Ernst Kretschmer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Ernst Kretschmer

Ernst Kretschmer (8 de Outubro de 1888, Wüstenrot, Alemanha8 de Fevereiro de 1964, Tübingen, Alemanha) Prof. Dr. med. Dr. phil. (PhD) h.c., foi um psiquiatra que pesquisou a constituição humana e estabeleceu a tipologia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Kretschmer estudou na Cannstatt Hochschule, uma das escolas de Latim mais antigas de Stuttgart. De 1906 a 1912 estudou teologia, medicina e filosofia nas Universidades de Tübingen, Munique e Hamburgo. De 1913 a 1926 foi assistente em Tübingen, onde recebeu sua habilitação em 1918.

Foi o primeiro a descrever o estado vegetativo persistente, também conhecido como Síndrome de Kretschmer. Outro termo médico cunhado pelo seu nome é a Paranóia Sensitiva de Kretschmer. Entre 1915 e 1921 desenvolveu o diagnóstico diferencial entre esquizofrenia e psicose maníaco-depressiva.

Kretschmer foi membro fundador do AÄGP (Sociedade Médica Geral para Psicoterapia), fundada em 12 de Janeiro de 1927. Foi presidente de 1929 a 1933, quando saiu do cargo por razões políticas e em protesto contra as leis de higiene racial. De 1946 a 1959 foi diretor da Clínica Psiquiátrica da Universidade de Tübingen.

Kretschmer também é conhecido por ter desenvolvido um sistema de classificação que pode ser visto como um dos primeiros expoentes da abordagem constitucional. Sua classificação baseava-se em 3 tipos principais de aspectos corporais: astênico ou leptossômico (magro, pequeno, fraco); atlético (musculoso, ossos grandes), pícnico (gordo, atarracado). Cada um destes tipos estaria associado a certas características de personalidade, e, em formas extremas, de psicopatologia. Kretschmer acreditava que indivíduos pícnicos eram amigáveis, dependentes de relacionamentos interpessoais e gregários. Em uma versão extrema destes traços, significaria, por exemplo, que obesos são mais predispostos à psicose maníaco-depressiva. Tipos magros seriam associados à introversão e timidez (que eram considerados como formas mais fracas dos sintomas negativos da esquizofrenia).

A associação de tipos constitucionais e traços de personalidade não mais é importante em teoria da personalidade.

Obra[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]