Forças de Defesa de Israel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Forças de defesa de Israel
צְבָא הַהֲגָנָה לְיִשְׂרָאֵל
Idf back from lebanon.jpg
Militares de infantaria de Israel em marcha.
País  Israel
Forças armadas Israel Air Force Flag.svg Força Aérea Israelense
Israeli Army (Land Arm) Flag.svg Exército Israelense
Naval Ensign of Israel.svg Marinha de Israel
Conscrição Serviço militar obrigatório
Pessoal ativo 187 500[1] (34º)
Pessoal na reserva 565 000[1]
Despesas
Orçamento USD$13,3 bilhões[3] (2009) - ()
Percentual do PIB 2.6% (2006)[2]
Indústria
Fornecedores estrangeiros  Estados Unidos
 Alemanha
 Reino Unido[4]
 França
 Itália
 Coreia do Sul
 Bélgica[5]
 Espanha
 República Checa
 Turquia
 Canadá
 Hungria[6]
 Suécia
 Áustria

As Forças de Defesa de Israel (em hebraico: צבא ההגנה לישראל, transl. Loudspeaker.svg? Tzvá HaHaganá LeYisra'el, lit. "Exército de Defesa para Israel"[7] ), conhecidas comumente no país pelo acrônimo hebraico Tzahal (צה"ל), são as forças militares de Israel, que englobam suas forças terrestres, bem como a sua marinha e aeronáutica, e foram formadas durante a independência do país.

Em 14 de fevereiro de 2011 foi nomeado como novo comandante do exército israelense o major-general Benny Gantz, que substituiu Gaby Ashkenazy depois de este último ter comandado o exército durante 7 anos, e foi promovido para tenente-general[8] .

História[editar | editar código-fonte]

No período entre 1948 e 1949, quando Israel enfrentou os exércitos dos países árabes, que não aceitavam o estabelecimento do Estado Judeu, as antigas facções armadas dos sionistas foram reunidas e aparelhadas com armas e munição fabricadas ilegalmente e também doadas por outros países, em especial a Tchecoslováquia.

Mesmo em outras regiões do mundo, todos os cidadãos israelenses judeus maiores de 18 anos são aplicáveis às Forças de Defesa.

Devido a seu treinamento rigorosíssimo (veja abaixo) as FDI situam-se hoje entre as mais bem reputadas forças de combate do mundo, tendo atuado em cinco grandes conflitos, desde a sua criação, como também executado diversas operações "cirúrgicas" como:

Exército, Marinha e Força Aérea possuem um conjunto unificado, encabeçado por um chefe de Estado-Maior, que é responsável perante o Ministério da Defesa e indicado para um mandato de três ou quatro anos.

Israel juntou-se em 1988 ao seleto e restrito clube de países lançadores de satélites de espionagem.[9] Em 11 de junho de 2007, foi lançado da base aérea israelense de Palmachim na costa mediterrânea de Israel um vehículo espacial shavit carregando o satélite Ofek 7, capaz de detectar objetos de 70 cm sobre a face da terra.[10]

Serviço militar em Israel[editar | editar código-fonte]

Cerimônia de recepção dos soldados isralenses.
Militares israelenses da companhia Netzah Yehuda.

Todos os cidadãos israelenses física e mentalmente aptos devem apresentar-se aos 18 anos de idade. Não apenas judeus, mas também drusos, circassianos e beduínos.

Os cidadãos do sexo masculino servem por um período de três anos. Terminado o serviço obrigatório, cada um é indicado para uma unidade de reserva, na qual servirá por um período que varia entre 30 e 60 dias por ano e que pode ser prorrogado por mais tempo, dependendo da necessidade. Já é parte do cotidiano nacional o "rodízio" entre os cidadãos fardados e os que não estão servindo. Se desejar, o soldado pode seguir a carreira militar, alistando-se para servir na ativa ou entrando para cursos de preparação de oficiais. Soldados e oficiais de carreira aposentam-se após 20 anos de serviço.

As FDI permitem a continuidade dos estudos bíblicos de soldados que seguem a religião, enquanto cumprem com o serviço militar obrigatório, e também se responsabiliza pela assimilação de imigrantes de diversas origens e idiomas que também são aptos a vestir a farda, aos quais são oferecidos cursos rápidos de hebraico e inglês para operar com as máquinas.

Mulheres[editar | editar código-fonte]

Também as mulheres devem prestar o serviço militar obrigatório em Israel. A exemplo do que ocorre com os homens, as mulheres aptas são recrutadas aos 18 anos de idade, e servem por um período inicial de dois anos. Após o cumprimento desse serviço, mulheres servem na reserva uma vez por ano, até os 24 anos de idade (enquanto seus pares masculinos servirão até os 40 anos de idade).

Judeus ultra-ortodoxos[editar | editar código-fonte]

Os judeus ultra-ortodoxos eram isentos do serviço militar, a não ser que exerçam funções religiosas junto aos militares, como ministrar orações, ou exercendo programas que combinam estudos religiosos e serviço militar, em hebraico, Hesder. Mas em recente votação no parlamento [11] os judeus ultra-ortodoxos passarão, a partir de 2017, também a servir ao exercito como os outros cidadãos.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Forças de Defesa de Israel


Israel Flag-map.svg Israel
História • Política • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Educação • Religião • Forças armadas • Turismo • Portal • Imagens
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.