Electric (software)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Electric eda.png
Captura de tela do Electric
Autor Steven M. Rubin
Desenvolvedor Static Free Software
Plataforma Java
Lançamento 1982 (31–32 anos)
Versão estável 9.04
Sistema operativo Multiplataforma
Gênero(s) Software de projeto de circuitos integrados
Licença GNU General Public License
Página oficial www.staticfreesoft.com
www.gnu.org/electric

O sistema de projetos Electric VLSI é um software de projeto de circuitos integrados escrito no início dos anos 1980 por Steven M. Rubin.[1] [2] [3] [4] . É utilizado para desenhar esquemas elétricos e para fazer o leiaute de circuitos integrados. Também pode gerenciar linguagens de descrição de hardware, como VHDL e Verilog.

O electric é atualmente parte do Projeto GNU e tem sido desenvolvido na linguagem Java e distribuído como software livre e de código aberto, sujeito aos requisitos da GNU General Public License (GPL), versão 2 ou posterior.


Estilo de projeto[editar | editar código-fonte]

O Electric possui uma maneira própria de representar o leiaute de circuitos integrados.[5] [6]

O sistema considera circuitos integrados a serem compostos de nós e de arcos. Os nós são elementos do circuito, tais como transistores e contatos. Os arcos conectam os nós.

Esse estilo de projeto é bem diferente dos sistemas de leiaute de circuitos integrados típicos, tais como o Magic e o Cadence, que fazem o leiaute do circuito integrado ao manipular polígonos em camadas diferentes da pastilha.

Esse estilo de projeto torna possível para o projetista rodar Layout versus Esquemático (LVS) em leiautes que ainda não estão limpos pela regra de verificação. Isso pode ser útil durante o processo de desenho. Ele também torna possível para a ferramenta de projeto importar o comprimento dos fios de uma disposição para um esquemático mesmo se o leiaute ainda não está limpo pelo DRC. Finalmente, pelo fato de os leiautes serem armazenados internamente como um grafo (ao invés de uma "pintura"), a verificação LVS é rápida, frequentemente rodando em menos de um segundo em projetos de chip completos (tais como o chip Marina). A capacidade de rodar o LVS quase instantaneamente em projetos grandes tem um impacto na facilidade de projetar.

Em geral, pessoas sem experiência prévia no leiaute de circuitos integrados se sentem confortáveis com o estilo do Electric. Aqueles que têm experiência em leiautes de circuitos integrados em outros sistemas podem se sentir diferentemente.

Na visualização de nós e de arcos de um circuito é possível adicionar restrições de leiaute aos arcos. Existe apenas um pequeno conjunto dessas restrições, mas com atribuições cuidadosas, o circuito pode ser programado para permanecer corretamente conectado quando mudanças físicas são feitas.

Ferramentas e tecnologias[editar | editar código-fonte]

O Electric incorpora muitas ferramentas de síntese e de análise:

  • Design rule checking dois verificadores embutidos e duas interfaces para ferramentas industriais.
  • Electrical Rule Checking um verificador de Bem/Substrato e um verificador de efeito antena.
  • Simulação dois simuladores e interfaces embutidos para mais de uma dúzia de ferramentas industriais (Spice, Verilog, etc.)
  • Roteamento cinco roteadores diferentes para vários propósitos especiais
  • Geradores um gerador de matriz lógica programável generator, um gerador de célula, um gerador de quadro de blocos e um gerador de memória ROM.
  • Esforço lógico uma ferramenta para analizar o esforço lógico de um circuito e redimensionar as portas.
  • LVS uma ferramenta que compara duas representações quaisquer de um circuito.
  • E/S a capacidade de ler e de escrever descrição de circuitos em muitos formatos, incluindo CIF, GDS, EDIF, DXF e VHDL. Ele também pode interagir com outros sistemas, tais como EAGLE, Pads, ECAD Inc. e Sue.

O Electric suporta diferentes tecnologias de projeto, como por exemplo:

História[editar | editar código-fonte]

O Electric foi escrito na linguagem C no início dos anos 1980 (o primeiro memorando interno mencionando o Electric é datado de 19 de Novembro de 1982). Por algum tempo depois, o programa foi distribuído sem custos para universidades e para institutos de pesquisa e encontrou utilização internacional.

Em meados dos anos 1980, o Electric foi vendido comercialmente pela Applicon, sob o nome "Bravo3VLSI".

Em 1988, a Electric Editor Incorporated foi fundada e vendeu o sistema comercialmente. A empresa liberou o código fonte através da Free Software Foundation em 1998.

Em 2000, a Static Free Software foi criada para gerenciar a distribuição do Electric.

Em Setembro de 2003, a versão em C do Electric foi abandonada e o sistema foi traduzido para a linguagem Java. O trabalho foi completado em Junho de 2005. Embora o código em C ainda esteja disponível, ele não é mais desenvolvido ou suportado. O novo e melhorado código em Java permanece livre para todos os usuários.


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Rubin, Steven M. (1983), "An Integrated Aid for Top-Down Electrical Design", Proceedings, VLSI '83, Anceau and Aas, eds. (North Holland, Amsterdam) 
  2. Rubin, Steven M. (September 1983), "An Integrated Aid for Top-Down Electrical Design", Proceedings, ICCAD-83, Order No 518 (IEEE Computer Society) 
  3. Baker, R. Jacob (2010), CMOS Circuit Design, Layout, and Simulation, Third Edition, Wiley-IEEE Press 
  4. Zobrist, George Winston (1989), Progress in Computer-aided VLSI Design: Tools, Ablex Publishing Corporation 
  5. Citação:
  6. Rubin, Steven M. (1991), "A General-Purpose Framework for CAD Algorithms", IEEE Communications, Special Issue on Communications and VLSI 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui os portais: