Deir al-Balah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Deyr el-balah.PNG

Deir el-Balah ou Dayr al-Balah (em árabe: دير البلح) é uma cidade palestina situada na região central da Faixa de Gaza localizada 19 quilômetros ao sul da cidade de Gaza. A cidade é a sede (muhfaza) do Governorado de Deir el-Balah. De acordo com o Escritório Central de Estatísticas da Palestina (Palestinian Central Bureau of Statistics), a cidade tinha uma população de 49.751 habitantes em 2006.[1] [2] Dayr al-Balah é muito conhecida por suas praias e suas tamareiras. Escavações arqueológicas recentes descobriram um antigo cemitério datado do fim da Idade do Bronze. Entre os achados encontram-se cerâmicas, túmulos, potes de bronze e um chão de mosaico. Um monastério foi construído em Deir el-Balah por Santa Helena em 372 DC.

Deir el-Balah é uma localidade importante de apoio ao Hamas e à sua base legislativa. Das 15 cadeiras da Câmara Municipal da cidade, 13 foram ganhas por candidatos do Hamas em fevereiro de 2005.[3] Em Janeiro de 2005, foi eleito para o cargo de prefeito, Ahmad Kurd, também do Hamas.[4] A cidade tem sido um alvo frequente de incursões israelenses desde a Segunda Intifada em 2001, em parte por consequência dos ataques perpetrados com foguetes Qassam.[5] [6] [7]

História[editar | editar código-fonte]

Durante o período das Cruzadas em 1149, Deir el-Balah ou Darum se tornou uma fortaleza defensiva para os Cavaleiros Templários e Cavaleiros Hospitalários de Jerusalém, liderados pelo rei Balduíno III.[8] Fortes foram construídos em Deir el-Balah e usados como base para atacar as forças fatímidas, que evacuaram Gaza e estabeleceram um governo independente em Ascalão.[8] No final de 1170, o exército de Saladino chegou à Palestina, entrando na região através de Darum, atualmente conhecida como Deir el-Balah.[8]

O cabo-de-guerra entre os cruzados e as diversas forças muçulmanas com base no Cairo continuou.[8] Depois que o Império Aiúbida foi destronado pelos mamelucos dentro das muralhas do palácio no Cairo, Deir el-Balah ficou sob domínio mameluco de 1250 até 1517.[8]

Segunda Intifada[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2004, o Centro Palestino para os Direitos Humanos (Palestinian Center for Human Rights), reportou que as Forças de Defesa de Israel emitiram ordens escritas para 10 famílias palestinas de Deir el-Balah, ordenando o confisco de suas terras e seus lares localizados à noroeste do então assentamento israelense de Kfar Darom. De acordo com os proprietários dessas terras, soldados israelenses os informaram oralmente quando as ordens lhes foram entregues, que a terra seria utilizada para o estabelecimento adicional de instalações de segurança israelenses. A área total sujeita a essas confiscações correspondia aproximadamente à 700 Dunam.[9]

Notas e referências

  1. Projected Mid -Year Population for Deir al Balah Governorate by Locality 2004- 2006 Palestinian Central Bureau of Statistics
  2. Profile: Gaza Strip, BBC News Online, 27 June, 2006, accessed 8 May, 2007.
  3. Hamas Dominates Local Vote in Gaza (washingtonpost.com)
  4. Scott Wilson (2005-09-05). Israeli Pullout Creates Political Opportunity: Shift of Gaza Land and Assets to Palestinians Sharpens Hamas-Fatah Rivalry Washington Post. Visitado em 2007-05-21.
  5. US calls on Israel to withdraw, BBC News Online, 28 August, 2001, accessed 8 May, 2007.
  6. Fresh incursion in Gaza, BBC News Online, 14 February, 2002, accessed 8 May, 2007.
  7. A new role for Hamas: Running Gaza's cities, The New York Times, May 27, 2005, accessed 9 May, 2007.
  8. a b c d e Mariam Shahin. Palestine: A Guide. [S.l.]: Interlink Books, 2005. 421 – 423 pp. ISBN 156656557X.
  9. Israeli Occupying Forces Demolish 25 Houses in Rafah and Issue Land Confiscation Orders in Deir El-Balah, Palestinian Center for Human Rights, January 2004

Ligações externas[editar | editar código-fonte]