Dynamo Dresden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dynamo Dresden
Dynamo Dresden.jpg
Nome Sportgemeinschaft Dynamo Dresden e. V.
Fundação 12 de abril de 1953 (61 anos)
Estádio Glücksgas-Stadion
Capacidade 32.066[1]
Localização Dresden, Alemanha
Presidente Alemanha Andreas Ritter
Treinador Alemanha Stefan Böger
Patrocinador Alemanha Feldschlösschen
Material esportivo Estados Unidos Nike
Competição Alemanha 3. Fußball-Liga
Alemanha Copa da Alemanha
3L 2014-15
CA 2014–15
em disputa
em disputa
Website site oficial
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Sportgemeinschaft Dynamo Dresden e.V. é uma agremiação esportiva alemã sediada em Dresden, na Saxônia, fundada a 12 de abril de 1953. Atualmente disputa a 3. Fußball-Liga.

História[editar | editar código-fonte]

O clube foi fundado com o nome de Sportgemeinschaft Dynamo Dresden, mudando o nome em 1990 para 1. FC Dynamo Dresden.

É considerada uma das mais prestigiosas e populares equipes de futebol da antiga República Democrática Alemã, tendo vencido 8 vezes o Campeonato da Oberliga (da Alemanha Oriental), além de 7 copas.

Depois da reunificação, em 1990, o Dynamo Dresden militou de 1991 a 1995 na Bundesliga. Contudo, em 1995, por causa de problemas financeiros, a agremiação não pôde se inscrever nas primeiras duas divisões e acabou rebaixada para a divisão regional.

Em 2004, o clube voltou a segunda divisão para novamente descer à Regionalliga na temporada sucessiva. Ao fim da temporada 2007-2008, se classificou em oitavo lugar na Regionalliga Norte, posição que lhe concedeu a oportunidade de se qualificar para a Dritte Bundesliga, a terceira divisão em 2008-2009.

Em 24 de maio de 2011, venceu o play-off contra o Vfl Osnabruck, obtendo a promoção para a Zweite Bundesliga, a segunda divisão alemã. Contando os jogos de ida e volta a equipe contabilizou 4 a 2 no cômputo geral.

Anos 50 e 60[editar | editar código-fonte]

Em 1950 a SG Dresden- Friedrichstadt, a agremiação sucessora da Dresdner SC, se dissolveu por motivos políticos. Quase a equipe inteira que fora vice-campeã da Oberliga na primeira temporada 1949-1950 deixou a Alemanha Oriental.

Para fazer frente a tal perda a Sportvereinigung Volkspolizei Dresden, existente desde 1948, foi reforçada com atletas provenientes de toda parte da Alemanha Oriental e foi, portanto, admitida na Oberliga na temporada 1950-1951. Tendo duas colocações positivas nas duas temporadas seguintes (4º lugar em 1951, 2º lugar em 1952), a equipe se estabilizou nas primeiras posições da tábua de classificação.

Em abril de 1953, a agremiação foi renomeada SG Dinamo Dresden, fundindo-se com o SV Dinamo, a organização esportiva dos órgãos internos de segurança da República Democrática Alemã, a (MfS. Volkspolizei, Zoll). No mesmo ano o clube venceu o seu primeiro campeonato da Alemanha Oriental ao bater o Wismut Aue por 3 a 2, após já ter vencido um ano antes a primeira copa nacional da Alemanha Oriental.

Em novembro de 1954 a agremiação inteira se transferiu para Berlin e foi renomeada SC Dinamo Berlim, com o objetivo de construir uma equipe construtiva. A Dresdner SG Dinamo, foi inserida na 1. Liga, a segunda divisão do Campeonato da Alemanha Oriental e nos anos sucessivos viveu um período obscuro, chegando a disputar a quarta divisão, para depois retornar à Oberliga em 1962.

Durante os anos 1960 a equipe sofreu o descenso por duas vezes, em 1963 e 1968, retornando, sempre nas temporadas sucessivas. Após 1968, o clube permaneceu de forma estável na máxima divisão da Alemanha Oriental até 1991, quando acabou dissolvida.

Os anos 70[editar | editar código-fonte]

Em junho de 1969 o clube contratou o técnico Walter Fritzsch, vivenciando nos anos sucessivos uma era de ouro. Em 1971 a agremiação dominou o campeonato vencendo o seu segundo título depois daquele de 1953, chegando no mesmo ano à final da copa nacional, fato inédito na história do futebol da nação comunista.

