Drama (álbum de Yes)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Drama
Álbum de estúdio de Yes
Lançamento 22 de Agosto de 1980
Gravação Abril à Junho de 1980
Gênero(s) rock progressivo
rock sinfônico
Duração 36:55
Gravadora(s) Atlantic Records
Produção Yes e Eddie Offord
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Yes
Último
Último
Tormato
(1978)
Yesshows
(1980)
Próximo
Próximo

Drama é o décimo álbum de estúdio da banda britânica de rock progressivo Yes. É um disco único, por ser o único álbum do Yes sem o vocalista Jon Anderson. Em meados de 1980, pesquisando novas canções para o álbum seguinte à Tormato, Jon Anderson e Rick Wakeman saíram da banda alegando diferenças criativas e financeiras.

Mais tarde, soube-se que esses dois eram os mais entusiasmados durante sessões de estúdio, com a idéia de um novo álbum, enquanto o resto da banda relutava, por causa do relativo fracasso do álbum anterior. Isso desencorajou os dois que, após uma conversa em um bar após um dia no estúdio, decidiram sair da banda.

Após isso, os membros remanescentes, Chris Squire, Steve Howe e Alan White, carregaram o piano. Trevor Horn e Geoff Downes da banda The Buggles (que recentemente haviam obtido um hit número um na parada britânica com "Video Killed the Radio Star") trabalhavam naquela época em um estúdio adjacente. Sendo fãs do Yes, foram lá e se apresentaram. A dupla foi convidada a participar durante algumas sessões e logo receberam convite para entrar na banda.

Gravaram durante toda a primavera européia e lançaram o álbum em Agosto. Drama apresenta um som distinto ao antigo Yes com uma sonoridade new wave (em parte pela tentativa da banda em "atualizar" seu som e também pela presença dos novos recrutas). Talvez para assegurar que um pouco da velha magia ainda existia, Roger Dean foi convidado a fazer novamente a parte gráfica do álbum, o que não acontecia há cinco anos, e Eddie Offord, que foi co-produtor da banda no período de 1971-1974 (era, possivelmente, o produtor mais famoso da história do rock progressivo, produzindo também álbuns do Emerson, Lake & Palmer), retornou ao estúdio para ajudar no novo álbum. Drama saiu-se muito bem na parada britânica, alcançando um número 2, mas na americana deixou um pouco à desejar, fazendo com que Drama se tornasse o primeiro álbum do Yes em anos à não atingir o Top 10 ou conquistar o certificado de "disco de ouro".

De qualquer forma, a turnê americana foi um grande sucesso, mesmo com críticas de parte da mídia e público - a substituição de Jon Anderson por Trevor Horn deixou muitos fãs irados. Aliás, Trevor Horn se esforçou ao máximo - com o agravante de ser sua primeira turnê, com shows e shows seguidos - para emular o tom de voz de Jon Anderson, que sempre alcançou altas notas facilmente.

Por motivos variados, Trevor Horn saiu da banda e os demais membros decidiram dar um fim ao Yes e cada um seguir seu caminho. Oficialmente, a banda acabou no começo de 1981.

O Yes nunca mais tocou as canções de Drama após a turnê de 1980, por causa da negativa de Anderson em cantá-las. Entretanto, eles tocaram o início da instrumental "Tempus Fugit" durante a turnê de 90125.

Produção[editar | editar código-fonte]

Aos 5 membros da banda é creditada a produção do álbum, junto com Eddie Offord, mas grande parte da mesma foi conduzida por Trevor Horn: "passei minha noite de núpcias no estúdio de gravação" ele confessou, em uma entrevista em 1980 para o programa de tv da NBC, "The Source", "Eu estava casado há duas horas… e já havia retornado para o estúdio. Nós - eu e minha esposa - decidimos que, para a lua-de-mel, passaríamos 2 semanas em Miami Beach. Gradualmente as 2 semanas se tornaram 10 dias, os 10 dias viraram 1 semana, 1 semana virou 6 dias… terminamos passando 3 dias em Bouremoth… junto com Steve Howe que apareceu por lá. Passamos bons momentos juntos."

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as canções são creditadas à Geoff Downes/Trevor Horn/Steve Howe/Chris Squire/Alan White. Entretanto, "Into the Lens" e "White Car" (sobre Gary Numan, que Geoff Downes enxergou enquanto dirigia) são basicamente composições do Buggles (uma versão modificada de "Into the Lens" aparece no segundo álbum do Buggles Adventures in Modern Recording como "I am a Camera"); A canção é baseada nas histórias sobre Berlin de Christopher Isherwood, enquanto "Does It Really Happen?", "Run Through the Light" e "Tempus Fugit" foram desenvolvidas por Squire, White e Howe antes da entrada de Horn e Downes na banda; Horn adicionou as letras. A versão de "Does It Really Happen?" no lançamento original são significativamente diferentes das subsequentes versões remasterizadas e das presentes em coletâneas. "Does It Really Happen?" e "Run Through the Light" existem, em muitas versões, ainda com a presença de Jon Anderson.

Lado 1[editar | editar código-fonte]

  1. "Machine Messiah" – 10:27
  2. "White Car" – 1:21
  3. "Does It Really Happen?" – 6:35

Lado 2[editar | editar código-fonte]

  1. "Into the Lens" – 8:33
  2. "Run Through the Light" – 4:43
  3. "Tempus Fugit" – 5:15

Drama (Atlantic K 50736) alcançou #2 no Reino Unido. Também atingiu a posição #18 nos Estados Unidos, permanecendo 19 semanas nas paradas.

Drama foi remasterizado e relançado em 2004 com várias faixas bônus:

  1. "Into the Lens (I Am a Camera)" (Single Version) – 3:47
  2. "Run Through the Light" (Single Version) – 4:31
  3. "Have We Really Got to Go Through This" – 3:43
  4. "Song No. 4 (Satellite)" – 7:31
  5. "Tempus Fugit" (Tracking Session) – 5:39
  6. "White Car" (Tracking Session) – 1:11
  7. "Dancing Through the Light" (Jon Anderson/Steve Howe/Chris Squire/Rick Wakeman/Alan White) – 3:16
  8. "Golden Age" (Jon Anderson/Steve Howe/Chris Squire/Rick Wakeman/Alan White) – 5:57
  9. "In the Tower" (Jon Anderson/Steve Howe/Chris Squire/Rick Wakeman/Alan White) – 2:54
  10. "Friend of a Friend" (Jon Anderson/Steve Howe/Chris Squire/Rick Wakeman/Alan White) – 3:38

As faixas 13–16 são da "Paris Sessions" (Novembro de 79), tocadas por Jon Anderson, Steve Howe, Chris Squire, Rick Wakeman e Alan White, produção de Roy Thomas Baker.

Músicos[editar | editar código-fonte]

Relançamentos[editar | editar código-fonte]

  • 1989 - Atlantic - CD
  • 1994 - Atlantic - CD (Remasterizado)
  • 2004 - Rhino - CD (Remasterizado com faixas bônus)

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Drama, CD booklet essay, Brian Ives, c.2003
  • AllMusicGuide.com
  • "Top Pop Albums 1955-2001", Joel Whitburn, c.2002

Referências