Ednardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ednardo
Cantor Ednardo, em 2012
Informação geral
Nome completo José Ednardo Soares Costa Sousa
Nascimento 17 de abril de 1945 (69 anos)
Origem São Benedito, Ceará
País  Brasil
Página oficial Ednardo

José Ednardo Soares Costa Sousa, cujo nome artístico é Ednardo (Fortaleza, Ceará, em 17 de abril de 1945)[1] , é um cantor e compositor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ednardo iniciou a carreira musical em Fortaleza, Ceará, no início da década de 1970, juntamente com outros artistas conterrâneos, como Fagner, Belchior e Amelinha. Já no início da carreira, venceu o Festival Nordestino da Música Brasileira, momento a partir do qual passou a ter maior projeção na cena musical cearense. Atualmente possui projeção internacional, sendo suas músicas tocadas em vários países da América Latina, Europa e EUA. Lançou 14 álbuns musicais e fez várias parcerias, possuindo mais de 300 músicas compostas. Atua também no cinema e teatro, onde compõe inúmeras trilhas musicais.

Ednardo teve importantíssimo papel no cenário musical cearense, com grande contribuição para a promoção da cultura, música e artistas do Ceará. Em 1979, em plena Ditadura Militar, foi protagonista do movimento Massafeira, que reuniu vários artistas cearenses, inclusive o poeta sertanejo Patativa do Assaré, no Teatro José de Alencar, onde foi gravado o disco homônimo. Dentre seus maiores sucessos constam: Terral, Ingazeiras, Lagoa de Aluá, Longarinas, Artigo 26, Pavão Mysteriozo, Enquanto Engoma a Calça, Flora, A Manga Rosa, Beiramar, Carneiro, etc. Suas músicas tem sido interpretadas por vários cantores da MPB, como Elba Ramalho, Fagner, Belchior, Ney Matogrosso, Vânia Abreu, Amelinha, Nonato Luiz, dentre muitos outros.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A música "Pavão Mysteriozo", teve grande projeção após sua utilização como tema da novela "Saramandaia" (1976), havendo hoje mais de 20 regravações. Inspirada no romance de cordel "O Romance do Pavão Misterioso", continha críticas veladas ao governo militar.[2] A música é considerada sagrada pelos índios do Xingu nos rituais religiosos; tem regravações na Europa orquestrada por Paul Mauriat; por grupos chilenos (Inti-Aymará e Nacha), por Elba Ramalho, Ney Matogrosso, por bandas de rock e maracatu, e muitos outros. Também usada por outros tantos como hino à liberdade, a beleza humana e sua capacidade de realizar a vida acima das aparentes impossibilidades.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns solo[editar | editar código-fonte]

Álbuns em colaboração[editar | editar código-fonte]

Trilhas sonoras[editar | editar código-fonte]

  • 1976 - Cidade dos Artesões (Trilha de Teatro)
  • 1978 - Cauim (Trilha de Cinema)
  • 1980 - PUTZ, A Menina que Buscava o Sol (Trilha de Teatro)
  • 1982 - Ednardo Especial (Vídeo)
  • 1985 - Tigipió (Trilha de Cinema)
  • 1987 - Luzia Homem (Trilha de Cinema)
  • 1991 - Ceará Quatro Estações (Vídeo)
  • 1994 - O Calor da Pele (Trilha de Cinema)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]