Nos anos sucessivos a equipe confirmou o domínio na primeira divisão, obtendo o triunfo em 1973, 1976, 1977 (vitória também na copa nacional) e 1978. Em 1975, foi derrotado na disputa de pênaltis na final da copa nacional pelo BSG Sachsenring Zwickau.

Na Copa dos Campeões, a equipe chegou duas vezes às quartas de final, eliminando, entre outras, o Porto, a Juventus e o Benfica. Em 1973, foi eliminado pelo Bayern de Munique, o qual contou apenas com um gol a mais no cômputo geral (4 a 3 e 3 a 3) no primeiro e memorável duelo entre as equipes das duas Alemanhas na competição.

Os anos 80[editar | editar código-fonte]

Em 1978, após tantos sucessos, o treinador Fritzsch deixou o comando da equipe para Gerhard Prautzsch. O time ainda venceu a copa nacional em três ocasiões. 1982, 1984 e 1985, sempre derrotando na final o rival BFC Dinamo Berlim, absoluta rivalidade ocorrente na Oberliga naqueles anos.

Entre 1980 e 1981, três jogadores Peter Kotte, Matthias Müller e Gerd Weber foram licenciados por conta da acusação de tentarem se evadir para a Europa Ocidental durante uma estada em Enschede. Embora o Colônia tivesse interesse nos três, todos acabaram aprisionados e encarcerados por um ano, além de serem desqualificados como atletas. Tanto a equipe como a Seleção Nacional da Alemanha Oriental perderam assim três jogadores importantes.

Nas copas européias as quartas de final pareciam ser um obstáculo intransponível. Em 1984, a equipe foi derrotada por 5 a 0 pelo Rapid Viena depois de ter vencido a partida de ida por 3 a 0. No ano seguinte, uma vitória por 2 a 0 e um 3 a 1 no fim do primeiro tempo da partida de volta contra o Bayer Uerdigen pareciam garantir à equipe a passagem para a fase seguinte, mas em uma desastrosa reação, os adversários assinalaram 6 gols eliminando pela nona vez a equipe da Alemanha Oriental da competição.

Nessa ocasião o jogador Frank Lippmann permaneceu na Alemanha Ocidental. Entre os torcedores foram enquadrados também alguns fugitivos. Para esconder esse embaraçante episódio, a TV da Alemanha Oriental mostrou várias vezes imagens de estátuas.

Sob a batuta do treinador Eduard Geyer a equipe recuperou o antigo esplendor, vencendo com autoridade a temporada de 1988-1989, conseguindo ainda quebrar o tabu, após sete tentativas frustes, de ultrapassar às quartas de final da Copa Européia. Na semifinal, a equipe foi derrotada pelo VfB Stuttgart, o qual teve muita dificuldade. Naquela edição, entre as vítimas do Dynamo Dresden, se encontrava a Roma que capitulou ao perder por 2 a 0 nas partidas de ida e volta.

Os anos 90[editar | editar código-fonte]

Matthias Sammer ergue a Copa da Alemanha Oriental vencida em 1990

Após a temporada 1989-1990, a equipe que em 1 de julho de 1990 tomara o nome de 1. FC Dynamo Dresden, vendera o seus melhores atletas. Wolf-rudiger Ziegenbalg foi nomeado presidente e na última temporada da Oberliga o clube ficou na segunda colocação, conseguindo se classificar para a primeira divisão da Bundesliga.

A última partida da Copa dos Campeões da Europa, disputada em Dresden, é um capítulo para ser esquecido. O jogo das quartas de final contra o Estrela Vermelha foi suspenso por conta de confrontos entre os torcedores. A equipe foi desqualificada por duas fases.

Durante os primeiros dois anos na Bundesliga, o time permaneceu no final da tábua de classificação, conseguindo todavia evitar a queda para a segunda divisão. Em janeiro de 1993, foi nomeado presidente o empreendedor Rolf-Jürgen Otto e no mesmo ano a equipe foi penalizada com a perda de quatro pontos por fraude na aquisição da licença. Guiada pelo treinador Siegfried Held, o Dynamo Dresden conseguiu se salvar, mas o mesmo objetivo não foi conseguido no ano sucessivo sob a guia de Horst Hrubesch.

