Zagueiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O zagueiro brasileiro Cris jogou a Copa do Mundo 2006.

No futebol, zagueiro, beque (português brasileiro) ou defesa central (português europeu) é o jogador que ocupa a posição entre a linha média e o golo. É a principal posição da linha de defesa.

Função[editar | editar código-fonte]

A principal função do defesa central é marcar os atacantes, evitando que estes criem possibilidades de gol. Normalmente, os defesas centrais possuem alta estatura, que permite a disputa de bolas aéreas com golpes de cabeça. Nem sempre o zagueiro possui grande técnica com a bola. Este fato incide também no grande número de faltas que os atletas desta posição cometem.

Outra característica é a forte marcação, necessária para bloquear os adversários. Atuando em dupla, normalmente os treinadores escolhem um zagueiro para o combate e outro para a sobra. O primeiro deve encarregar-se de dar o início à tentativa de marcação, indo ao encontro do adversário, enquanto o outro espera para entrar na seqüência com a retomada da bola. Como nem sempre as tentativas têm sucesso, futebolistas de outras posições da mesma equipa também tratam de intervir para evitar os gols adversários, que acontecem eventualmente. É comum que sejam escalados um zagueiro mais forte e outro com mais velocidade nas equipas, porém, exceções são recorrentes.

Esquema com três zagueiros[editar | editar código-fonte]

Líbero[editar | editar código-fonte]

Quando uma equipe utiliza três zagueiros, tem-se o zagueiro pelo centro como líbero e libera-se os laterais mais para frente, tornando-os alas. A função de um líbero é atuar a frente dos outros dois zagueiros - podendo participar de jogadas ofensivas, volante - ou então ficar mais atrás, na sobra das divididas entre os seus companheiros e os atacantes, com a função de recuperar a bola e ser o último defensor antes do goleiro.

Origem do vocábulo[editar | editar código-fonte]

Na Idade Média, os árabes usavam a palavra saq para referir-se a um rebanho e também para designar o acto de conduzi-lo ou pastoreá-lo. Mais adiante, a palavra ingressou na linguagem militar desse povo sob a forma saqa, que se referia à retaguarda de um exército.

O vocábulo entrou no castelhano e no português sob a forma de çaga e no século XII já aparecia como çaguero, com o significado de o último, o de trás. No século XV já aparecia com a forma zaguero, embora nessa época fosse considerado um vocábulo vulgar.

A partir de então zagueiro foi palavra muito pouco usada, para reaparecer somente no século XX, quando o futebol se tornou popular e a palavra de estirpe árabe renasceu então no mundo esportivo para substituir back (aportuguesada beque), que é como se designa em inglês os jogadores que atuam nas últimas linhas da defesa.

Em Portugal, é usado o termo defesa central ou "central".

Numeração[editar | editar código-fonte]

Outra curiosidade é que, na maioria dos clubes do futebol brasileiro, estes dois zagueiros utilizam os números 3 e 4 respectivamente em suas camisas. Contudo, há clubes que usam numeração que remete aos tempos antigos do futebol. Há ainda casos, especialmente em grande parte dos clubes europeus, de zagueiros que utilizam o número 5 às costas, como por exemplo Fabio Cannavaro, Carles Puyol e Rio Ferdinand. Os zagueiros do Santos, por exemplo, normalmente usam as camisas 2 e 6 deixando a camisa 3 para o lateral-esquerdo e a 4 para o lateral-direito, seguindo modelo de distribuição numérica usado na Argentina.

Ver também[editar | editar código-fonte]