela possa corar os tecidos. A mistura cora em azul-púrpura. A eosina é um corante sintético e produz uma coloração vermelha. Nas células coradas com HE os ácidos nucléicos presentes no núcleo são corados pela hematoxilina, dando ao núcleo um tom azul-púrpura. A eosina é atraída pelos elementos básicos da proteína do citoplasma da célula, corando-o de róseo a vermelho. Os componentes dos tecidos que se coram prontamente com os corantes básicos são chamados basófilos; os que têm afinidade pelos corantes ácidos são chamados acidófilos. A hematoxilina comporta-se como um corante básico e, portanto, cora o núcleo de modo basófilo. A eosina é um corante ácido e cora os elementos básicos da proteína do citoplasma de maneira acidófila.


Ver também[editar | editar código-fonte]