Mas os problemas estavam longe de terminar. A Federação de Futebol Alemã não autorizou a inscrição do clube na primeira nem na segunda divisão da Bundesliga por motivos financeiros. O Dynamo caíria para a divisão regional.

De 2000 até hoje[editar | editar código-fonte]

Até hoje o Dynamo Dresden não se encontra de todo recuperado da falência financeira, por conta da incompetente gestão que administrou o clube após a reunificação da Alemanha. Após cinco anos de disputa no campeonato regional, a equipe foi aceita na Oberliga depois de uma nova reestruturação societária. Em 2002, após ter batido todos os recordes de público, subiu para a Regionalliga Nord.

Tal renascimento foi determinado sobretudo pelo engajamento do treinador Christoph Franke. Em 2004, o clube rompe a má fase obtendo a promoção para a segunda divisão. Em 5 de junho de 2004, diante de 36.000 espectadores, e com três pontos e 13 gols de vantagem sobre o segundo colocado, o Wuppertaler SV Borussia, a equipe pode festejar a volta à segunda divisão com uma rodada de antecipação. A derrota na última rodada frente ao Uerdingen não influenciou a classificação final.

No primeiro ano na segunda divisão, 2004-2005, tinha como objetivo apenas se manter no mesmo módulo. Após um bom início, ao vencer o rebaixado da primeira divisão, Duisburg, por 3 a 1, a equipe terminou o primeiro turno com 18 pontos, muito pouco para espantar o fantasma do rebaixamento. Um resultado magro devido também à péssima situação financeira. A vigésima rodada assinalou, contudo, uma reviravolta. Foram sete partidas sem derrotas. Na trigésima-segunda rodada, o time pôde festejar a permanência na categoria, durante a disputa contra o rival da Saxônia, o Erzgebirge Aue. Um 2 a 1 contra o Rot-Weiss Erfurt garantiu o oitavo lugar na classificação atrás do mesmo Erzgebirge Aue.

A temporada 2005-2006 foi emocionante mas teve um final amargo. Após ter batido na quarta rodada o Munique 1860, no novo estádio Allianz Arena, a equipe, após alcançar o terceiro lugar na classificação, ficou 12 partidas sem vitória e acabou voltando à zona de rebaixamento. Em 15 de dezembro de 2005, o treinador Christoph Franke foi exonerado e substituído por Peter Pacult. Reforçada com novos jogadores, a equipe chegou ao segundo turno determinada a permanecer na segunda divisão. A esperança permaneceu acesa até a última rodada quando, em 14 de maio de 2006, a derrota frente ao Hansa Rostock por 3 a 1, decretou o rebaixamento por apenas um ponto, após totalizar 41 no curso do campeonato.

Estádio[editar | editar código-fonte]

A equipe manda as suas partidas no Rudolf-Harbig-Stadion. Aberto em 1923, tinha capacidade para 38.500 lugares. O recorde de presença foi registrado em 24 de setembro de 1979 numa partida da Copa da UEFA contra o Stuttgart, terminada em 1 a 1. Nessa partida estiveram presentes 44.000 pessoas. Em 2007, houve uma reestruturação com a construção de novas tribunas, além da eliminação da pista atlética.

Os trabalhos se iniciaram oficialmente em novembro de 2007 e a inauguração do novo estádio, com capacidade para 32.066 lugares cobertos, ocorreu em 15 de setembro de 2009, durante uma partida amistosa contra o Schalke 04. Em dezembro de 2010 o nome foi mudado para Glücksgas-Stadion.

Títulos[editar | editar código-fonte]

  • DDR-Oberliga: 8
    • Campeão 1952–53, 1970–71, 1972–73, 1975–76, 1976–77, 1977–78, 1988–89, 1989–90
  • FDGB-Pokal: 7 (Recorde dividido com o 1. FC Magdeburg)
    • Campeão 1951–52, 1970–71, 1976–77, 1981–82, 1983–84, 1984–85, 1989–90
  • Copa da Uefa
    • Semi-final: 1988–89
  • NOFV-Oberliga: 1
    • Vencedor: 2002
  • Copa da Saxônia: 3
    • Vencedor 2003, 2007, 2009
  • GDR Campeão Júnior: 2
    • 1982, 1985
  • Junge Welt Junior Cup: 2
    • 1976, 1985
  • Indoor-Regio-Cup: 1
    • 2007
  • Deutschland Cup: 1
    • 1990

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Dynamo Dresden